• Transplante de fígado no carcinoma hepatocelular: a escassez de órgãos e resultados bem estabelecidos justificariam ampliação das indicações ou de novas modalidades técnicas? Editorial

    D'ALBUQUERQUE, Luiz Augusto Carneiro; OLIVEIRA e SILVA, Adávio de; GARCIA, Christian Evangelista
  • Resultados do transplante hepático em portadores de hepatocarcinoma Artigos Originais

    PAROLIN, Mônica Beatriz; COELHO, Júlio Cézar Uili; MATIAS, Jorge E. Fouto; PUCCINELLI, Vanessa; JARABIZA, Rossano; IOSHII, Sérgio O.

    Resumo em Português:

    Racional - O hepatocarcinoma é uma das doenças malignas mais comuns em todo o mundo. O transplante hepático é boa opção terapêutica para os pacientes com hepatocarcinoma em fase inicial, alcançando índices de sobrevida semelhantes aos encontrados nos pacientes cirróticos transplantados sem malignidade hepática. Objetivo - Avaliar a evolução de pacientes cirróticos com hepatocarcinoma submetidos a transplante hepático no Serviço de Transplante Hepático do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR. Métodos - Estudo retrospectivo dos pacientes cirróticos com hepatocarcinoma submetidos a transplante ortotópico de fígado no período de setembro de 1991 a setembro de 2000. O diagnóstico do tumor foi estabelecido durante os exames pré-transplante em cinco doentes e foi achado incidental no fígado nativo em três. Nos pacientes com diagnóstico pré-operatório de hepatocarcinoma adotou-se como critério de elegibilidade para o transplante, a presença de tumor único de diâmetro <FONT FACE=Symbol>£</FONT> 5 cm ou até três lesões com diâmetro <FONT FACE=Symbol>£</FONT> 3 cm cada, ausência de invasão tumoral da veia porta ou de metástases extra-hepática. Foram avaliados como parâmetros principais a sobrevida do paciente e a ocorrência de recidiva tumoral após o transplante. Resultados - A principal causa de doença hepática pré-transplante foi a hepatite por vírus C (50%). No exame do fígado explantado, a maioria dos pacientes (6/8, 75%) tinha lesão única; um paciente tinha dois nódulos e em outro detectou-se hepatocarcinoma multifocal incidentalmente no fígado nativo. O tamanho do tumor variou de 0,2 a 5,0 cm. Nenhum dos casos apresentou invasão vascular ou linfonodal. Todos os pacientes permaneceram vivos e livres de recurrência tumoral durante o tempo do estudo, sendo a mediana de seguimento de 18,5 meses (variando de 5-29 meses). Conclusão - O transplante hepático é boa opção terapêutica nos pacientes cirróticos com hepatocarcinoma em fase inicial. Com seleção adequada, o transplante hepático oferece excelentes índices de sobrevida livre de recurrência tumoral.

    Resumo em Inglês:

    Background - Hepatocellular carcinoma is one of the most common malignancies worldwide. Liver transplantation has emerged as a good option for early-stage hepatocellular carcinoma yielding survival rates as good as for recipients without this type of tumor. Objective - To assess the outcome of cirrhotic patients with hepatocellular carcinoma undergoing liver transplantation at the Liver Transplantation Service of the "Hospital de Clínicas", Federal University of Paraná, Curitiba, PR, Brazil. Methods - Retrospective study of cirrhotic patients with hepatocellular carcinoma undergoing orthotopic liver transplantation at the mentioned Institution between September 1991 and September 2000. The diagnosis of hepatocellular carcinoma was established during the pretransplant workup in five patients and the tumor was an incidental finding in the native liver in three. The indication for liver transplantation was restricted to solitary tumor equal to or less than 5 cm or up to 3 nodules, with each nodule measuring less than 3 cm, and no evidence of vascular invasion or extrahepatic spread. Patient survival and evidence of tumoral recurrence posttransplant were evaluated. Results - The most common cause for pretransplantation liver disease was hepatitis C virus (50%). On examination of the explanted liver, the majority of patients (6/8, 75%) had a single lesion; one patient had two nodules and one had a multifocal hepatocellular carcinoma found incidentally in the native liver. Tumor size ranged from 0,2 to 5,0 cm. All cases had neither vascular invasion nor linfonodal envolvement. All patients remained alive and free of tumor recurrence at the time of the study with a mean follow-up of 18,5 months (range, 5-29 months). Conclusion - Liver transplantation is a good therapeutic option for early stage hepatocellular carcinoma arising in cirrhotic patients. With proper selection, liver transplantation can offer excelent survival rates free of tumor recurrence.
  • Veia paraumbilical pérvia: importância hemodinâmica na hipertensão portal por esquistossomose mansônica hepatoesplênica. (Estudo com ultra-sonografia Doppler) Artigos Originais

