Acta Cirúrgica Brasileira, Volume: 21 Supplement 3, Published: 2006
  • Os fitoterápicos e seu potencial na cicatrização em cirurgia Editorial

    Malafaia, Osvaldo; Campos, Antonio Carlos Ligocki; Torres, Orlando; Goldenberg, Saul
  • Evaluation of the use of raw extract of Jatropha gossypiifolia L. in the healing process of skin wounds in rats Artigo Original

    Santos, Manoel Francisco da Silva; Czeczko, Nicolau Gregori; Nassif, Paulo Afonso Nunes; Ribas-Filho, Jurandir Marcondes; Alencar, Bruno Leonardi Freire de; Malafaia, Osvaldo; Ribas, Carmen Australia Paredes Marcondes; Trautwein, Vagner Marcolin; Henriques, Gilberto Simeone; Maia, José Maria Ayres; Bittencourt, Ruy Carlos de Araújo

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: O uso de fitoterápicos na cicatrização de feridas cirúrgicas tem sido incrementado nos últimos anos com a busca de princípios ativos que desempenhe efetivo papel neste processo acelerando a recuperação cirúrgica. OBJETIVO: Avaliar os aspectos morfológicos do processo cicatricial de feridas cutâneas abertas de ratos com uso do extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. MÉTODOS: Utilizaram-se 60 ratos da linhagem Wistar. Em cada animal foi realizada uma ferida de 2 cm de diâmetro na região dorsal. Os animais foram distribuídos em dois grupos de 30: grupo Controle - sem tratamento e grupo Jatropha - aplicação de extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. Cada grupo foi subdividido em três subgrupos de 10 animais e avaliados no 7º, 14º e 21º dias do pós-operatório. Realizou-se estudo comparativo entre os dois grupos através da análise macroscópica, a planigrafia digital e análise histológica tendo como parâmetro a proliferação vascular, polimorfonucleares, mononucleares, proliferação fibroblástica, colagenização e reepitelização. RESULTADOS: Na evolução da ferida cutânea tanto no grupo controle como no grupo Jatropha houve exsudação plasmática com formação de crostas superficiais até o 7º dia. A partir dai houve espessamento da crosta e no 14º dia a crosta se destacou, evoluindo para tecido de granulação e epitelização completa no 21º dia com surgimento de novos pelos ao redor da lesão, em todos os animais. Houve ausência significativa da inflamação aguda no 21º dia pós-operatório do grupo Jatropha. Houve diferença significativa na intensidade da inflamação crônica, sendo mais intensa no 7º dia no grupo controle. A proliferação fibroblástica foi mais acentuada no 7º dia pós-operatório do grupo Jatropha, sendo semelhante no 14º e 21º dias pós-operatórios nos demais. A colagenização foi maior no 7º e 14º dias no grupo Jatropha. A re-epitelização foi significativamente melhor no 7º dia do grupo Jatropha. CONCLUSÃO: Embora mostrando melhora histológica com o uso da Jatropha, não ocorreu diferença significativa entre os grupos nas variáveis analisadas, na cicatrização das feridas cutânea de ratos ao término da avaliação.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: Phytotherapy is one of the research branches in the healing process of surgical wounds. PURPOSE: To analyze the morphological aspects of the healing process occurring in open skin lesions in rats under administration of raw extract from Jatropha Gossypiifolia L. METHOD: Sixty Wistar rats were utilized. A 2cm wound in diameter was done in each animal at the dorsal region. The animals were divided into two groups, each one consisting of 30 animals. Each group was subdivided into three subgroups of ten. They were analyzed in the 7th, 14th and 21st post-operative day. The two groups were compared through macroscopic analysis using digital planigraphy and histological examination. The microscopic parameters considered were the vascular proliferation, polymorph and mononuclear cells, fibroblastic proliferation, collagen and epithelium formation. RESULTS: Epitelization occurred in a same amount in all animals. There was no chronic inflamation on 21st day in the Jatropha group and also no difference in polimorphonuclear cells between the groups. The fibroblastic reaction was better on the 7th day in the Jatropha group and equal in the remaining ones. Colagenization was greater on 7th and 14th days in Jatropha and better re-epitelization occurred in the same group in the 7th day. CONCLUSION: Although with hystologic aspects favoring the Jatropha, no significant differences concerning to the macroscopic and microscopic aspects were observed among the skin wounds receiving raw extract Jatropha and those that received no treatment in the final evaluation.
  • Evaluation of the hydro-alcoholic Schinus terebinthifolius Raddi (Aroeira) extract in the healing process of the alba linea in rats Artigo Original

    Nunes Jr., José Aldemir Teixeira; Ribas-Filho, Jurandir Marcondes; Malafaia, Osvaldo; Czeczko, Nicolau Gregori; Inácio, Cristiano Machado; Negrão, Alexandre Wolanski; Lucena, Periguari Luiz Holanda de; Moreira, Hamilton; Wagenfuhr Jr., Jorge; Cruz, Jordan de Jesus

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Avaliar o processo de cicatrização da parede abdominal de ratos após a injeção intraperitoneal do extrato hidroalcóolico de Schinus terebinthifolius Raddi. MÉTODOS: Utilizaram-se 40 ratos da linhagem Wistar, distribuídos em dois grupos de 20 animais, cada um subdividido em dois subgrupos. Estes ratos foram mortos no 3º e 7º dias após a aplicação intraperitoneal do extrato. No grupo experimento, injetou-se uma única dose de extrato hidroalcoólico de Aroeira (100 mg por quilo de peso do animal) e no grupo controle uma única dose de solução salina isotônica a 0.9%. Após a morte dos animais, realizou-se o inventário da cavidade peritoneal à procura de aderências, seguido da ressecção da parede abdominal anterior englobando a ferida operatória para análise. As aderências foram classificadas pelos critérios de adesão de Nair. Realizou-se avaliação tensiométrica da parede abdominal através da medida da carga máxima suportada e da deformação máxima, medidos em máquina universal de ensaios do tipo Tiratest. Por fim, a avaliação histológica foi realizada através da coloração hematoxilina-eosina, com análise dos parâmetros: inflamação aguda, inflamação crônica, necrose isquêmica, reação gigantocelular do tipo corpo estranho, proliferação fibroblástica, fibrose, reepitelização e coaptação das bordas da sutura. RESULTADOS: A avaliacão macroscópica não revelou presença de aderências significativas entre a linha alba e as vísceras intra-abdominais nos grupos de estudo. A tensiometria demonstrou aumento significativo das variáveis carga máxima e deformação máxima (p=0,006 e p=0,000 respectivamente) entre os grupos controle e experimento de sete dias. A avaliação histológica intergrupos (controle e experimento) de três e sete dias não demonstrou alteração significativa para os parâmetros neoformação vascular, necrose, fibrose, reepitelização e coaptação das bordas da sutura. Notou-se diferença significativa para proliferação fibroblástica (p=0,014) na avaliação intergrupo de três dias, e para inflamação crônica (p=0,023) e reação gigantocelular do tipo corpo estranho (p=0,008) na avaliação intergrupo de sete dias. Na análise intragrupo controle, houve diferença significativa para inflamação crônica no subgrupo três dias, e, finalmente, na análise intragrupo experimento, observou-se diferença significativa para inflamação aguda e proliferação de fibroblastos (p=0,001 e p=0,020) no subgrupo de três dias em relação ao subgrupo de sete. CONCLUSÃO: A injeção intraperitoneal do extrato hidroalcoólico de Schinus terebinthifolius Raddi em laparotomias medianas de ratos não alterou a cicatrização na análise macroscópica e induziu a aumento da carga máxima de ruptura e deformação máxima da linha alba na análise tensiométrica. Na análise histológica, determinou efeito cicatrizante no subgrupo de animais experimento de três dias.

