Ganho auditivo e influência do tempo de privação auditiva na percepção de fala em usuários de implante coclear

Bianca Bastos Cordeiro Marcos Roberto Banhara Carlos Maurício Cardeal Mendes Sobre os autores

RESUMO

Objetivo

Avaliar o ganho de percepção de fala na ausência e na presença de ruído competitivo; avaliar, após três meses de uso do implante coclear, se houve correlação entre a percepção de fala nas duas condições e correlacionar o tempo de privação auditiva e o lado implantado com a percepção de fala na ausência e na presença do ruído.

Métodos

Participaram deste ensaio clínico 12 indivíduos com perda auditiva de severa a profunda, submetidos à cirurgia de implante coclear. A percepção de fala foi avaliada através do teste Listas de Sentenças em Português, utilizando a direcionalidade Opti Omni, em situações de ausência e presença de ruído competitivo.

Resultados

A percepção de fala na ausência e na presença de ruído competitivo aumentou, em comparação com a percepção de fala pré-operatória com a utilização da direcionalidade Opti Omni e estes achados não tiveram associação com o tempo de privação auditiva ou o lado implantado.

Conclusão

Houve ganho na percepção de fala, tanto na ausência, como na presença do ruído competitivo, com forte correlação entre essas duas situações. Além disso, não houve associação entre tempo de privação auditiva sem o uso do aparelho de amplificação sonora individual ou o lado implantado com o desempenho na percepção de fala.

Palavras-chave:
Implante coclear; Testes de discriminação de fala; Privação sensorial; Inteligibilidade da fala; Surdez

Academia Brasileira de Audiologia Rua Itapeva, 202, conjunto 61, CEP 01332-000, Tel.: (11) 3253-8711, Fax: (11) 3253-8473 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista@audiologiabrasil.org.br