Afro-Ásia, Issue: 46, Published: 2012
  • Família, parentesco espiritual e estabilidade familiar entre cativos pertencentes a grandes posses de Minas Gerais século XIX Artigos

    Freire, Jonis

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo analisa as possibilidades de convívio familiar entre cativos pertencentes a três abastadas famílias escravistas na Zona da Mata Mineira, região de plantation cafeeira no século XIX. O cruzamento de vários tipos de fontes concernentes a essas três famílias possibilitou "seguir" alguns de seus cativos e suas relações familiares. As propriedades estudadas possibilitaram aos cativos um convívio comunitário, bem como a constituição de família em suas "múltiplas formas". As relações de parentesco espiritual permitiram conhecer como se estruturaram as redes de solidariedade e reciprocidade daqueles indivíduos. Os cativos daquelas três posses tiveram a possibilidade de manter certa estabilidade de seus laços afetivos e espirituais, mesmo após a partilha dos bens de seu senhor, estabelecendo vínculos espirituais e consanguíneos com indivíduos de diferentes status sociais.

    Abstract in English:

    This article examines the possibilities of family life among captives of three wealthy slave-holding families in the forest region of Minas Gerais [Zona da Mata Mineira], which was an area of thriving coffee plantations during the nineteenth century. Utilizing diverse types of documentation, the paper examines the lives of these families' slaves and their family structures. The data reveal that the captives were able to live together and that they created family environments in a variety of ways. Relations of symbolic (spiritual) kinship point to the existence of networks of solidarity and reciprocity. The captives of the three families studied maintained some stability in their emotional and spiritual ties, even after the division of property of his master, establishing ties, spiritual and consanguineous, with individuals of different social status.
  • Rosalie nação Poulard: liberdade, direito e dignidade na era da Revolução Haitiana Artigos

    Scott, Rebecca J.; Hébrard, Jean M.

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo investiga as conexões entre as convicções sobre direitos civis e igualdade de um jovem ativista no pós-guerra civil de Nova Orleans, Edouard Tinchant, e as raízes atlânticas de sua família. Sua avó, Rosalie, fora escravizada em Senegâmbia na década de 1780 e deportada como escrava para a colônia francesa de Saint-Domingue, onde alcançou a sua liberdade durante a Revolução Haitiana. Nesta época, Rosalie deu à luz uma menina, Elisabeth, e fugiu com ela para Cuba como refugiada de guerra. Algumas décadas mais tarde, em Nova Orleans, Elisabeth iniciou sua própria busca por segurança e status social através de um tabelião que aceitou registrar sua reivindicação pelo sobrenome do seu pai francês, que nunca chegara a se casar com sua mãe. Quando, em meio à agitação política de 1867-68, Edouard Tinchant filho de Elisabeth apresentou na Louisiana um projeto de lei para garantir os direitos civis de todas as mulheres, independente de cor, ele estava buscando assegurar legalmente o direito ao respeito que sua avó e sua mãe foram obrigadas a lutar por conta própria para alcançar.

    Abstract in English:

    The essay explores the links between the equal-rights convictions of Edouard Tinchant, a young activist in post-Civil War New Orleans, and the deep Atlantic background of his family of origin. His grandmother, Rosalie, had been made captive in Senegambia in the 1780s and deported as a slave to the French colony of Saint-Domingue, where she eventually achieved her freedom during the Haitian Revolution. Rosalie gave birth to a daughter, Elisabeth, during that Revolution, and fled with her to Cuba as a war refugee. In New Orleans decades later, Elisabeth embarked on her own search for security and standing, using a local notary to record her claim of a paternal surname from the French father who had never married her mother. When, in the political ferment of 1867-68, Elisabeth's son Edouard Tinchant called for legislation to recognize the civil rights of all women, independent of color, he was thus seeking to write into law the right to respect that his grandmother and mother had been obliged to struggle for on their own.
  • Histórias de Joaquinas: mulheres, escravidão e liberdade (Brasil, Amazonas: séc. XIX) Artigos