    Abstract in English:

    PURPOSE: To evaluate the healing process in the abdominal wall of rats after the intra-peritoneal injection of the hydro-alcoholic Schinus terebinthifolius Raddi extract. METHODS: Forty Wistar rats were used, distributed in two groups of 20 animals, divided into two subgroups, according to the death day, three or seven, after the intra-peritoneal injection of the extract. The experimental group was injected with only one dose of the hydro-alcoholic Aroeira extract (100mg per animal kilogram); the control group was injected with only one dose of isotonic saline solution at 0.9%. After the animal death, an inventory of the peritoneal cavity was carried out in a careful search for any adhesion, followed by the resection of the anterior abdominal wall encompassing the operating incision in order to examine it for evidence of infection. The adhesions were classified according to the Nair criteria. The tensiometric assessment was performed by means of the measurement of the maximum charge and maximum deformity tolerated, measured in a universal Tiratest type testing machine and, finally, the histological evaluation was performed by means of the hematoxylin-eosine staining in following parameters: severe inflammation, chronic inflammation, ischemic necrosis, gigantocellular reaction of the foreign body type, fibroblastic proliferation, fibrosis, re-epithelization and co-optation of the suture borders. RESULTS: The macroscopic evaluation didn't have any evidence of significant adherence between the alba linea and the intra-abdominal viscera in the study groups. The tensiometry showed significant effect for the Maximum Charge and Maximum Deformity (p=0.006 and p=0.000, respectively) between the 7-day control and experimental groups. The histological 3-day and 7-day control and experimental intergroup evaluation did not show significant alteration for the parameters vascular neoformation, necrosis, fibrosis, re-epithelization and co-aptation. A significant difference was perceived for fibroblastic proliferation (p=0.014) in the 3-day intergroup evaluation and for chronic inflammation (p=0.023) and gigantocellular reaction of the foreign body type (p=0.008) in the 7-day intergroup evaluation. The control intragroup analysis, had a significant difference for chronic inflammation in the 3-day group and, finally, in the experimental intragroup analysis, a significant difference was observed for acute inflammation and fibroblastic proliferation (p=0.001 and p=0.020) in the 3-day regarding the 7-day group. CONCLUSION: The intraperitoneal injection of the Schinus terebinthifolius Raddi hydro-alcoholic extract in median laparotomies in rats has not determined any significant alteration in the macroscopic analysis, but it induced an increase of maximum charge of rupture and maximum deformity of the alba linea in the tensiometric analysis. In the histological point of view, the Aroeira group had a positive healing effect on the 3-day.
  • Extract of Passiflora edulis in the healing of colonic anastomosis in rats: a tensiometric and morphologic study Artigo Original

    Bezerra, José Antonio Ferreira; Campos, Antonio Carlos L.; Vasconcelos, Paulo Roberto Leitão de; Nicareta, Jean Ricardo; Ribeiro, Elaine Rossi; Sebastião, Ana Paula Martins; Urdiales, Akihito Inca A.; Moreira, Marlus; Borges, Alessandra Miguel

