Estudo comparativo da resposta inflamatória e da formação de aderências após fixação de diferentes tipos de telas para correção de hérnia inguinal em coelhos

Alberto Goldenberg Jacques Matone Wagner Marcondes Fernando Augusto Mardiros Herbella José Francisco de Mattos Farah Sobre os autores

OBJETIVO: Avaliar a resposta inflamatória e a formação de aderências das próteses de polipropileno e polipropileno associado a poliglactina sintética (Vypro®) implantadas no espaço pré-peritoneal de coelhos. MÉTODOS: Foram utilizados 14 coelhos albinos linhagem Nova Zelândia com três meses de idade, machos com peso variando de 2000 a 2500 gramas. O acesso à cavidade se deu por incisão mediana abaixo do apêndice xifóide com oito centímetros de extensão. Realizou-se o implante da tela de polipropileno no flanco esquerdo com um ponto de polipropileno em cada extremidade da prótese. No flanco direito a tela Vypro® foi fixada da mesma forma com pontos de polipropileno. A laparoscopia foi realizada 28 dias após o primeiro procedimento para avaliação de aderências intracavitárias. As próteses juntamente com o peritônio, musculatura e aponeurose adjacente foram retiradas em blocos individuais. Cada peça foi imersa em solução tamponada de formaldeido a 10% e encaminhada ao patologista. RESULTADOS: Todos os animais tiveram boa evolução pós-operatória não havendo infecção das incisões cirúrgicas ou óbito dos coelhos. Das quatorze próteses Prolene implantadas no peritônio intacto de coelho, em onze (78,6%) houve formação de aderências Das quatorze próteses Vypro®implantadas no peritônio intacto de coelho, em doze (85,7%) houve formação de aderências. Comparando as duas próteses entre si não houve diferença significante quanto ao numero de aderências formadas. Em relação a avaliação microscópica, nas próteses VYPRO® a reação granulomatosa do tipo corpo estranho e a fibrose foram predominantemente moderadas. Já a inflamação inespecífica foi proporcionalmente leve e moderada A inflamação inespecífica foi menos intensa nas próteses de polipropileno. CONCLUSÃO: Ambas as próteses implantadas na cavidade peritoneal de coelhos promovem a formação de aderências de forma semelhante. As próteses de polipropileno e associado a poliglactina promovem maior fibrose, apresentando melhor incorporação aos tecidos.

Hérnia inguinal; Aderências; Inflamação; Coelhos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br