    Cavalcante, Ygor Olinto Rocha; Sampaio, Patrícia Melo

    Abstract in Portuguese:

    O presente texto procura retratar a vida de Joaquina que viveu como escrava no Amazonas do século XIX. Tomando-a como fio condutor da análise, busca discutir um amplo panorama das intrincadas relações sociais, de poder, econômicas e culturais vivenciadas pelos escravos que, localizados nas camadas mais baixas de uma estrutura desigual e excludente, fugiam, redefiniam o cativeiro e transformavam as suas condições de vida. Também reflete sobre o protagonismo das mulheres escravizadas no espaço urbano, suas estratégias de conquista de alforria e os significados de liberdade para as fugitivas, e como estes protagonismo foi importante para o processo de desintegração do cativeiro.

    Abstract in English:

    This paper seeks to bring to light the life of Joaquina, a woman who was a slave in the Amazon region during the 19th century, and through this lens to give a broad overview of an intricate web of social, economic and cultural power in which slaves were bound. Slaves were the least privileged class social of social actors and flight from captivity was one of the options they could resort to in attempting to transform their situations. The paper also reflects on the role of women enslaved in urban environments and their strategies for obtaining letters of manumission, as well as the meanings of freedom and its importance in the disintegration of slavery as a social institution.
  • Os companheiros de Dom Obá: os zuavos baianos e outras companhias negras na Guerra do Paraguai Artigos

    Kraay, Hendrik

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo analisa a mobilização das companhias negras na Bahia (e em Pernambuco) durante a Guerra do Paraguai (1864-70). A organização dessas companhias racialmente segregadas era muito semelhante ao resto da mobilização brasileira, mas também remontava ao legado da milícia negra colonial e ao serviço dos seus integrantes na guerra pela Independência na Bahia. Muitos soldados e oficiais negros se distinguiram nos combates de 1866, mas o governo e o Exército brasileiros relutavam em aceitar a identidade racial implícita dessas unidades, e elas foram extintas antes do final daquele ano. Além de corrigir os muitos equívocos sobre os zuavos baianos repetidos com frequência na bibliografia acadêmica e popular, este artigo reflete sobre a complexidade da política racial na sociedade brasileira imperial e a visão negra do serviço ao Estado (e de cidadania) estreitamente ligado ao serviço militar.

    Abstract in English:

    This article examines the mobilization of black regiments in Bahia (and Pernambuco) during the 1864-70 war with Paraguay. These racially-segregated companies shared many overall similarities to other military units but they also drew on the legacy of the colonial black militia and their members' patriotic service in the struggle for independence in Bahia. Many black soldiers and officers distinguished themselves in battle in 1866, but the Brazilian government and army were reluctant to accept the racial identity implied in these units, and they were all abolished by the end of the year. In addition to correcting the many misconceptions about the Zuavos that commonly appear in academic writing as well as more general literary genres, this article reflects on the complex racial politics of imperial Brazilian society and the black vision of service to the state (and of citizenship) as closely connected to military service.
  • "Leitoras": gênero, raça, imagem e discurso em O Menelik (São Paulo, 1915-1916) Artigos

    Côrtes, Giovana Xavier da Conceição

    Abstract in Portuguese:

    Parte da história social do pós-emancipação no Brasil, este artigo analisa as imagens femininas produzidas por jornalistas negros na cidade de São Paulo no começo do século XX. Se pesquisas anteriores apontam para a ausência de mulheres na chamada imprensa negra paulistana, um estudo detalhado de duas edições do jornal O Menelik (1915-1916) evidencia que tal presença é subestimada pela historiografia. É bem verdade que foram raras as ocasiões em que as mulheres apareceram como escritoras. Mas, por outro lado, estas personagens foram retratadas de diferentes maneiras (poesias, contos, críticas comportamentais e concursos de beleza) nas páginas desse e de outros periódicos negros da época. Assim, considerando uma reciprocidade entre público leitor e imagens veiculadas, as menções recorrentes às mulheres de cor são aqui interpretadas como forte indício da sua presença na comunidade do periódico. Ao ter em mente a importância de análises que articulem gênero, raça e imagem no pós-emancipação, a existência de tais representações abrem instigantes caminhos para problematizar a aparente ausência feminina na imprensa negra.