    WIDMAN, Azzo; OLIVEIRA, Ilka Regina Souza de; SPERANZINI, Manlio Basílio; CERRI, Giovanni Guido; SAAD, William Abrão; GAMA-RODRIGUES, Joaquim

    Resumo em Português:

    Racional — As repercussões hemodinâmicas das vias de circulação colateral portossistêmica sobre o sistema portal, na hipertensão portal, ainda não foram devidamente esclarecidas. A ultra-sonografia Doppler possibilitou o estudo do sistema portal de modo não-invasivo mediante a caracterização do diâmetro dos vasos, da direção e da velocidade do fluxo sangüíneo. Objetivo - Estudar a veia paraumbilical mediante ultra-sonografia Doppler e avaliar sua repercussão na hemodinâmica do sistema portal, como via de circulação colateral portossistêmica. Método - Estudo do sistema portal, com ultra-sonografia Doppler, de 24 pacientes consecutivos com hipertensão portal por fibrose hepática devida à esquistossomose mansônica hepatoesplênica, hemorragia prévia por varizes do esôfago e veia paraumbilical pérvia com fluxo hepatofugal. Foram medidos o diâmetro e a velocidade média de fluxo na veia paraumbilical e a velocidade média de fluxo na veia porta e seus ramos direito e esquerdo. Foi realizado o teste de correlação linear entre a velocidade média de fluxo na veia porta com o diâmetro e a velocidade média de fluxo na veia paraumbilical. Os pacientes foram divididos em quatro grupos: D1 - veia paraumbilical com diâmetro <0,68 cm (n = 14); D2 - veia paraumbilical com diâmetro <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 0,68 cm (n = 10); V1 - veia paraumbilical com velocidade média de fluxo <18,41 cm/seg (n = 13) e V2 - veia paraumbilical com velocidade média de fluxo <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 18,41 cm/seg (n = 11). As médias e os desvios padrão da velocidade média de fluxo na veia porta e seus ramos direito e esquerdo destes grupos foram comparados. Resultados - O diâmetro da veia paraumbilical foi de 0,68 ± 0,33 cm (intervalo: 0.15 - 1.30 cm) e a velocidade média de fluxo de 18,41 ± 11.51 cm/seg (intervalo: 5.73 - 38,20 cm/seg). O teste de Pearson (correlação linear) da velocidade média de fluxo na veia porta com o diâmetro da veia paraumbilical foi de r = 0,504 e com a velocidade média de fluxo na veia paraumbilical foi r = 0,735. No grupo D2, comparativamente ao grupo D1, a velocidade média de fluxo foi maior na veia porta (22,3 ± 7,66 / 17,80 ± 3,42 cm/seg), assim como no seu ramo esquerdo (22,4 ± 7,92 / 16,00 ± 4,73 cm/seg). No grupo V2, comparativamente ao grupo V1, a velocidade média de fluxo foi maior na veia porta (21,96 ± 5,89 / 16,31± 3,49 cm/seg), assim como no seu ramo esquerdo (21,94 ± 7,20 / 14,22 ± 4.41 cm/seg). Não houve alteração no ramo direito da veia porta: 13,67 ± 5,74 / 15,43 ± 3.43 cm/seg. Conclusões - A veia paraumbilical com diâmetro <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 0,68 cm e velocidade média de fluxo <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 18,41 cm/seg provoca o aumento da velocidade média de fluxo na veia porta e seu ramo esquerdo. O aumento da velocidade média de fluxo na veia porta e seu ramo esquerdo pode ser interpretado como influência hemodinâmica da veia paraumbilical sobre o sistema portal. A velocidade média de fluxo na veia paraumbilical é mais sensível do que seu diâmetro para avaliar a influência desta veia sobre o sistema portal na hipertensão portal por esquistossomose hepatoesplênica. A presença de uma via de circulação colateral portossistêmica hemodinamicamente significativa, aumenta a velocidade de fluxo nas veias do sistema portal, proximalmente ao seu ponto de origem.

    Resumo em Inglês:

