Alveolite experimental: análise microscópica e molecular de duas modalidades de tratamento

OBJETIVO: Avaliar duas modalidades de tratamento da alveolite em ratos e discutir os primeiros achados de uma análise molecular neste modelo experimental. MÉTODOS: 84 ratos foram submetidos a uma extração dentária e foram divididos em quatro grupos: I- alvéolo não infectado (controle), II- alvéolo infectado sem tratamento, III- alvéolo infectado tratado com irrigação de iodeto de sódio a 2% e solução de peróxido de hidrogênio a 3%, IV- alvéolo infectado submetido à curetagem, irrigação com solução salina fisiológica e preenchimento com pasta a base de metronidazol. Os grupos foram subdivididos em períodos de sacrifício pós-operatório: 6/15/28 dias. Uma análise quantitativa e qualitativa microscópica foi realizada. Além disso, uma análise quantitativa foi realizada utilizando RealTimePCR para avaliar a expressão de genes no reparo alveolar: o colágeno tipo I / COL-I, o fator de crescimento endotelial vascular / VEGF, osteocalcina / OCN, fosfatase alcalina / ALP, fator de transcrição runt relacionados 2 / RUNX2 e fator de necrose tumoral alfa / TNF-α. RESULTADOS: O grupo I mostrou maior formação óssea, seguido pelos grupos IV, III, II, respectivamente. O grupo II apresentou maior infiltrado inflamatório e a cicatrização foi atrasada em comparação com outros grupos. Foi obtida uma correlação positiva entre a neoformação óssea e a expressão de OCN e RUNX2, infiltrado inflamatório com TNF-α e uma correlação negativa entre a neoformação óssea e TNF-α. CONCLUSÃO: Nenhuma diferença significativa foi encontrada entre os tratamentos.

Cicatrização; Alvéolo Seco; Peróxido de Hidrogênio; Iodeto de Sódio; Metronidazol; Ratos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br