Lovastatina protege a função renal e mitocondrial na isquemia/reperfusão renal em ratos

OBJETIVO: Investigar a ação da lovastatina na isquemia renal seguida de reperfusão. MÉTODOS: Trinta e um ratos Wistar submetidos à isquemia renal esquerda durante 60 minutos, seguida da nefrectomia contralateral, foram distribuídos em dois grupos: A (n=17, controle, sem tratamento) e B (n=14, recebendo 15 mg/Kg/dia de lovastatina via oral), durante os dez dias que antecederam a isquemia. Os animais foram mortos ao final da isquemia, e com 24 horas e sete dias após a reperfusão. Foram avaliadas a sobrevida, os valores séricos de uréia e creatinina e a função mitocondrial renal. RESULTADOS: A mortalidade foi 29,4% no grupo A e 0,7% no grupo B. Os níveis de uréia e creatinina elevaram-se nos dois grupos, mas foram significativamente menores no grupo B. No grupo A a função mitocondrial renal ficou desacoplada em 83,4% dos ensaios, enquanto que no grupo B isto ocorreu em apenas 38,4% dos ensaios. CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a administração de lovastatina antes do episódio de isquemia protege a função renal. No grupo B, como a maior parte da fração mitocondrial isolada apresentou função acoplada à produção de ATP, deve-se também considerar a estabilização da membrana mitocondrial como parte da ação protetora da lovastatina na função renal durante isquemia e reperfusão.

Lovastatina; Mitocôndrias; Traumatismo por Reperfusão; Isquemia; Ratos


Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br