    Background — The hemodynamical effect of the collateral portosystemic circulation upon the portal system has not yet been fully understood. The US-Doppler made possible the non-invasive study of the portal system by evaluating the parameters: flow direction, diameter and flow velocity in it's vessels. Aims - To study the paraumbilical vein as a collateral portosystemic pathway and identify patterns for appraising its hemodynamic importance to the portal system. Method - US-Doppler study of the portal system of 24 patients with Mansoni's hepatosplenic schistosomic portal hypertension, previous esophagic variceal bleeding and patent paraumbilical vein with hepatofugal flow. The diameter and the mean flow velocity were measured in the paraumbilical vein and so were the mean flow velocity in the portal vein, right and left portal branches. The Pearson test (linear correlation) was applied to the portal vein's mean flow velocity and the paraumbilical vein's diameter and mean flow velocity. The patients were divided in four groups: D1 - paraumbilical vein with diameter <0.68 cm (n = 14), D2 - paraumbilical vein with diameter <FONT FACE=Symbol>³</FONT>0.68 cm (n = 10), V1 - paraumbilical vein with mean flow velocity <18.41 cm/seg (n = 13) and V2 - paraumbilical vein with mean flow velocity <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 18.41 cm/seg (n = 11). The mean flow velocity in the portal vein, right and left portal branches of the four groups were compared. Results - The paraumbilical vein diameter was 0.68 ± 0.33 cm (range: 0.15 - 1.30 cm) and the mean flow velocity was 18.41 ± 11.51 cm/seg (range: 5.73 - 38.20 cm/seg). The linear correlation between the portal vein's mean flow velocity / paraumbilical vein diameter and the paraumbilical vein's mean flow velocity showed r = 0.504 and r = 0.735, respectively. In the group D2 there was an increase in the mean flow velocity in the portal vein (17.80 ± 3.42 / 22.30 ± 7.67 cm/seg) and in the left portal branch (16.00 ± 4.73 / 22.40 ± 7.90 cm/seg). In the group V2 there was an increase in the mean flow velocity in the portal vein (16.31 ± 3.49 / 21.96 ± 5.89 cm/seg) and in the left portal branch (14.22 ± 4.41 / 21.94 ± 7.20 cm/seg). There was no change in the right portal branch (13.67 ± 5.74 / 15.43 ± 3.43 cm/seg). Conclusions - In portal hypertension due to hepatosplenic schistosomiasis, the patent paraumbilical vein, with hepatofugal flow, diameter <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 0.68 cm and mean flow velocity <FONT FACE=Symbol>³</FONT> 18.41 cm/seg causes an increase of the mean flow velocity in the portal vein and left portal branch. The best US-Doppler parameter to appraise the paraumbilical vein influence upon the portal system is the mean flow velocity. The correlation between the increase in portal vein's mean flow velocity is stronger with the paraumbilical vein's mean flow velocity than with its diameter. The increase in the portal vein's and left portal branch's mean flow velocity may be understood as the paraumbilical vein's hemodynamic influence upon the portal system. An active portosystemic collateral pathway increases the mean flow velocity in the vein's segment proximal to its point of origin.
  • Mucosa do coto gástrico: risco para câncer? Original Articles

    SAFATLE-RIBEIRO, Adriana Vaz; RIBEIRO Jr., Ulysses; SAKAI, Paulo; IRIYA, Kyoshi; ISHIOKA, Shinichi; GAMA-RODRIGUES, Joaquim

    Resumo em Português:

    Racional - Pacientes submetidos a ressecção gástrica parcial apresentam risco aumentado de desenvolvimento de câncer de coto gástrico. Objetivo - Analisar, a longo prazo, as alterações da mucosa de pacientes submetidos previamente a tratamento cirúrgico, por úlcera péptica. Pacientes e Métodos - No período de 1987 a 1990, 154 pacientes (média de 20,4 anos após gastrectomia) foram analisados através de exames endoscópicos com múltiplas biopsias, e histopatológicos. Resultados - Alterações endoscópicas estiveram presentes em 111 pacientes (72,1%) e as mais freqüentemente encontradas foram: hiperplasia foveolar, metaplasia intestinal e dilatação cística. Displasia intensa foi diagnosticada em 2 (1,25%) e carcinoma em 13 (8,4%) dos casos. Em quatro pacientes (3,8%), o método endoscópico não revelou lesão tumoral, contudo, foi detectada neoplasia no estudo histológico do material de biopsia. Conclusão - A vigilância dos pacientes gastrectomizados, através de procedimento endoscópico com múltiplas biopsias, pode diagnosticar neoplasia em estádio inicial; entretanto, novos estudos são necessários para se estabelecer a relação custo-benefício da referida estratégia de detecção.

    Resumo em Inglês:

    Background - Patients who underwent partial gastric resections are at an increased risk for the development of cancer in the gastric remnant. Aim - To assess the long-term patients who underwent surgical treatment for peptic ulcer disease through endoscopic and pathologic evaluation of the gastric stump mucosal alterations. Patients and Methods - Between 1987 and 1990, 154 patients (mean = 20.4 years after gastrectomy) were evaluated by upper digestive endoscopy with multiple biopsies and pathological examination. Results - Endoscopic alterations were present in 111 patients (72.1%). The commonest pathologic alterations were foveolar hyperplasia, intestinal metaplasia and cystic dilation. Severe dysplasia was noted in two (1.25%) and carcinoma in 13 (8.4%) of the cases. In four patients (3.8%) the endoscopic findings did not show any evidence of tumors, however they were detected due to multiple biopsies and histologic studies. Conclusions - Surveillance of these patients with endoscopy and multiple biopsies may provide the means to diagnose tumors at an early stage, but the cost benefit ratio of surveillance requires further study.
  • Doença celíaca: avaliação da obediência à dieta isenta de glúten e do conhecimento da doença pelos pacientes cadastrados na Associação dos Celíacos do Brasil (ACELBRA) Artigos Originais