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: Pesquisas de novas substâncias com finalidades terapêuticas têm sido realizadas procurando isolar, extrair ou purificar novos compostos de origem vegetal. A Passiflora edulis (maracujá), espécie pertencente à família Passifloracea, originária das regiões tropicais e subtropicais do continente americano, é popularmente usada como sedativo, analgésico e antinflamatório e no tratamento de lesões cutâneas, feridas e erisipelas. OBJETIVO: Avaliar a cicatrização de anastomoses colônicas em ratos, que receberam extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis no trans-operatório. MÉTODOS: Foram utilizados 40 ratos Wistar, distribuídos em dois grupos de 20 animais cada, denominados: grupo Passiflora (GP) e grupo controle (GC). Os ratos de cada grupo foram separados em dois subgrupos de 10 animais cada, avaliados no 3º e 7º dia do pós-operatório. O procedimento cirúrgico constou de secção da alça colônica esquerda, 5cm acima da reflexão peritoneal com preservação da arcada vascular e anastomose término-terminal em plano único. O grupo Passiflora recebeu dose única intraperitoneal do extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis na dose de 250 mg/Kg. O grupo controle recebeu dose única de solução salina intraperitoneal em volume igual ao GP. Os parâmetros avaliados foram: aspectos macroscópicos da parede e cavidade abdominal, aderências perianastomóticas, pressão de ruptura à insuflação de ar, reação inflamatória tecidual da anastomose que constou de polimorfonucleares, monomorfonucleares e proliferação fibroblástica. RESULTADOS: Os aspectos macroscópicos não apresentaram diferenças significantes entre os grupos. Não ocorreu nenhuma deiscência de anastomose nos grupos estudados. Com relação à pressão de ruptura à insuflação de ar, observou-se que a média foi significantemente maior no subgrupo que recebeu o extrato de Passiflora no 3º dia (P3), cuja pressão foi 42,6 ± 17,8 mmHg em comparação ao subgrupo controle (C3), cuja pressão foi 25,4 ± 14,1 mmHg, p=0,028. O mesmo não ocorreu no 7º dia, onde o subgrupo C7 apresentou pressão de ruptura de 187,3 ± 39,5 mmHg, enquanto o subgrupo P7, apresentou pressão de ruptura de 203,0 ± 50,0 mmHg, p=0,447. Na análise histológica, os polimorfonucleares foram mais freqüentes no subgrupo C3, em comparação ao subgrupo P3, com diferença significante (p=0,034). Os monomorfonucleares (MMN) e proliferação fibroblástica foram mais freqüentes no subgrupo P3, com diferença significante, onde p=0,02 para MMN, e p=0,001 para proliferação fibroblástica. No 7º dia, houve diferença significante em todas as variáveis histológicas coradas pela hematoxilina-eosina e Tricômico de Masson (p<0,05) no subgrupo que recebeu o extrato de Passiflora. CONCLUSÃO: A administração peroperatória do extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis influencia de forma significante na cicatrização das anastomoses colônicas em ratos.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: Investigation of new substances with therapeutic effects have been done trying to isolate, extract or purify new compounds of vegetable origin. The Passiflora edulis (maracujá) species from the Plassifloracia family, originated from the tropical and subtropical regions of the american continent, is found all over Brazil. It is commonly used as a sedative, painkiller and anti-inflammatory drug and also for the treatment of skin wounds, lesions and Erisipelae. PURPOSE: To evaluate the wound healing in colonic anastomosis in rats that received an hydro-alcoholic extract of Passiflora edulis peri-operatively. METHOD: 40 wistar rats were used distributed into two groups of 20 rats each, named: Passiflora edulis group (GP) and control group (GC). The rats of each group were separated into two subgroups of 10 animals each and were evaluated on the 3rd and 7th postoperative days. The surgical procedure consisted of a section of the left colon, 5 cm above the peritoneal reflexion with preservation of the vascular elements. Intestinal continuity was restored by an end-to-end single layer anastomosis. The Passiflora edulis group received an intraperitoneal application of the hydro-alcoholic extract in the dosage of 250 mg/kg. The control-group received one intraperitoneal dose of a saline with the same volume of the GP. The parameters evaluated were: macroscopic aspects of the wall and abdominal cavity, perianastomotic (adherences), bursting pressure, inflammatory tissue reaction on the anastomotic wound. RESULTS: The macroscopic aspects did not differ between the groups. No rupture in the anastomotic wound was seen in any rat. Regarding the bursting pressure, it was noticed that the average pressure was significantly higher in the subgroup that received the Passiflora edulis extract on the 3rd day (P3) (42,6 ± 17,8 mmHg vs. 25,4 ± 14,1 mmHg, p=0,028), as compared to the control sub-group (C3). However, on the 7th day, bursting pressure was similar in both groups (p=0.447). Rats from the C7 sub-group had a mean bursting pressure of 203,0 ± 50,0 mmHg vs. 187,3 ± 39,5 mmHg in the C7 sub-group. In the histologic analysis the polimorphic nuclear cells were more frequent in the C3 group, with significant differences (p=0,034). The monomorphic nuclear cells (MMN) and the fibrobastic proliferation were more frequent in the P3 sub-group with a significant difference, p=0,02 to MMN, and p=0,001 to the fibroblastic proliferation. On the 7th day there was a significant difference in all histologic criteria stained by hematoxin-eosin and Masson Trichomic (p<0,05) in the sub-group that received the Passiflora edulis extracts. CONCLUSION: The peri-operative administration of the hydro-alcoholic extract of Passiflora edulis has a positive influence on the healing of colonic anastomosis in rats.
  • Effect of watery extract of Orbignya phalerata (babassu) in the gastric healing in rats: morfologic and tensiometric study Artigo Original

    Batista, Clelma Pires; Torres, Orlando Jorge Martins; Matias, Jorge Eduardo F.; Moreira, Ana Tereza Ramos; Colman, Daniel; Lima, João Henrique Felício de; Macri, Matheus Martin; Rauen Jr., Rêmulo José; Ferreira, Lydia Masako; Freitas, Alexandre Coutinho Teixeira de

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: A utilização de plantas na prevenção e no tratamento de doenças é prática milenar. O babaçu (Orbignya phalerata) é uma palmeira nativa do meio norte do Brasil, tendo sua maior concentração no Estdo do Maranhão. O pó do mesocarpo do coco babaçu é popularmente conhecido como amido e tem sido usado como alimento e como medicamento por apresentar atividade antiinflamatória, imunomoduladora, analgésica e antipirética. OBJETIVO: Avaliar o efeito do extrato aquoso do mesocarpo de Orbignya phalerata na cicatrização do estômago em ratos, sob aspectos morfológico e tensiométrico. MÉTODOS: Quarenta ratos da linhagem Wistar, adultos, machos foram submetidos à incisão longitudinal de 1cm no corpo gástrico e síntese em plano único com pontos separados de polipropilene 6-0. Após este procedimento comum, os animais foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos, Orbignya (GO) e Controle (GC), contendo 20 animais cada. No GO utilizou-se dose única intra-peritoneal de extrato aquoso da planta na dose de 50mg/kg e no GC, água destilada, 1ml/kg de peso. Cada grupo foi dividido em dois subgrupos de 10, conforme o dia da morte dos animais, nos 3° e 7° dias do período pós-operatório. Após a morte, foi realizado o inventário da cavidade abdominal e procedeu-se a retirada do estômago, com posterior avaliação tensiométrica e análise miccccroscópica. Na análise comparativa entre os dois grupos utilizou parâmetros macroscópicos e microscópicos da cicatrização. RESULTADOS: Não foram detectados abscessos, fístulas ou hematomas em nenhum animal. Houve aderências abdominais nos animais dos 3° e 7° dias do período pós-operatório nos dois grupos. Houve deiscência da gastrorrafia em um rato do sub-grupo GO morto no 3º dia. A resistência à insuflação de ar atmosférico foi maior no GC de três dias (p=0,087). A análise dos parâmetros histológicos demonstrou diferença estatisticamente significativa apenas quanto à coaptação das bordas, favorecendo o sub-grupo GO de sete dias (p-0,000). CONCLUSÃO: O extrato aquoso do mesocarpo de Orbignya phalerata, na dose e via de acesso utilizadas, favoreceu a coaptação das bordas da gastrorrafia nos animais mortos no 7º dia do período pós-operatório.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: The large use of plants in the prevention and treatment of different diseases is a milenar practice. In Brazil due to it's rich flora there is a huge material for research and use in popular medicine. The babassu (Orbignya phalerata) is a native tree from North of the Brazil and has a high concentration at the State of Maranhão. The powder of it's mesocarp is known as amid, and has been used as meal and medication due to the known activity against antiflammatory reaction, pain, pyrexia and immunomodulation. PURPOSE: To analyze the effect of mesocarp of Orbignya phalerata (babassu) in gastric wound healing in rats under morphologic and tensiometric aspects. METHOD: Forty Wistar rats, male, adults were submitted to a longitudinal incision of 1 cm in the gastric body and sutured with separated stitches of polypropilene 6.0. After this common procedure the animals were allocated in the aleatory way in two groups Orbignya (GO) and Control (GC) with 20 animals each one. In the GO was used intraperitoneal doses of 50mg/kh of Orbignya phalerata extract and in the GC water 1ml/Kg. Each group was divided in two subgroups of ten rats according to the period of death, at 3rd and 7th post-operative days. After the death, the abdominal cavity was evaluated and the stomach withdrawn. For the comparative analysis between the groups the macroscopic and histological parameters of wound healing were utilized. RESULTS: There were no abscess, fistulae and haematom in the animals of the study. Abdominal adhesions were observed in both groups of the animals at 3rd and 7th post-operative days. Dehiscence of the gastrorraphy was identified in one 3rd day rat of subgroups GO. The resistance to air insufflation was higher in GO 3rd day (p=0,087). The analysis of histological parameters showed statistical difference related to wound coaptation in favor to subgroup GO 7th post-operative day. CONCLUSIONS: The extract of mesocarp of Orbignya phalerata in dose and path utilized positively interfered on the gastrorraphy when compared with control group in animals at 7th post-operative day.
  • Surgical blader wounds treated with Orbignya phalerata aqueous extract: controlled study in rats Artigo Original

