Comparação das técnicas de balão e de perfusão para a realização de manometria anorretal em crianças portadoras de constipação intestinal

INTRODUÇÃO: A manometria anorretal tem sido aceita como uma técnica objetiva de estudar a função do complexo muscular esfincteriano. Duas técnicas para o mesmo exame têm sido utilizadas: por perfusão e por balão. OBJETIVO: Comparar as técnicas entre as crianças portadoras de constipação intestinal que não foram submetidas a tratamento cirúrgico como forma de tratamento. MÉTODOS: Trinta e nove crianças com idades entre quarto e quatorze anos foram submetidas à Manometria anorretal utilizando-se ambas as técnicas de forma randomizada. Analizou-se a pressão de repouso, a pressão de contração voluntária, a pressão de contração reflexa, a pressão máxima de contração, o reflexo reto-esfincteriano. Além desses parâmetros, o vetorgrama do canal anal foi estudado pela técnica de perfusão. A análise estatística foi feita por meio de Wilcoxon signed rank test. RESULTADOS: A comparação estatística entre as técnicas revelou diferenças significantemente estatísticas nos parâmetros: pressão de repouso (p= 0.041), Pressão de contração voluntária (p= 0.026) e pressão máxima de contração (p= 0.010). Não houve diferença estatisticamente significante nos parâmetros: pressão de contração reflexa por tosse (p= 0.141) ou por estimulação perianal (p= 0.117). O reflexo reto-esfincteriano foi demonstrado em 21 pacientes em ambas as técnicas. CONCLUSÕES: A técnica de perfusão tem maior sensibilidade para os seguintes parâmetros: pressão de repouso, pressão de contração voluntária e pressão máxima de contração. As técnicas se equivalem no que diz respeito à pressão de contração reflexa e reflexo reto-esfincteriano.

Criança; Manometria; Constipação intestinal; Doença de Hirschsprung


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br