    SDEPANIAN, Vera Lucia; MORAIS, Mauro Batista de; FAGUNDES-NETO, Ulysses

    Resumo em Português:

    Racional — A obediência à dieta isenta de glúten previne a ocorrência de complicações malignas e não-malignas. Objetivo - Avaliar a obediência à dieta isenta de glúten e o conhecimento teórico acerca da doença celíaca e seu tratamento pelos pacientes cadastrados na Associação dos Celíacos do Brasil (ACELBRA). Métodos - Foi enviado por correio um questionário a respeito da obediência à dieta isenta de glúten e do conhecimento teórico da doença celíaca e seu tratamento a 584 membros cadastrados na ACELBRA. Resultados - Dos 534 (91,4%) questionários recebidos, foram analisados 529 (90,6%). Quanto à obediência à dieta, 69,4% dos pacientes responderam que nunca ingerem glúten e 29,5% que não obedecem à dieta. A proporção de pacientes que ingerem glúten freqüentemente ou sem restrição alguma é maior entre aqueles com idade igual ou maior a 21 anos (17,7%) do que os com idade menor (9,9%). A freqüência de obediência à dieta foi maior quando o intervalo de tempo em que foi estabelecido o diagnóstico da doença foi inferior a 5 anos. O intestino delgado foi assinalado como o principal órgão afetado na doença celíaca por 82% dos pacientes. Os principais sintomas assinalados foram diarréia (96,6%), emagrecimento (93,4%), barriga inchada (90,4%), anemia (68,1%) e vômitos (59,6%). Apenas 59,0% concordaram com a existência de predisposição genética. Segundo 90,4% das respostas, a doença é permanente e 96,2% assinalaram que a dieta deve ser totalmente isenta de glúten; 67,1% responderam que o glúten é uma proteína que está presente, segundo 92,1% dos inquéritos, no trigo, centeio, cevada e aveia. Observou-se maior proporção de obediência à dieta quando há conhecimento da doença e dieta. A biopsia de intestino delgado foi considerada necessária por apenas 67,5% dos pacientes, observando-se maior freqüência de obediência à dieta nos pacientes que realizaram pelo menos uma biopsia de intestino delgado. Conclusões - Quanto maior o grau de conhecimento da doença e seu tratamento, maior a obediência à dieta isenta de glúten.

    Resumo em Inglês:

    Background — The compliance to a gluten-free diet may prevent the development of both non-malignant and malignant complications. Aim - To evaluate compliance to a gluten-free diet and knowledge of the disease in celiac patients registered at the Brazilian Celiac Association (BCA). Methods - A structured questionnaire was designed to assess compliance to a gluten-free diet as well as knowledge of the celiac disease. It was mailed to 584 members of BCA. Results - Five hundred and twenty nine (90.6%) of a total of 534 (91.4%) answered questionnaires were analyzed; 69.4% were classified as compliant patients whereas 29.5% were classified as noncompliant. The proportion of patients age 21 or older who consume gluten frequently or without any restriction is larger (17.7%) than those who were younger than 21 years (9.9%). Frequency of dietary compliance was higher when the diagnosis had taken less than 5 years to be established; 82% of the patients replied that the small intestine was the part of the body affected by the disease. The most common symptoms of the disease according to the answers were diarrhea (96.6%), weight loss (93.4%), protuberant abdomen (90.4%), anemia (68.1%) and vomiting (59.6%). Only 59.0% agreed with the existence of genetic predisposition; 90.4% answered that the disease is permanent and 96.2% stated that the diet should exclude gluten absolutely; 67.1% answered that the gluten is a protein and according to 92.1% questionnaires this protein is present in wheat, rye, barley and oat. Greater compliance was observed when there was an understanding of the disease and diet. The small intestine biopsy was considered necessary for just 67.5% of the patients, and greater compliance was observed in patients who had undergone at least one small intestine biopsy. Conclusion - Our findings indicate that the more the patients know and understand about the disease, the better able they are to comply with the diet.
  • Detecção do Helicobacter pylori no câncer gástrico Original Articles

    PEREIRA, Luana Paredes Leite de Barros; WAISBERG, Jaques; ANDRÉ, Eduardo Antonio; ZANOTO, Arnaldo; MENDES Jr., João Paulo; SOARES, Heloísa Prado

    Resumo em Português:

    Racional e Objetivos — Considerando a elevada prevalência de câncer gástrico na região norte do Brasil e a conhecida relação entre a inflamação por gastrite crônica causada pelo Helicobacter pylori e seu potencial carcinogênico, os objetivos deste estudo foram detectar a presença do microorganismo nas apresentações macro e microscópicas da neoplasia nas diferentes regiões do estômago, e nas lesões não-malignas concomitantes ao adenocarcinoma, em doentes oriundos da área metropolitana de Belém (Estado do Pará, Brasil). Método - Foram examinados 172 doentes divididos em dois grupos: grupo I, constituído por 75 enfermos com carcinoma gástrico e grupo II composto por 97 doentes com gastrite enantemática leve, considerado grupo controle. Os diagnósticos foram obtidos por meio de exame endoscópico e respectiva biopsia. As neoplasias gástricas foram classificadas macroscopicamente de acordo com a classificação de Borrmann e microscopicamente de acordo com a classificação de Laurén. No grupo I, 54 doentes eram do sexo masculino e 21 do sexo feminino. No grupo II, 22 enfermos eram masculinos e 75 femininos. A média de idade no grupo I foi de 61,2 anos (27 a 86 anos) e a do grupo II foi de 37,5 anos (16 a 69 anos). As lâminas foram preparadas e coradas pelo método da hematoxilina e eosina, utilizando-se o método de Gram modificado na pesquisa do H.pylori. A análise estatística foi realizada com os testes do chi ², teste de Mann Whitney e teste exato de Fisher. Resultados - A detecção do H.pylori foi significativamente maior nos doentes com gastrite enantemática leve do que nos enfermos com adenocarcinoma gástrico. A presença do H.pylori nos doentes com adenocarcinoma gástrico e nos enfermos com gastrite enantemática leve foi significativamente maior na região antral do que nas demais localizações gástricas. A presença do H.pylori nos doentes com adenocarcinoma gástrico não apresentou diferença significativa em relação aos tipos macroscópicos ou com os tipos microscópicos intestinal ou difuso do tumor. Conclusões - Estes dados sugerem que a presenças do H.pylori em doentes com adenocarcinoma gástrico é predominante no antro e não apresenta relação com os subtipos macroscópicos ou histológicos do carcinoma gástrico.

    Resumo em Inglês:

    Background and Objectives — Considering the high prevalence of stomach cancer in the northern region of Brazil and the recognized relationship between chronic gastric inflammation caused by Helicobacter pylori, and its carcinogenic potential, the objective we had with this study was to investigate the presence of the microorganism in macro and microscopic presentations of neoplasm in different regions of the stomach, and in non-malignant lesions concomitant to the adenocarcinoma in patients originating from the metropolitan area of Belém (State of Pará, Brazil). Methods - Examinations were made on 172 patients divided into two groups: group I, formed by 75 patients with gastric carcinoma, and group II, formed by 97 patients with mild enanthematic gastritis, considered control group. The diagnosis was obtained during endoscopic examination and the respective biopsy. Gastric neoplasms were classified macroscopically in accordance with Borrmann's classification, and microscopically in accordance with Laurén's classification. In group I, 54 patients were male and 21 female while in group II, 22 patients were male and 75 female. The average age in group I was 61.2 years (range 27 to 86 years), while in group II it was 37.5 years (range 16 to 69 years). Thin sections were prepared and stained using the hematoxylin-eosin method. In the Helicobacter pylori research, the modified Gram stain was utilized. Statistical analysis was done by utilizing the chi-squared (chi ²) test, Mann-Whitney test (U), and Fisher's exact test. Results - The results showed the detection of Helicobacter pylori were significantly greater in patients with mild enanthematic gastritis than in patients with gastric carcinoma. The presence of Helicobacter pylori in patients with gastric carcinoma and mild enanthematic gastritis was significantly greater in the antral region than in other gastric regions. Helicobacter pylori detection in patients with gastric carcinoma did not present a significant difference in relation to the macroscopic aspect of the tumor either intestinal or diffuse histological types. Conclusions - These data suggest the presence of the bacteria is predominant in the antral region and it does not show relation with the macroscopic types or histological intestinal or diffuse types of gastric carcinoma.
  • Recurrência e "de novo" esteatohepatite não-alcoólica após transplante ortotópico de fígado Original Articles

    GARCIA, Raquel F. Liermann; MORALES, Eugenia; GARCIA, Christian Evangelista; SAKSENA, Sushma; HÜBSCHER, Stefan G.; ELIAS, Elwin

    Resumo em Português:

    Racional — O termo NASH (esteatohepatite não-alcoólica) foi introduzida em 1980 para descrever "características patológicas e clínicas de doença não-alcoólica observadas comumente na própria doença alcoólica". Atualmente é causa reconhecida de doença hepática crônica e rara indicação de transplante hepático. Pequeno número de casos de recurrência de NASH pós-transplante foram descritos na literatura; entretanto, de novo NASH no enxerto jamais foi relatado. Objetivos/Resultados - Reportam-se quatro casos de NASH pós-transplante, descrevendo fatores associados a esta patologia. A média de recurrência da infiltração gordurosa foi de 21 meses com transição para esteatohepatite/fibrose aos 60 meses pós-transplante. Os quatro casos possuiam associação com um ou vários fatores de risco (obesidade, diabetes tipo 2 e/ou hiperlipidemia) no período que se seguiu ao transplante. Conclusão - Manejo destes fatores provavelmente exercem papel terapêutico na prevenção da recurrência e no aparecimento de NASH no pós-transplante.

