O insuflador de gás CO2 é necessário para treino de laparoscopia em animais?

OBJETIVO: Testar a eficácia e segurança do pneumoperitônio com ar comprimido para cirurgias videolaparoscópicas em porcos em treinamento de residência médica. MÉTODOS: Porcos da raça Dalland de peso variável de 15 a 17kg foram submetidos a anestesia geral e respiração controlada. Eles foram divididos em 3 grupos: A - 38 animais com pneumoperitônio feito com insuflador automático de CO2 usando este gás; B - 7 animais sujeitos ao mesmo procedimento exceto que o CO2 foi substituído por ar comprimido; e, C - 11 animais em que o pneumoperitônio foi feito com ar comprimido diretamente da rede hospitalar. Nos 3 grupos a pressão intra-abdominal foi mantida entre 12 e 14mmHg. Os procedimentos realizados foram distribuídos proporcionalmente nos 3 grupos: nefrectomia bilateral - 20, pieloplastia desmembrada - 20 e nefrectomia parcial - 16. Antes e 2h após o pneumoperitônio foi colhido sangue arterial para gasometria em 5 porcos do grupo C. RESULTADOS: Foram consumidos 25 torpedos de 4,5kg de CO2 a um custo total de R$ 3.150,00 no grupo A. A duração média da cirurgia nos grupos A, B e C foram respectivamente: 181±30min, 196±39min e 210±47min (p>0.05). Alcalose respiratória foi observada em 3/5 porcos testados do grupo C. Nenhum animal apresentou sinais de embolia gasosa ou faleceu durante o procedimento. CONCLUSÃO: O uso de ar comprimido para laparoscopias em porcos mostrou-se método seguro com redução de custos e tornou desnecessário o uso de insuflador automático.

Laparoscopia; Nefrectomia; Pieloplastia; Nefrectomia; Parcial; Pneumoperitônio; CO2; Ar comprimido


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br