    Ferreira, Eduardo de Castro; Matias, Jorge Eduardo F.; Campos, Antonio Carlos L.; Tâmbara Filho, Renato; Rocha, Luiz Carlos de Almeida; Timi, Jorge Rufino Ribas; Sado, Heitor Naoki; Sakamoto, Danielle Giacometti; Tolazzi, André Ricardo D.; Soares Filho, Mario de Paula

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: A cicatrização constitui processo complexo, envolvendo diferentes sistemas biológicos e imunológicos, sendo essencial para manter a integridade do organismo. Três fases bem definidas ocorrem: inflamatória, proliferativa e maturação. Falha ou prolongamento em uma delas pode resultar em retardo ou ausência da cicatrização. OBJETIVO: Analisar comparativamente as alterações histológicas proporcionadas pelo uso do extrato aquoso da Orbignya phalerata na cicatrização de lesões cirúrgicas da bexiga. MÉTODOS: Quarenta ratos da linhagem Wistar, adultos e machos foram utilizados. O procedimento experimental constituiu-se em incisão longitudinal de 2cm na bexiga e síntese em plano único com pontos separados de poliglactina 910 cinco zeros. Após este procedimento comum, os animais foram distribuídos aleatoriamente em dois subgrupos contendo 20 animais cada. No grupo controle não foi utilizada a substância Orbignya phalerata. No grupo-experimento utilizou-se solução aquosa de Orbignya phalerata na dose de 50mg/kg por via intraperitoneal. Os animais foram acompanhados e mortos em três e sete dias. Foi feita análise histológica comparativa entre os grupos. RESULTADOS: Os resultados mostraram que foi observada diferença estatística significante nas variáveis neoformação (p= 0,001) e proliferação fibroblástica (p= 0,010) nos subgrupos controle e experimento do 3º dia. Ainda no grupo experimento a neoformação capilar foi mais intensa que no grupo controle, apresentando significância estatística. No grupo de sete dias observou-se que as variáveis inflamação aguda (p= 0,001), inflamação crônica (p= 0,002) e proliferação fibroblástica (p=0,023) apresentaram significância estatística, sendo bem evidente a inflamação aguda no grupo controle. CONCLUSÃO: Foi observada homogeneidade no fator tempo da cicatrização nos grupos experimento e controle sendo mais rápida no grupo experimento. Houve efeito favorecedor cicatrizante na utilização do extrato aquoso do mesocarpo da Orbignya phalerata na bexiga do ratos.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: Wound healing is a complex process that deals with different biological and immunological systems and is essential to keep the organism integrity. Three well-defined phases occur: inflammatory, proliferative and maturation. A failure or lengthy phase may result in a delay or absence of it. PURPOSE: The aim of this paper is to analyse comparatively the histological alteration provided by the use of the aqueous extract of Orbignya phalerata, in the healing process of bladder surgical wounds. METHODS: Forty adult, male Wistar rats were used. The experimental procedure consisted of a longitudinal 2cm long bladder incision and single layer interrupted suture of 5-0 poliglactine 910. Post-operatively, the rats were randomly divided into two groups of 20. The substance was not used in the control group. The Orbignya phalerata aqueous solution was used in the study group. The animals were observed and killed three and seven days later. Comparative histological analysis was accomplished between the groups. Resuts: Significant statistical differences were observed in the neo-formation variables (p= 0,001), chronic inflammation (p= 0,002) and fibroblastic proliferation (p= 0,023). Acute inflammation was very evident in the control group. CONCLUSION: The time factor of wound healing showed homogeneity between experimental and control groups, however faster in the experimental one. The Orbignya phalerata had a favoring healing effect in the surgical incision on rats bladder.
  • Comparative study of the healing process of gastrorrhaphies with and without the use of Jatropha gossypiifolia L. (bellyache bush) extract in rats Artigo Original

    Vale, José de Ribamar; Czeczko, Nicolau Gregori; Aquino, José Ulcijara; Ribas-Filho, Jurandir Marcondes; Bettega, Luciano; Vasconcelos, Paulo Roberto Leitão de; Correa Neto, Mario Adolfo; Nassif, Paulo Afonso Nunes; Mazza, Marcelo; Henriques, Gilberto Simeone

