Efeitos tardios da torção testicular sobre a espermatogênese do testículo contralateral e o valor preventivo da orquiepididimectomia do testículo torcido

OBJETIVO: Determinar se a torção testicular causa efeitos tardios sobre a espermatogênese do testículo contralateral e se a orquiepididimectomia do testículo torcido poderia preveni-los, usando parâmetros específicos da espermatogênese para elucidar os resultados conflitantes na literatura. MÉTODOS: Foram selecionados aleatoriamente 74 ratos machos púberes da linhagem Wistar. O grupo experimental foi composto por 40 ratos divididos em quatro subgrupos, submetidos à torção anti-horária de 1,080 graus do testículo esquerdo e sua fixação escrotal no início do experimento e à orquiepidimectomia esquerda com um, cinco, dez e 90 dias, respectivamente. O grupo controle foi composto por 24 ratos divididos em quatro subgrupos de cirurgias simuladas. Um subgrupo controle adicional foi constituído pelos dez ratos restantes submetidos unicamente à orquiepididimectomia esquerda no início do experimento. Aos 90 dias, os testículos contralaterais dos subgrupos experimentais e controles foram coletados para avaliação dos parâmetros de suas espermatogêneses: peso testicular, diâmetro do túbulo seminífero, graduação de Johnsen e contagem diferencial das células germinativas. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significativa entre todos os subgrupos experimentais e controles para todos os parâmetros analisados da espermatogênese dos testículos contralaterais. CONCLUSÕES: A torção testicular não causa efeitos tardios sobre a espermatogênese do testículo contralateral em ratos púberes e a orquiepididimectomia do testículo torcido não é necessária para fins preventivos da espermatogênese contralateral.

Torção do Cordão Espermático; Espermatogênese; Testículo; Ratos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br