    Resumo em Inglês:

    Background — Non-alcoholic steatohepatitis was coined in 1980 to describe pathological and clinical features of non-alcoholic disease associated with pathological features, commonly seen in alcoholic-liver disease itself. It is now a well-recognised cause of end-stage liver disease and a rare cause of orthotopic liver transplantation. A small number of cases with recurrent non-alcoholic steatohepatitis following liver transplantation have been reported, however de novo non-alcoholic steatohepatitis in the liver allograft is not well recognised. Aims/Results - We report four cases of non-alcoholic steatohepatitis following orthotopic liver transplantation describing the factors related with the pathology. The recurrence of fatty infiltration occurred within 21 months and transition from mild steatosis to non-alcoholic steatohepatitis and early fibrosis was observed within 60 months post transplant in all four patients. All four cases had association with one or multiples risk factors (obesity, type 2 diabetes and/or hyperlipidemia). Conclusions - Management of this risk factors may play a therapeutic role in the prevention of recurrent and de novo non-alcoholic steatohepatitis following orthotopic liver transplantation.
  • Teste da função tiroidiana na hepatite crônica viral Artigos Originais

    NOVIS, Mônica; VAISMAN, Mario; COELHO, Henrique Sérgio Moraes

    Resumo em Português:

    Racional - Foram estudados 125 pacientes com hepatite crônica ativa e cirrose pós-hepatite por vírus B ou C, e diferentes graus de acometimento funcional hepático. Objetivo - Traçar um perfil hormonal tiroidiano nesses pacientes. Material e Métodos - Os pacientes foram divididos em quatro grupos: a) 31 com hepatite crônica ativa; b) 41 com cirrose pós-hepatite Child A; c) 35 com cirrose pós-hepatite Child B e d) 18 com cirrose pós-hepatite Child C. Além das dosagens séricas de albumina e bilirrubina, determinação do tempo de atividade da protrombina e avaliação da presença de ascite e encefalopatia hepática, todos foram submetidos a dosagens séricas de triiodotironina (T3), tiroxina (T4), hormônio estimulador da tiróide (TSH), tiroxina livre (FT4), triiodotironina reversa (rT3), cálculo do índice rT3/T3 (IrT3) e realização do teste do TRH. Resultados - Quando se compararam as médias dos resultados dos testes entre os diferentes grupos, observou-se que o T3 foi o exame mais expressivo, gradativamente mais baixo, quanto mais avançada a doença (hepatite crônica ativa: 149,2 ± 42,3 ng/dL; cirrose pós-hepatite Child A: 137,4 ± 37,2 ng/dL; cirrose pós-hepatite Child B: 88,0 ± 28,4 ng/dL e cirrose pós-hepatite Child C: 41,8 ± 21,9 ng/dl). Os níveis do TSH, T4 e FT4 foram normais na maioria dos pacientes, porém níveis séricos baixos do T4 (4,5 ± 2,0 µg/dL) e FT4 (0,7 ± 0,4 ng/dL) e elevados do TSH (7,2 ± 11,5 µIU/mL), rT3 (60,8 ± 52,1 ng/dL) e IrT3 (2,2 ± 2,6) eram mais freqüentes nos pacientes com cirrose pós-hepatite Child C. O teste do TRH foi normal na maioria dos pacientes. Conclusão - O estudo mostra relação direta entre os níveis séricos baixos do T3 e elevados do rT3 e do IrT3 com o grau de disfunção hepática, segundo a classificação de Child-Pugh.

