Atividade angiogênica das flores da Calendula officinalis L. em ratos

Objetivo: Neste trabalho a atividade sobre a angiogênese do extrato etanólico (EEC) e das frações diclorometano e hexânica das flores de Calendula officinalis L. (Asteraceae) cultivada no Brasil foram avaliados, visto que propriedades medicinais têm sido atribuídas às flores da planta, destacando-se a atividade cicatrizante. Métodos: Modelos utilizando 36 ratos e 90 ovos embrionados foram usados para avaliar as atividades cicatrizante e angiogênica dos extratos e frações da planta, por meio da indução de feridas cutâneas e da membrana corioalantóide, respectivamente. O efeito proliferativo vascular foi também testado a partir do estudo imunoistoquímico, realizado para verificar a intensidade da expressão do fator de crescimento endotelial vascular (VEGF) na derme de ratos. Resultados: A atividade angiogênica do extrato e das frações foi evidenciada nos dois modelos experimentais empregados. Foi evidenciado que este efeito não estava diretamente relacionado à expressão do VEGF, podendo estar associado a outros fatores pró-angiogênicos. Conclusão: A atividade cicatrizante referida a C. officinalis está relacionada ao seu efeito positivo sobre a angiogênese, e este foi caracterizado pela indução de neovascularização.

Calendula; Cicatrização de Feridas; Neovascularização Fisiológica; Plantas Medicinais; Ratos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br