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO:A cicatrização do trato gastrintestinal é de grande importância na história da cirurgia, buscando-se tipos de fios e pontos apropriados e os diversos fatores que a influenciam. O uso de fitoterápicos como aceleradores da cicatrização tem sido feito por muitos anos sendo objetivo atual de pesquisas para a comprovação científica dessas propriedades terapêuticas. OBJETIVO: Avaliar o uso do extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. na cicatrização de gastrorrafias em ratos. MÉTODOS: Foram utilizados 40 ratos Wistar, machos, divididos em dois grupos de 20, denominados de grupos controle e Jatropha. Dez animais de cada grupo foram mortos no 3º dia pós-operatório e denominados subgrupos controle e Jatropha do 3º dia e os 10 restantes de cada grupo foram mortos no 7º dia com a mesma denominação do 7º dia. Em cada animal foi realizado gastrotomia e gastrorrafia em plano único com fio polipropileno 6-0 (Prolene®, Ethicon). Os animais do grupo Jatropha receberam dose única de 200mg/Kg do extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L via intraperitoneal no dia do procedimento e os do grupo controle a mesma quantidade em mililitros de solução salina (cloreto de sódio à 0,9%). Foram avaliados os seguintes parâmetros: 1) alterações macroscópicas; 2) a resistência à insuflação de ar atmosférico (pressão de ruptura) da sutura; 3) características histológicas. RESULTADOS: Não houve morte dos animais na evolução clínica, ocorrendo boa cicatrização da parede abdominal, com ausência de sinais de infecção, deiscência, abscessos ou peritonites. A cicatrização da superfície serosa foi considerada boa em todos os animais, não ocorrendo fístulas, porém, as aderências intra-peritoneais ocorreram em sete ratos do subgrupo controle e nove do subgrupo Jatropha do 3º dia pós-operatório e em nove do subgrupo controle e oito do subgrupo Jatropha do 7º dia, não havendo diferenças estatisticamente significantes entre os grupos. A cicatrização da superfície mucosa foi classificada como boa em todos os animais. A resistência das gastrorrafias à insuflação de ar atmosférico demonstrou aumento estatisticamente significante da pressão de ruptura no grupo Jatropha do 3º dia de observação. A avaliação histológica demonstrou diferenças estatisticamente significantes, quanto aos critérios, reação inflamatória aguda menor e coaptação das bordas maior no subgrupo Jatropha do 7º dia pós-operatório em relação ao grupo controle do mesmo período. CONCLUSÃO: O extrato bruto de Jatropha gossypiifolia L. favorece a cicatrização no 3º dia pós-operatório em relação à maior resistência das gastrorrafias à pressão de ruptura, e no 7º dia com melhor coaptação das bordas e reduzindo reação inflamatória aguda à microscopia.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: The healing process of the gastrointestinal tract is of huge importance in the surgical field history, as well as the search for appropriate types of threads and suture techniques and the many factors that influence it. The use of phytotherapic drugs as accelerators of the healing process has been done for many years and is one of the current objectives of scientific researches trying to prove its therapeutic properties. PURPOSE: To evaluate the use of Jatropha gossypiifolia L. extract on the healing process of gastrorraphies in rats. METHODS: Forty wistar male rats were divided in 2 groups of 20 rats, named control and Jatropha groups. Ten animals of each group were killed in the third day post-surgery and were named control and Jatropha groups of the 3rd day. The remaining 10 animals of each group were killed in the seventh day and were named accordingly for the 7th day. In each animal, gastrostomy and gastrorraphy were performed in a single plane using polypropylene thread 6-0 (Prolene). The animals from the Jatropha group were given a single dose of 200 mg/kg of the Jatropha gossypiifolia L. extract intraperitoneally on the same day of the procedure and the ones from the control group were given the same quantity in milliliters (ml), but of saline solution (sodium chloride 0.9%). The following parameters were evaluated: 1) macroscopic alterations; 2) the suture's resistance to atmospheric air insufflation (pressure of rupture); 3) histologic characteristics. RESULTS: No animal died during the clinical follow-up and optimal healing of the abdominal wall was seen without any signs of infection, dehiscence, abscesses or peritonitis. Healing of the serous surface was considered good in all animals, without occurrence of fistulas; however, intraperitoneal adhesions occurred in 7 rats of the sub-group control and 9 of the sub-group Jatropha on the 3rd day post-operative and in 9 of the sub-group control and 8 of the sub-group Jatropha on the 7th day, but the differences were not statistically significant between the groups. Healing of the mucous surface was classified as good in all the animals. The resistance of the gastrorraphies to the atmospheric air insufflation showed statistically significant increase of the rupture pressure in the Jatropha group during the 3rd day of observation. Histologic evaluation showed differences that were statistically significant, considered the criteria, as well as reduced acute inflammatory reaction and better coaptation of the edges in the sub-group Jatropha of 7th post-surgery, when comparet to the sub-group control of the same period. CONCLUSION: The raw extract of Jatropha gossypiifolia L. aids the healing on the 3rd day post-surgery, concerning the enhanced resistance of the gastrorraphies to pressure of rupture, and on the 7th day, presenting better coaptation of the edges and reducing acute inflammatory reaction by microscopic analyses.
  • Schinus terebinthifolius Raddi and it's influence in the healing process of colonic anastomosis: experimental study in rats Artigo Original

    Coutinho, Itágores Hoffman I. Lopes Sousa; Torres, Orlando Jorge Martins; Matias, Jorge Eduardo F.; Coelho, Júlio Cezar U.; Stahlke Júnior, Henrique Jorge; Agulham, Miguel Ângelo; Bachle, Ênio; Camargo, Paulo Antonio Monteiro; Pimentel, Silvânia Klug; Freitas, Alexandre Coutinho Teixeira de

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: A cicatrização é evento biológico complexo envolvendo inflamação, quimiotaxia, proliferação celular, diferenciação e remodelação. Na medicina popular brasileira, utiliza-se a Aroeira para tratar as mais diversas situações patológicas No Estado do Maranhão - Brasil, a Aroeira é extensivamente utilizada no tratamento de afecções do aparelho respiratório, digestivo e ginecológico. As anastomoses intestinais sempre foram motivo de preocupação para cirurgiões e constituem, até hoje assunto polêmico e repleto de controvérsias. Entre as causas de insucesso da anastomose intestinal destacam-se as fístulas e deiscências. OBJETIVO: Avaliar o efeito do extrato hidroalcoólico de Aroeira (Schinus terebinthifolius Raddi) no processo de cicatrização de anastomoses colônicas em ratos. MÉTODOS: Foram utilizados 40 ratos da linhagem Wistar divididos em dois grupos (grupo Aroeira e grupo controle), aleatoriamente, composto de 20 animais cada, de acordo com o tratamento recebido (extrato da Aroeira ou solução salina a 0,9%) após a anastomose, e subdividiu-se cada grupo em dois subgrupos (C3 e C7 e A3 e A7,) de acordo com o dia de eutanásia (ao 3º e 7º dias). As variáveis utilizadas para mensuração foram: análise macroscópica, microscópica e tensiométrica. As interações entre os grupos foram analisadas pelo teste não-paramétrico de Mann-Whitney. RESULTADOS: Quanto ao grau de adesão, não foi observado diferença significativa entre os grupos Aroeira e controle tanto no 3º quanto no 7º dia. Quando se comparam os subgrupos do ponto de vista microscópico no 3º dia, a diferença entre o grupo que recebeu o extrato da Aroeira e o grupo controle foi significativa nas variáveis congestão (p = 0,005), polimorfonucleares (p = 0,034), mononucleares (p = 0,023), proliferação fibroblástica (p = 0,023) e na fase de cicatrização (p = 0,001). Na análise do 7º dia, todas as variáveis da análise microscópica foram significativas o que levou a 100% dos ratos do grupo Aroeira apresentarem inflamação crônica contra 20% do grupo controle. Em relação ao teste de pressão de ruptura, não houve diferença estatisticamente significante entre os grupos controle e Aroeira. CONCLUSÃO: Observou-se efeito favorável da Aroeira, a nível microscópico, no processo de cicatrização de anastomoses de cólon.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: The healing is a complex biological event that involves inflammation, chemotaxis, cells proliferation, differentiation and remodelation. In Brazilian popular medicine, the "Aroeira" is used to treat different situations The anastomotic healing is always a preoccupation among surgeons. The fail in intestinal anastomosis leads to fistulas and dehiscences. PURPOSE: To evaluate the effect of the hidroalcoholic extract of Schinus terebinthifolius Raddi (brazilian peppertree) in the healing of colonic anastomosis. METHODS: Forty Wistar rats were randomly divided in two groups (Aroeira and control), each one with 20 animals, according to the treatment received after the anastomosis (Aroeira extract or saline solution 0,9%) and each group was divided in two subgroups (C3 and C7 and A3 and A7,) according to the euthanasia day (at 3rd and at 7th). The macroscopic, microscopic and bursting pressure measurements were performed. To evaluate the groups, the non-parametric test of Mann-Whitney was applied. RESULTS: In the macroscopic aspects, there was no significant difference between the Aroeira and the control group, both at the 3rd and the 7th days. When compared the subgroups of microscopic analysis at the 3rd day, the difference between the Aroeira and the control group was significant in the variables congestion (p = 0,005), polymorphonuclears (p = 0,034), mononuclears (p = 0,023), fibroblastic proliferation (p = 0,023) and at the healing stage (p = 0,001). At the 7th day analysis, the difference between the Aroeira and the control group was significant in all the variables of microscopic analysis. No significant differences were found in the bursting pressure. CONCLUSION: It was observed a favorable effect of Aroeira, at microscopic level, in the healing process of colonic anastomosis.
  • Extract from Passiflora edulis on the healing of open wounds in rats: morphometric and histological study Artigo Original

