Um modo simples de estimar o consumo de energia a partir de dados hemodinâmicos em pacientes sépticos

Anibal Basile-Filho Maria Auxiliadora Martins Flavio Marson Paulo Roberto Barbosa Evora Sobre os autores

OBJETIVO: O objetivo desse estudo foi o de comparar o consumo de oxigênio em repouso (COR) obtido por calorimetria indireta (CI) com valores do COR calculados por equações preditivas (Brandi e Ligget) que utilizam o consumo de oxigênio (VO2) obtido pelo método de Fick em pacientes sépticos. MÉTODOS. Estudo prospectivo em pacientes sépticos internados em unidade de terapia intensiva de um hospital universitário. Quinze pacientes adultos (onze homens e quatro mulheres). As medidas de VO2 foram realizadas usando um aparelho metabólico portátil conectado ao respirador e por cateter em artéria pulmonar. RESULTADOS: O índice APACHE II na admissão foi 22.6±7.2 com risco de mortalidade de 46.1±27.7%. As médias do COR obtidas por CI e pelas equações de Brandi and Liggett foram, respectivamente, 1699±271, 1815±355 e 1361±277 kcal.day-1 Não se observaram diferenças estatisticamente significantes entre os dois métodos com as duas médias mostrando uma diferenças de 8.7%. Os valores de COR Também foram próximo dos valores de CI x BRANDI (r=0.80), mas a correlação com CI x LIGGETT apenas 0.58. CONCLUSÕES: Os resultados sugerem que o COR pode ser facilmente calculado para obter-se o VO2 com o cateter de Swan-Ganz e pelo uso da equação de Brandi para pacientes sépticos em ventilação mecânica.

Consumo de Oxigênio; Consumo de Energia em Repouso; Calorimetria Indireta; Sepse


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br