    Abstract in English:

    This study examines an aspect of Brazilian social history during the period after Abolition: women's participation in the black press in early twentieth century São Paulo and the contradictions that it suggests. While earlier studies have claimed that women did not play a role in these publications, a detailed study of Menelik, a leading black newspaper from 1915-16, shows that women were extremely involved and that their presence has been underestimated by historians. Although few actually signed their names to articles, women participated in various important ways - contributing poetry, short stories, criticism and beauty contests - to Menelik and other black newspapers of the time. This article thus probes the absence of gender as an analytical tool in post-Abolition historiography, offering suggestions for incorporating perspectives on gender into scholarly work on the black journalism.
  • "Aos pés dos pretos e pretas quitandeiras": Experiências de trabalho e estratégias de vida em torno do primeiro Mercado Público de Desterro (Florianópolis) e seus arredores 1840-1890 Artigos

    Popinigis, Fabiane

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo trata da construção, em 1851, do primeiro Mercado Público de Desterro (atual Florianópolis), espaço centralizador do comércio de gêneros e circulação de pessoas. A dinâmica em torno do mercado é aqui utilizada para investigar as disputas políticas relacionadas à ocupação deste espaço central da cidade, as expectativas de liberdade e autonomia de homens e mulheres africanos e seus descendentes, e as possibilidades e limites para realizá-las. Na primeira metade do século XIX, as mulheres africanas tinham atuação proeminente no comércio de rua e na própria praça do mercado, tanto como quitandeiras quanto como pombeiras e mascates, configuração que sofreu transformações no decorrer da segunda metade do século XIX, com a significativa diminuição da presença de homens africanos e de mulheres em geral, tanto dentro do Mercado Público quanto nas funções de pombeiro e mascate.

    Abstract in English:

    This article examines the construction, in 1851, of the first Public Market in the city of Desterro (now Florianópolis), an important center for the commercialization of goods and the circulation of people. The social dynamics of this market are used here in contextualizing the expectations of freedom by African men and women and their descendants, as well as their degree of autonomy and their possibilities and limits in achieving it. During the first half of the 19th century, African women played a prominent role as street vendors and in the market place itself, but this configuration changed over the second half of the century, when the presence of African men and women decreased, as did that of their descendants, in the Public Market as well as in the rest of the city as street vendors.
  • O babalaô fala: a autobiografia de Martiniano Eliseu do Bomfim Documento

    Ayoh'Omidire, Félix; Amos, Alcione M.
  • Traçando rotas e comunidades da diáspora africana Resenhas

    Florvil, Tiffany
  • A África tem uma história Resenhas

    Lima, Mônica
  • Escravismo no Brasil: um convite à reflexão e ao debate Resenhas

    Guedes, Roberto
  • Devoções atlânticas: a construção da identidade social e religiosa de cativos e libertos na Bahia colonial Resenhas

    Santos, Georgina Silva dos
  • Para uma história da mobilização negra no Brasil Resenhas

    Guimarães, Antonio Sérgio Alfredo
  • Uma abordagem crítica sobre a oralidade e a escrita no candomblé da Bahia Resenhas

    Santos, Erisvaldo Pereira dos
Universidade Federal da Bahia Praça Inocêncio Galvão, 42 Largo 2 de Julho, Centro, 40060-055 - Salvador - BA, Tel: 5571 3283-5501 - Salvador - BA - Brazil
E-mail: ceao@ufba.br