    Garros, Inaldo de Castro; Campos, Antonio Carlos L.; Tâmbara, Elizabeth Milla; Tenório, Sérgio Bernardo; Torres, Orlando Jorge Martins; Agulham, Miguel Ângelo; Araújo, Allan Cezar Faria; Santis-Isolan, Paola Maria Brolin; Oliveira, Rohnelt Machado de; Arruda, Elaine Cristina de Moraes

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: Nas regiões interioranas do Brasil o cataplasma feito com folhas de Passiflora edulis tem sido usado pela população como cicatrizante, para tratar infecções e inflamações cutâneas, sem a comprovação científica dos seus potenciais benefícios. OBJETIVO: Avaliar a cicatrização de feridas abertas em ratos com a aplicação tópica de extrato hidroalcoólico de Passiflora edulis. MÉTODOS: Foram utilizados 60 ratos da linhagem Wistar, machos, adultos, divididos em dois grupos: o grupo Passiflora e o grupo Controle. Os animais do primeiro grupo foram tratados com o extrato de Passiflora edulis, e os do segundo grupo, com água destilada. A aplicação diária do extrato e da água destilada foi realizada sobre ferida circular padronizada de 2cm de diâmetro na região dorsal de cada animal. A avaliação da ferida foi feita do ponto de vista macro e microscópico nos períodos pré-determinados (7º, 14º e 21º dias). Fez-se a análise macroscópica da evolução do aspecto da lesão e medida da retração cicatricial da ferida, por planimetria digital. O estudo histológico em lâminas coradas pela Hematoxilina-Eosina e Tricômico de Masson considerou os parâmetros de elementos celulares inflamatórios incluindo colagenização e reepitelização. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significante entre as áreas cirúrgicas das feridas tratadas com Passiflora edulis e o grupo Controle; entretanto, histologicamente houve colagenização significantemente maior no 14º dia de pós-operatório nos animais do grupo Passiflora (p = 0,012). CONCLUSÕES: O uso tópico do extrato de Passiflora edulis não apresenta macroscopicamente efeito significativo na cicatrização de feridas na pele de ratos; entretanto microscopicamente apresenta aumento da proliferação fibroblástica no 7º dia e colagenização maior no 14º dia de pós-operatório.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: In Brazilian countryside, cataplasm made from Passiflora edulis leaves has been used by the population as a healing agent for infections and skin inflammations in an empiric basis. PURPOSE: the aim of this work was to evaluate the healing process of open wounds in rats, in which Passiflora edulis hydro-alcoholic extract was applied. METHODS: Sixty male, adult Wistar rats were divided into two groups: Passiflora group and Control group. Rats of the first group were treated with Passiflora edulis extract, and those of the second group received distilled water. The daily application of the extract or distilled water was carried out on a 2 cm diameter standardized circular wound on the dorsal region of each animal. Wound assessment was performed macroscopically and microscopically on the 7th, 14th, and 21st postoperative days. Microscopic analysis included hematoxylin-eosine and Masson Trichromium stains, evaluating inflammatory response, fibroplasia and collagen deposition. The wound retraction was evaluated by digital planimetry. RESULTS: No significant difference in the rate of wound healing was detected comparing both groups. However, a significant increase in the number of fibroblastic cells was seen on the 7th PO day, and significantly greater collagen deposition was observed on the 14th day PO day in rats from the Passiflora group (p=0,012). CONCLUSIONS: The application of the Passiflora edulis extract does not accelerate the healing process of open wounds in rats, but is associated with increased number of fibroblastic cells on 7th P.O. day and greater collagen deposition on the 14th PO day.
  • Healing process in cutaneous surgical wounds in rats under the influence of Orbignya phalerata aqueous extract Artigo Original

    Martins, Nelson Lúcio Parada; Malafaia, Osvaldo; Ribas-Filho, Jurandir Marcondes; Heibel, Marcel; Baldez, Raimundo Nonato; Vasconcelos, Paulo Roberto Leitão de; Moreira, Hamilton; Mazza, Marcelo; Nassif, Paulo Afonso Nunes; Wallbach, Tatiana Zacharow

