Tonometria a gás para a avaliação da perfusão da mucosa gastrointestinal: modelos experimentais de trauma, choque e manobras cirúrgicas complexas. Parte 1

Evidências clínicas e experimentais substanciais indicam que o território circulatório mesentérico, principalmente na mucosa intestinal, é altamente vulnerável a redução na oferta de oxigênio e predisposto a lesão precoce na presença de alterações hemodinâmicas induzidas por trauma, choque, sepse e diversas manobras cirúrgicas complexas. A hipóxia ou isquemia intestinal é um dos possíveis mecanismos contribuintes para a disfunção da barreira gastrointestinal que pode estar associada com o desenvolvimento da resposta inflamatória sistêmica e com a síndrome da disfunção de múltiplos órgãos, causa comum de morte após trauma, sepse ou cirurgias de grande porte. Monitorar a perfusão intestinal em experimentos pode fornecer dados valiosos quanto a novas intervenções e tratamentos altamente necessários para reduzir a morbidade e mortalidade extremamente elevadas no trauma e na sepse. Apresentamos nossa experiência com a tonometria a gás como monitor da adequação da perfusão da mucosa gastrointestinal clínica e experimental, em modelos de trauma, sepse, e manobras cirúrgicas complexas tais como a oclusão da aorta e a exclusão vascular hepática.

Isquemia; Reperfusão; Tonometria; Choque séptico; Falência de múltiplos órgãos; Catecolaminas; Mucosa intestinal; Sepse; Traumatismo múltiplo


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br