Existe relação entre o metabolismo lipídico e as cirurgias esplênicas?

OBJETIVO: Avaliar a influência das cirurgias esplênicas (esplenectomia, presença do baço e cirurgias conservadoras) sobre o metabolismo de lipídios. MÉTODOS: Foram utilizados 50 ratos fêmea Wistar de peso e idades semelhantes distribuídas em quatro grupos: Grupo 1 - controle, com baço íntegro; Grupo 2 - laparotomia e laparorrafia, Grupo 3 - esplenectomia total; Grupo 4 - esplenectomia subtotal e Grupo 5 - esplenectomia total complementada por implantes de tecido esplênico autógeno. Após quatro meses, foram dosados os níveis séricos de triglicérides, colesterol total e suas frações VLDL, LDL, HDL. Os resultados dos quatro grupos foram comparados entre si pela análise de variância, seguido pelo teste de Tukey-Kramer, com significância para p<0,05. RESULTADOS: Não houve diferença entre os grupos 1, 2, 3 e 4. Nos animais submetidos à esplenectomia total, as concentrações de colesterol total (p=0,0151) e de sua fração LDL (p<0,0001) foram maiores, enquanto a fração HDL foi menor (p=0,0026) do que as encontradas nos demais grupos. Não houve diferença entre os grupos com relação aos triglicérides (p=0,1571) e VLDL (p=0,2527). CONCLUSÃO: A esplenectomia leva a alterações do metabolismo lipídico que são revertidas pelo implante de tecido esplênico autógeno.

Baço; Esplenectomia; Colesterol; Triglicerídeos; Ratos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br