Lesão de isquemia e reperfusão em ratos com obstrução biliar extra-hepática submetidos à anastomose bilio-duodenal

Márcio Augusto Ferreira José Sebastião dos Santos Robson Azevedo Dutra Wilson Salgado Jr. Rafael Kemp Camila Domiciano Leandra N.Z Ramalho Ajith Kumar Sankarankutty Orlando de Castro-e-Silva Sobre os autores

OBJETIVO: O objetivo do estudo foi investigar alterações compatíveis com o fenômeno de isquemia-reperfusão hepática em ratos com icterícia obstrutiva (OB) após derivação bilioduodenal (BD). MÉTODOS: Trinta e seis animais foram divididos em seis grupos experimentais: CO1 e CO2 - grupos controle avaliados com 6 e 24 horas após operação simulada (SO), respectivamente; OB1 e OB2 - grupos com obstrução biliar, submetidos a SO 15 dias após ligadura do ducto biliar, e avaliados em 6 e 24 horas após a SO, respectivamente; DBD1 e DBD2 - grupos com 15 dias de obstrução biliar, avaliados em 6 e 24 horas, respectivamente, após BD. Os parâmetros avaliados foram bilirrubinas, aminotranferases (ALT e AST), funções mitocondriais hepáticas, dosagem de TNFalfa e lesão do parênquima hepático. RESULTADOS: As bilirrubinas caíram após BD, enquanto as aminotransferases aumentaram 6 horas após BD (p<0,01). O TNFalfa mensurado na 6ª hora após a BD foi maior que o da 24ª hora (p<0,05). O consumo de oxigênio no estado 3 e 4 mantiveram-se elevados na fase inicial do BD e as lesões celulares hepáticas agravaram-se na 24ª hora pós BD. CONCLUSÃO: Os resultados demonstraram que a descompressão cirúrgica biliar na icterícia obstrutiva foi seguida de alterações que correspondem ao fenômeno de isquemia-reperfusão hepática.

Icterícia Obstrutiva; Obstrução Biliar; Colestase; Descompressão Biliar; Lesão de Isquemia-Reperfusão; Fibrose biliar secundária


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br