    Resumo em Inglês:

    Background - One hundred and twenty five patients with virus B or C chronic active hepatitis and postnecrotic cirrhosis and different degrees of liver dysfunction were studied. Aim - 1) To determine a thyroid hormonal profile; 2) to evaluate the prognostic value of these tests in relation to the progression of the disease and mortality; 3) compare these findings with Child-Pugh classification. Patients and Methods - The patients were divided in four groups: a) 31 with chronic active hepatitis; b) 41 with postnecrotic cirrhosis Child A; c) 35 with postnecrotic cirrhosis Child B and d) 18 with postnecrotic cirrhosis Child C. The protocol comprised serum measurements of albumin and bilirrubin, estimates of prothrombin time and clinical evaluation of ascites and encephalopathy, measurement of total serum triiodothyronine, thyroxine, thyroid-stimulating hormone, free thyroxine, reverse triiosothyronine, calculated rT3/T3 index (IrT3) and thyrotropin-releasing hormone test. Results - Total serum triiodothyromnine showed the most significant difference among the groups, gradually lower as the disease became more advanced (CAH: 149,2 ± 42,3 ng/dL; PNC-A: 137,4 ± 37,2 ng/dL; PNC-B: 88,0 ± 28,4 ng/dL and PNC-C: 41,8 ± 21,9 ng/dL). Low levels of T4 (4,5 ± 2,0 µg/dL) and FT4 (0,7 ± 0,4 ng/dL) and elevated levels of thyroid-stimulating hormone (7,2 ± 11,5 µIU/mL), reverse triiosothyronine (60,8 ± 52,1 ng/dL) and calculated rT3/T3 index (2,2 ± 2,6) were more frequent in patients with postnecrotic cirrhosis Child C. Thyrotropin-releasing hormone test was normal in the majority of the patients. Conclusion - The present study shows a positive relationship between the low serum levels of T3 and elevated serum levels of rT3 and IrT3/T3 with the degree of hepatic dysfunction according to the Child-Pugh classification.
  • Absorção intestinal de D-xilose em crianças infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana Artigos Originais

    PERIN, Nilza Medeiros; PIRES, Maria Marlene de Souza; NASSAR, Sílvia Modesto

    Resumo em Português:

    Objetivos - Avaliar a absorção intestinal em crianças de 18 meses a 14 anos infectadas pelo HIV, atendidas em uma unidade de ambulatório e verificar se existe associação entre má absorção, diarréia, estado nutricional, alteração imunológica, parasitas entéricos clássicos e Cryptosporidium. Metodologia - A absorção intestinal foi investigada utilizando-se a medida da D-xilose sérica. Amostras fecais foram colhidas para a pesquisa de pátogenos entéricos clássicos e Cryptosporidium. O tamanho da amostra foi calculado considerando a prevalência de 30% com precisão de 5% de alteração na absorção da D-xilose em crianças infectadas pelo HIV. Os procedimentos estatísticos utilizados foram: medidas descritivas, análise de correspondência múltipla e regressão logística. Resultados - Das 104 crianças estudadas, somente 8 (7,7%) apresentaram o teste da D-xilose alterado e 33 (31,73%) foram positivas para Cryptosporidium. A análise de correspondência múltipla aplicada aos dados encontrados sugeriu a associação entre o teste da D-xilose alterado e a presença de Cryptosporidium. Não se encontrou associação entre o teste alterado e diarréia, estado nutricional, alteração imunológica e parasistas entéricos clássicos. Conclusões - A má absorção intestinal avaliada pelo teste da D-xilose foi infreqüente nas crianças HIV positivas estudadas. O comprometimento intestinal, quando presente, parece estar relacionado com a presença de Cryptosporidium, porém não com diarréia, estado nutricional, alteração imunológica e parasistas entéricos clássicos.

    Resumo em Inglês:

    Aim - To evaluate the intestinal absorption in HIV-infected children children 14 months to 14 years and to investigate its relationship to diarrhea, nutritional status, immune dysfunction, classical enteric parasites and Cryptosporidium. Methods - Intestinal absorption was investigated by measuring serum D-xylose. Fecal samples were investigated for classical pathogens and Cryptosporidium. The sample size was calculated considering a 30% prevalence of altered D-xylose absorption in HIV-infected children with a 5% accuracy. Statistical procedures used were: descriptive measurements, multiple correspondence analysis and logistic regression. Results - D-xylose absorption was altered in only 8 out of 104 (7,7%) and Cryptosporidium was positive in 33 out of 104 (31,73%) HIV-infected children. The multiple correspondence analysis suggested an association between an altered D-xylose test and Cryptosporidium. D-xylose malabsorption was not associated with diarrhea, nutritional status, immune disfunction and classic enteric parasites. Conclusions - Intestinal malabsorption evaluated through the D-xylose test was an uncommon finding in HIV-infected children. Intestinal dysfunction when present seems to be related to Cryptosporidium, but not to diarrhea, nutritional status, immune disfunction and classic enteric parasites.
  • Novos conceitos em nutrição: reflexões a respeito do elo dieta e saúde Revisão

    ANGELIS, Rebeca Carlota de

    Resumo em Português:

    A respeito do elo dieta-saúde, discutem-se os efeitos fisiológicos de alguns alimentos na redução de riscos de doenças degenerativas tais como enfermidades cardiovasculares e certos tipos de câncer. O novo conceito de alimento funcional com efeitos protetores e preventivos é apresentado com alguns exemplos altamente estudados cientificamente . Entre estes a proteção de osteoporose, através de fitoestrôgenos da soja, os aspectos protetores do azeite de oliva e as interferências do método de extração do azeite. Sumarizam-se algumas condutas gerais para obter os nutrientes adequados e suficientes para uma dieta saudável, protetora e preventiva.

