O papel da cola biológica e do fio de sutura na lesão hepática em coelhos

OBJETIVO: Avaliar o desempenho do adesivo de fibrina e do fio de sutura absorvível no reparo de lesões hepáticas provocadas em coelhos. MÉTODOS: Coelhos (n=16),Nova Zelândia, albinos, machos e fêmeas, 5 a 6 meses de idade, peso médio de 2500 gramas, foram distribuídos aleatoriamente em Grupo A(n = 8) - adesivo biológico e Grupo B(n=8) - fio de sutura. Após anestesia com acepromazina (1mg/Kg), quetamina (50mg/Kg) e fentanylEV (0,5ml/Kg), realizou-se laparotomia mediana supra-umbilical, o lobo hepático médio foi isolado e submetido a uma lesão padronizada grave. No grupo A foi aplicado o adesivo de fibrina. No grupo B as bordas da lesão foram suturadas com categute 4-0 simples, em pontos separados. Avaliou-se o tempo total de procedimento, tempo de hemostasia e volume da hemorragia. No 21º dia de pós-operatório avaliou-se a presença de aderências e sinais de infecção na cavidade e procedeu-se a ressecção do lobo hepático médio para a avaliação histológica. RESULTADOS: A média e desvio-padrão calculados mostraram que o tempo de procedimento, tempo de hemostasia e quantidade de sangramento foram significantes menores no grupo de animais submetidos ao uso do adesivo de fibrina. A extensão da ferida operatória foi significativamente maior nos animais do grupo sutura (média de 6,8cm) em relação ao grupo adesivo (média de 3,8cm) assim como o número de vezes da ocorrência de abscessos. A aderência de alças intestinais à lesão suturada (grupo B) ocorreu em 5 casos e adesão do omento maior ocorreu em todos os animais. No grupo A (adesivo) foram observadas aderências do omento maior em três casos. A microscopia da lesão hepática reparada com o uso de fibrina mostrou que a reação inflamatória é menos intensa, não está associada à formação de secreção ou abscessos e com isso tem um aspecto cicatricial tardio mais favorável que uma sutura convencional com fio cirúrgico. CONCLUSÃO: Em concordância com outros trabalhos da literatura biomédica, o adesivo de fibrina é uma opção viável para realizar hemostasia em um modelo animal (coelho) com lesão hepática grave.

Fígado; Adesivo Tecidual de Fibrina; Técnicas de Sutura


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br