Estudo morfométrico da mucosa gástrica de cães submetidos à vagotomia gástrica proximal, esplenectomia ou vagotomia gástrica proximal associada com esplenectomia

OBJETIVO: Avaliar os efeitos da esplenectomia total e da vagotomia gástrica proximal (VGP) isoladas e associadas sobre a vascularização gástrica. MÉTODOS: Utilizaram-se 28 cães, distribuídos em quatro grupos: grupo A, laparotomia e manipulação gástrica; grupo B, VGP; grupo C, VGP associada à esplenectomia; grupo D, esplenectomia isolada. Todos os animais foram mortos no 7º pós-operatório e imediatamente infundiu-se o corante na aorta torácica. O estômago aberto pela grande curvatura foi fotografado. Na superfície mucosa gástrica, a formação de áreas coradas e desprovidas de coloração foi mensurada por três métodos: decomposição milimétrica, planimétrico e morfometria computadorizada. RESULTADOS: Verificou-se nos grupos B e C formação de área desprovida de coloração na pequena curvatura gástrica, sendo significativamente maior no grupo C (p< 0,05). Nos grupos A e D tais áreas não foram observadas. A análise estatística não revelou diferenças significativas entre os resultados dos três métodos utilizados. CONCLUSÕES: Nas condições desse estudo os resultados permitiram concluir que nos animais com o estômago íntegro e naqueles onde a esplenectomia foi realizada de forma isolada, a vascularização do estômago permitiu a perfusão de toda a superfície do órgão. Nos animais submetidos a VGP isolada e principalmente quando a VGP foi associada ã esplenectomia ocorreu significativa diminuição do suprimento sangüíneo na curvatura gástrica menor, sugerindo a potencialidade isquêmica dessa região.

Esplenectomia; Vagotomia Gástrica Proximal; Estômago


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br