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: A cicatrização das feridas é processo altamente complexo com várias fases. Inúmeras substâncias têm sido usadas desde os tempos remotos para estimulá-la. Entre elas, o extrato da Orbignya phalerata com possível ação estimulante da cicatrização. OBJETIVO: verificar a ação cicatrizante da Orbignya phalerata na cicatrização das feridas cirúrgicas da pele através de análise comparativa das alterações histológicas e morfológicas. MÉTODOS: Foram utilizados 60 ratos, da linhagem Wistar, adultos e machos. Para o experimento, eles foram distribuídos de forma aleatória em dois grupos de 30 cada e usada a substância Orbignya phalerata intraperitoneal na dose de 50 mg/Kg, no primeiro dia da operação em um dos grupos. O procedimento experimental constituiu-se em incisão cutânea circular de dois centímetros de diâmetro com punch metálico. No grupo controle não foi usada a substância. Os ratos foram mortos nos 7°, 14°, 21° dias do pós-operatório. Realizou-se a análise macroscópica com lupa e paquímetro, para avaliação da evolução do aspecto da lesão cicatricial e morfométrica da ferida feita por análise histológica; as lâminas foram coradas com Hematoxilina-Eosina (HE) e tricrômio de Masson e observaram-se a proliferação vascular, células mononucleares, células polimorfonucleares, proliferação fibroblástica, fibras colágenas e reepitelização. RESULTADOS: Mostraram na macroscopia dos animais do grupo experimento de sete dias que um apresentou pequena quantidade de secreção sem outras alterações dignas de nota; nos animais de 14 dias identificou-se todos com ferida de bom aspecto; nos de 21 dias, foi observada a presença de cicatrização completa em todos os animais. Quanto à análise histológica, houve diferença significativa entre os grupos nas variáveis monocelulares e fibras colágenas em todos os dias, e no 7º dia foi observada diferença significativa na proliferação fibroblástica e reepitelização. CONCLUSÃO: observou-se efeito favorável do extrato aquoso do mesocarpo do babaçu em nível microscópico do processo de cicatrização, nas variáveis mononucleares e fibras colágenas, em todos os dias e entre os grupos.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: The wounds healing is a highly complex process with many phases. Countless substances have been used since the remote times with the purpose a simulating the process. Among them the Orbignya phalerata extract was considered as having a stimulating action. PURPOSE: The aim of this study is to verify the healing action of the Orbignya phalerata in the healing of skin surgical wounds by a comparative analysis of the alterations obtained in histological and morphologic aspects. METHODS: Sixty male adult Wistar rats were used. They were distributed in a randomly in two groups of 30 each and, in one group, Orbignya phalerata extrac was used intraperitoneally in a dose of 50 mg/Kg in the first day of surgery. The experimental procedure consisted in a circular incision of two centimeters of diameter with metallic punch. In the control group the substance was not used. The rats were killed in the 7th, 14th, 21st days of the post-operative period and submitted to macro and microscopic analysis. The macroscopic one was made with magnifying glass and paquimeter. For the histological analysis, the sheets were processed with Hematoxilina-Eosina (HE) and tricromic of Masson and slides the vascular proliferation, monucleares cells, polimorfonuclear cells, fibroblastic proliferation, colagens fibers and reepitelization were assined. RESULTS: In the macroscopic view the experimental group of seven days had only one animal with small amount of secretion. In the animals of 14 days all of them had good aspect. The ones of 21 days, complete healing was observed in all animals. In the histological analysis, there was no significant difference among groups, except for the 7th day with significant difference in the fibroblastic proliferation and reepitelization favoring the experimental group. CONCLUSION: A favorable effect of the aqueous extract of babassu mesocarp was observed in a microscope analysis in the healing process of cutaneous surgical wounds in rats.
  • Analysis of healing in the Alba Linea with the use of Orbignya phalerata (babassu) water extract: controlled study in rats Artigo Original

    Brito Filho, Sebastião Barreto de; Matias, Jorge Eduardo F.; Stahlke Júnior, Henrique Jorge; Torres, Orlando Jorge Martins; Timi, Jorge Rufino Ribas; Tenório, Sérgio Bernardo; Tâmbara, Elizabeth Milla; Carstens, Ângelo G.; Campos, Richard Vieira; Myamoto, Márcio

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: O mesocarpo do babaçu (Orbignya phalerata) tem sido utilizado em estudos experimentais para verificar a sua ação antiinflamatória. No Maranhão, é muito utilizado como alimento e como remédio popular para cicatrização de ferimentos. OBJETIVO: Avaliar macroscópica, histológica e tensiometricamente, a ação do extrato de Orbygnia phalerata no processo de cicatrização de laparotomias medianas em ratos. MÉTODOS: Quarenta ratos da linhagem Wistar, adultos, machos, foram utilizados em procedimento experimental que consistiu em uma incisão na linha alba e síntese em plano único com pontos separados de fio de polipropileno 5-0. Após esse procedimento comum, os animais foram distribuídos em dois grupos de 20. Ao grupo chamado controle, foi utilizado injeção intraperitoneal, em dose única de 1mL de soro fisiológico para cada quilo de peso. Ao grupo experimento, utilizou-se solução aquosa de babaçu na dose de 50 mg por quilo de peso. Os animais foram acompanhados e mortos após três e sete dias, procedendo-se, a seguir, à análise tensiométrica e histológica. RESULTADOS: O exame macroscópico não mostrou presença de aderências importantes entre a linha alba e os órgãos intra-abdominais nos grupos de estudo. A avaliação histológica mostrou efeito marginalmente significativo (p=0,086) para inflamação aguda nos grupos controle e experimento de três dias e efeito significativo (p=0,003) para a reação gigantocelular (p=0,003). Diferença significativa (p-=0,023) foi observada para inflamação aguda no grupos controle experimento de sete dias. Na análise intra-grupo (controle três e sete), foi observado efeito marginalmente significativo (p=0,094 e p=0,05) respectivamente para as variáveis inflamação aguda e crônica. Na análise somente entre os grupos experimentos, as variáveis reação gigantocelular (0,002) e colagenização (0,016) apresentaram resultado significativo. A avaliação tensiométrica mostrou diferença significativa em relação ao grupo experimento de sete dias, que ofereceu melhor resistência do que os outros grupos. CONCLUSÃO: As avaliações histológica e macroscópica não mostraram diferenças significativas entre o extrato e a solução salina; quanto à tensiométrica, o grupo experimento de sete dias apresentou diferença significativa em relação ao grupo controle de mesmo período de pós-operatório, sugerindo indícios de que o uso do extrato administrado intraperitonealmente favorece o processo de cicatrização.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: The babassu mesocarp (Orbignya phalerata) has been used in experimental research studies focused on its antiinflammatory action. In state of Maranhão - Brazil it is widely used not only as food, but also as popular medicine in wound healing process. PURPOSE: To evaluate the action of Orbignya phalerata extract in macroscopic, histologicic and tensiometric aspects in the healing process of median laparotomy in rats. METHODS: Forty male adult Wistar rats were submitted to an incision in the alba linea, sutured back in one plan with separated stitches of polypropilene 5-0. After regular procedure, the animals were divided into two groups of 20 rats each. To the group named control an intraperitoneal, dose of 1,0 ml of saline solution per kilogram of body weight was done. To the experimental group, the same thing was also done, but instead of saline solution it was injected water solution of babassu, in a dose of 50 mg/kg. The animals were observed in the following days. All of them were killed within a three and seven day post-operative period schedule, and then a histological and tensiometric analysis was carried out. RESULTS: On macroscopic examination no relevant adherence, between the alba linea and the abdominal organs in the study groups, was found. Histological evaluation presented marginal significant effects (p=0,86) to acute inflammation and significant effects (p=0,003) to giant cell reaction in both control and experimental three days groups. Significant difference was observed to acute inflammation in both seven days control and experimental groups. In the intragroup analysis (control three and seven) some marginal significant effect was in relationship to acute and chronic inflammation. In the interexperimental groups analysis, only the giant cell reactions (0,002) and colagenization had significant results. The tensiometric evaluation showed in the seven day experimental group more resistence then others. CONCLUSION: The macroscopic and histological evaluation didn't show any significant difference between the experimental and control groups, but the tensiometric evaluation at the 7th day experimental group had significant difference compared to the control group, signalizing that the use of the extract of babassu intraperitoneally injected can improve the healing process.
  • Effects of Jatropha gossypiifolia L. (bellyache bush) extract on the healing process of colonic anastomosis: experimental study in rats Artigo Original

