Cicatrização da parede abdominal em ratos reoperados

OBJETIVO: Avaliar experimentalmente o processo cicatricial da parede abdominal após reoperações realizadas com o mesmo acesso cirúrgico, por meio da análise macroscópica e do estudo das características histopatológicas e tensiométricas da cicatriz cirúrgica. MÉTODOS: Vinte e quatro ratos foram selecionados e divididos, igualmente, em três grupos (G1, G2 e G3). A laparotomia consistiu em uma incisão longitudinal mediana. Após obtido o acesso à cavidade abdominal, procedeu-se a síntese da ferida cirúrgica em dois planos através de sutura interrompida. As reoperações foram realizadas pelo mesmo acesso. No primeiro dia do experimento os 24 animais (G1, G2, G3) foram operados, no trigésimo dia 16 animais (G2, G3) foram reoperados e finalmente no sexagésimo dia os 8 animais do G3 foram operados pela terceira e última vez. Decorridos 30 dias da última laparotomia de cada grupo, foi procedida a eutanásia dos animais e ressecção da parede abdominal envolvida no acesso cirúrgico. Durante a ressecção foi realizada a avaliação macroscópica da ferida cirúrgica com avaliação de aderências e de outras possíveis complicações. A peça cirúrgica foi submetida ao estudo tensiométrico e em seguida foi preparada para o estudo histopatológico com lâminas coradas com picrosírius para quantificação e qualificação do colágeno. RESULTADOS: As aderências foram prevalentes nos grupos 2 (16%) e 3 (16%) quando comparadas com o grupo 1. Não houve diferença significante entre os grupos no estudo tensiométrico. O estudo histopatológico demonstrou diferença estatisticamente significativa nas concentrações de colágeno. Houve maior deposição de colágeno maduro (tipo I) e colágeno total nos grupos submetidos a mais de uma laparotomia (G2 e G3). Os animais do G3 apresentaram a maior concentração de colágeno maduro (p<0,0001) e colágeno total (p<0,0021), seguidos dos animais dos grupos 2 e 1 (nessa ordem). CONCLUSÃO: A maior concentração de colágeno maduro nos grupos experimento evidencia a importância da presença da atividade inflamatória no processo cicatricial; nas reoperações a maturidade da cicatriz cirúrgica é mais rapidamente alcançada; as ressuturas de incisões em parede abdominal não influenciaram a resistência da cicatriz.

Reoperação; Parede abdominal; Cicatriz; Ratos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br