O embrião de galinha como modelo experimental para o estudo da gastrosquise

Carlos André Tarrio Gandara Eduardo Spadari Araújo Ubirajara Índio Carvalho da Motta Sobre os autores

OBJETIVO: Reproduzir o modelo experimental da gastrosquise em embriões de galinha. MÉTODOS: Foram utilizados 278 ovos de galinha da raça Leghorn (Gallus domesticus). Os embriões foram divididos em três grupos: grupo gastrosquise, no qual, através de um orifício na casca do ovo, o cordão umbilical foi aberto e as alças intestinais expostas a uma mistura de líquidos amniótico e alantóide; grupo mistura, no qual se promovia apenas a mistura de líquidos amniótico e alantóide, sem a exposição de alças intestinais; e o grupo controle, que consistia de embriões normais e nos quais nenhum procedimento foi realizado. Os procedimentos foram feitos no 13º dia do desenvolvimento embrionário, e o estudo encerrado no 19º, quando as alças intestinais dos embriões foram removidas e encaminhadas para análise histológica convencional e análise morfométrica digital. RESULTADOS: Ao final do experimento, foram obtidos 23 embriões vivos do grupo gastrosquise (11,1% de sobrevida), 18 dos quais apresentavam alças intestinais expostas (8,7% de sucesso). Os embriões do grupo gastrosquise apresentaram um peso menor que os dos outros grupos. Este grupo também desenvolveu alterações intestinais consistindo em espessamento da parede, infiltrado inflamatório da serosa e mucosa, alterações isquêmicas da parede intestinal e formação de uma camada de fibrina sobre as alças. Tais achados são característicos da gastrosquise humana e não foram observados nos demais grupos. CONCLUSÃO: O modelo experimental em embriões de galinha mostrou ser capaz de reproduzir as alterações intestinais da gastrosquise humana.

Gastrosquise; Embrião de Galinha; Modelos Animais


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br