    Servin, Santiago Cirilo Nogueira; Torres, Orlando Jorge Martins; Matias, Jorge Eduardo F.; Agulham, Miguel Ângelo; Carvalho, Fábio Augusto de; Lemos, Ricardo; Soares, Emerson Wander Silva; Soltoski, Paulo Roberto; Freitas, Alexandre Coutinho Teixeira de

    Abstract in Portuguese:

    INTRODUÇÃO: A fitoterapia vem despertando crescente interesse na comunidade científica em relação às suas potenciais propriedades cicatriciais. Poucos são os estudos com metodologia científica existentes na literatura, constituindo-se assim um campo aberto para novas investigações. OBJETIVOS: Analisar a ação da Jatropha gossypiifolia L. (pião roxo) na cicatrização de anastomose colônica em ratos. MÉTODOS: Quarenta ratos Wistar foram submetidos à secção de toda a circunferência do cólon, sendo logo anastomosada com oito pontos separados usando fio monofilamentar de polipropileno 6-0. Aleatoriamente, os animais foram distribuídos em grupo controle (GC), contendo 20 ratos, nos quais foi administrada solução de cloreto de sódio a 0,9% por via intraperitoneal (1ml/kg) e grupo Jatropha (GJ), também com 20 nos quais foi administrado o extrato hidroalcoólico de Jatropha gossypiifolia L. por via intraperitoneal (1ml/kg). Cada um dos grupos foi subdividido em dois subgrupos de dez animais de acordo com a data de sacrifício, três e sete dias (GC3/ GC7 e GJ3/GJ7). Após o sacrifício foi retirada parte do cólon compreendendo 1 cm acima e abaixo da anastomose e submetido ao teste de resistência à insuflação de ar atmosférico. A seguir, foi aberta e retirada uma porção de 1,0 x 0,5cm de tamanho colocada em formol a 10% para análise histológica, na qual foram usadas a coloração de Hematoxilina-Eosina e o Tricrômico de Masson. RESULTADOS: Na avaliação do teste de pressão de ruptura entre os grupos houve significância estatística quando avaliados em relação à data de sacrifício Assim no terceiro dia a média no GC (25,4 mmHg.) e no GJ (76,4 mmHg.) estabeleceu p = 0.013, e no sétimo dia a média no GC (187,3 mmHg.) e no GJ (135,1 mmHg.) estabeleceu p = 0.014. Ao analisar as variáveis microscópicas entre os grupos no 3º dia, somente não houve diferença significativa nas variáveis edema e polimorfonucleares. Já no 7º dia todas as variáveis analisadas apresentaram diferença significativa. CONCLUSÕES: Na resistência mecânica pôde-se concluir que houve influência positiva da jatropha na aquisição de força na anastomose no terceiro dia. Entretanto, no sétimo dia o GC suplantou siginificativamente a pressão de ruptura obtida no GJ, sugerindo diminuição da ação da Jatropha em fase mais avançada da cicatrização. Na avaliação histológica pôde-se verificar avanço no processo inflamatório agudo no GJ3 em relação ao GC3, mantendo-se ainda mais intenso na fase crônica quando comparados os dois grupos no sétimo dia.

    Abstract in English:

    INTRODUCTION: Phytotherapy has been drawing interest from the scientific community regarding its potential wound healing properties. There are few studies available that present a correct scientific methodology and, therefore, phytotherapy remains an open field for further research. PURPOSE: To evaluate the effects of Jatropha gossypiifolia L. (bellyache bush) on the healing of colonic anastomosis in rats. METHODS: Forty Wistar rats were subjected to a complete section of the colon, that was soon sutured with eight separate stitches using monofilament polipropilene 6-0. Randomly, the animals were divided into control group (CG), with 20 rats, which were injected with 0.9% sodium chloride solution intraperitoneally (1mL/kg) and Jatropha group (JG), also with 20 rats, which were injected with Jatropha gossypiifolia L. alcoholic extract intraperitoneally (1mL/kg). Each of the groups was subdivided into two subgroups of ten rats, according to the sacrifice date, third and seventh days (CG3/ CG7 and JG3/ JG7). After sacrifice, the segment of the colon containing 1cm proximal and distal to the site of anastomosis was removed and subjected to the pressure test with air insuflation. This segment was then opened and a 1.0 x 0.5cm part was removed and placed under 10% formaldehyde for histological analysis with hematoxylin-eosin and Masson's trichrome stainings. RESULTS: The evaluation of the pressure rupture test demonstrated statistical significance regarding the sacrifice date. On the third day, the average pressure of the CG (25,4mmHg) and the JG (76,4mHg) revealed p = 0.013, and on the seventh day, the average pressure of the CG (187,3 mmHg.) and the JG (135,1 mmHg.) revealed p = 0.014. When assessing the microscopic variables among the groups of the 3rd day, only the variables edema and polymorphonuclear cells did not show statistical differences. On the 7th day, all of the variables assessed demonstrated significant differences. CONCLUSIONS: Regarding mechanical resistance, there was a difference in resistance between the JG3 and the CG3, and a shift of resistance when comparing the JG7 and CG7, which suggests a weakening of the Jatropha effect at a later stage of healing. The histological evaluation revealed an improvement of the acute inflammatory process in the JG3 when compared to the CG3, which was even more intense during the chronic stage, when the two groups are compared on the seventh day. The histological study of the inflammatory process, in general, showed a favorable effect to the Jatropha group compared to the control group.
Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Al. Rio Claro, 179/141, 01332-010 São Paulo SP Brazil, Tel./Fax: +55 11 3287-8814 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: sgolden@terra.com.br