Estado clínico e nutricional no pós-operatório tardio de pancreaticoduodenectomia: influência da preservação do piloro

OBJETIVO: Avaliar o estado nutricional de pacientes em pós-operatório tardio de pancreaticoduodenectomia (PD) e comparar a evolução de acordo com a preservação de piloro (PPPD) ou pela técnica padrão com ressecção do piloro (SPD). MÉTODOS: O estudo prospectivo foi conduzido com pacientes submetidos à PD após período mínimo de 12 meses (Grupo PD, n=15) e voluntários saudáveis (Grupo Controle, n=15). Numa análise posterior, o Grupo PD foi dividido em Subgrupo PPPD (n=9) e Subgrupo SPD (n=6), de acordo com a técnica de PD. Foram avaliadas as queixas digestivas, o estado nutricional e dados bioquímicos; a análise estatística foi realizada por meio do teste t-Student ou Mann-Whitney. RESULTADOS: Os pacientes recuperaram o estado nutricional e as queixas gastrointestinais foram incomuns. A ingestão protéica e energética foi maior no Grupo PD, apesar do menor IMC. Não houve diferenças em relação aos exames laboratoriais, exceto pelos maiores níveis de glicemia, fosfatase alcalina sérica e proteína C-reativa no Grupo PD. Quando os Subgrupos PPPD e SPD foram comparados, não houve diferenças nos diversos parâmetros analisados. CONCLUSÃO: No pós-operatório tardio de pancreaticoduodenectomia, os sintomas gastrointestinais são mínimos e o estado clínico e nutricional é adequado, independente da preservação do piloro.

Pancreaticoduodenectomia; Estado Nutricional; Antropometria; Proteínas Sanguíneas


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br