Lesão de isquemia e reperfusão renal: influência da clorpromazina na função renal e na peroxidação lipídica

Silvio Tucci Junior Roberto Marins de Carvalho Fábia Martins Celini Adauto José Cologna Haylton Jorge Suaid Luis Fernando Tirapelli Antonio Carlos Pereira Martins Sobre os autores

OBJETIVO: avaliar a influência da clorpromazina (CPZ) na função renal e na peroxidação lipídica num modelo de lesão de isquemia/reperfusão renal em ratos. MÉTODOS: 48 ratos Wistar foram submetidos à laparotomia para clampamento da artéria renal esquerda durante 60 minutos, seguido da reperfusão e nefrectomia contralateral. Destes animais, 26 receberam 3 mg/kg de CPZ intravenosa 15 minutos antes da isquemia renal (G-E), sendo os 22 animais restantes utilizados como grupo controle isquêmico (G-C). Em 11 ratos do G-E e 8 do G-C foi feita a dosagem de uréia e creatinina sérica antes da isquemia renal e no 1º, 4º e 7º dia pós-operatório. Amostras de tecido do rim esquerdo foram obtidas aos 5 minutos (5 ratos de cada grupo) e 24 horas após reperfusão (9 G-C e 10 G-E) para dosagem de malondialdeído (MDA). Valores controle para níveis de MDA foram obtidos em rins retirados de 6 ratos normais. RESULTADOS: insuficiência renal aguda ocorreu em todos os animais mas os níveis séricos de uréia e creatinina foram significativamente menores no G-E (p<0,001). Os níveis de MDA apresentaram elevação acentuada na avaliação aos 5 minutos de reperfusão em ambos os grupos (p<0,05), retornando a valores próximos aos normais na avaliação com 24 horas. CONCLUSÃO: a CPZ conferiu proteção parcial da função renal aos rins submetidos à lesão de isquemia e reperfusão, aparentemente independente da inibição da peroxidação lipídica.

Isquemia; Peroxidação Lipídica; Clorpromazina


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br
Accessibility / Report Error