    Resumo em Inglês:

    The physiological effects of several foods are discussed as possible factors reducing the risk of degenerative diseases as cardiovascular and some cancers. The new emmerging concept of functional foods is presented with examples as the phytoestrogens of soya beans. The importance of consuming olive oil is emphatic, but with criticism to the lost of physiological bioactive material during the normal extractions of the olive oil and the refinement. So, much attention is needed. The way to obtain much of these bioactive protectors foods is summarized.
  • Causas da desnutrição pós-gastrectomia Revisão

    PAPINI-BERTO, Sílvia Justina; BURINI, Roberto Carlos

    Resumo em Português:

    Racional — A retirada total ou parcial do estômago resulta em conseqüências nutricionais, agudas ou crônicas, perfeitamente prognosticáveis, mas nem sempre ponderadas na terapia pós-operatória. Objetivo - Rever as participações mecânicas e químicas do estômago no aproveitamento do nutriente dietético, e as conseqüências nutricionais da gastrectomia. Resultados - A deficiência energética, com conseqüente perda de peso, acompanha inversamente o volume gástrico remanescente e o tempo pós-operatório; tem a anorexia e diarréia (má absorção) como principais causas, sendo a primeira decorrente de fatores emocionais ou de mediadores químicos de ação hipotalâmica. A diarréia pode ser decorrente da maior motilidade ou do supercrescimento bacteriano intestinais, com o agravante da insuficiência pancreática exócrina e maior esvaziamento da vesícula biliar. A má absorção traz conseqüências não apenas energética-protéica com a perda fecal de gordura e nitrogênio, como também vitamínico-mineral pelo menor aproveitamento da vitamina D e cálcio dietéticos. A anemia verificada no gastrectomizado é conseqüente à diminuição da produção de HCl (e menor solubilização do ferro) e do fator intrínseco (com menor absorção da vitamina B12). Conclusão - Perda de peso e anemia são os sinais de desnutrição mais comumente observados nestes pacientes, em intensidade e duração variáveis dependentes do tipo de cirurgia e do tempo e tratamento nutricional pós-operatório, sendo recomendável o tratamento dietético supervisionado.

    Resumo em Inglês:

    Background — The stomach through its mechanical and chemical processes has an unique role in the food processing and bioavailability. Hence gastrectomy has predictable and modifiable nutritional consequences depending upon its knowledge and the post-surgery therapies. Objective - To point out the impact of gastrectomy on the nutritional status focusing on both mechanical and chemical actions of stomach on intaked foods. Results - The protein-energy malnutrition and consequent body-weight loss follow reversely the remainer gastric volume and post-operatory length and have anorexy and intestinal malabsorption as their main causes. Lower food intake is probably due to either emotional factors or chemical mediators acting centrally on hypothalamus. The diarrhea may be due to either increased peristalsis or bacterial overgrowth both aggravated by exocrine-pancreas deficiency and gallbladder overflow. The intestinal malabsorption leading to fecal losses of fat and/or nitrogen as well as lower utilization of dietary calcium and liposoluble vitamins. The gastrectomy-related anemia is consequent to lower secretion of both HCl and intrinsic factor leading to a decreased solubilization of iron and lower absorption of vitamin B12, respectively. Conclusion - Body-weight loss and anemia are the protein-energy malnutrition findings often found in these patients whose severity and lasting depend upon the type of surgery, post-surgery length and received nutritional care, being strongly recommended a supervisioned dietary care.
  • Manometria esofágica: limpeza e desinfecção do equipamento com glutaraldeído. Protocolo do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS Técnicas

    MÜLLER, Suzana; GRUBER, Antônio Carlos; HOEFEL, Heloísa H. K.; BARROS, Sérgio Gabriel Silva de

    Resumo em Português:

    Racional - A necessidade de desinfecção e esterilização apropriada de materiais reutilizáveis, com a finalidade de evitar infecções cruzadas, tem sido enfatizada por inúmeras publicações. Assim como os endoscópios, os cateteres de manometria esofágica são considerados materiais semicríticos e devem estar livres de microorganismos. Objetivo - Padronizar o processo de limpeza e desinfecção do material e equipamento de manometria esofágica no Serviço de Manometria do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, RS, a fim de garantir a segurança dos pacientes na reutilização de materiais semicríticos, baseado em protocolos internacionais e de acordo com a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Material e Métodos - Foi utilizado detergente enzimático para a limpeza do cateter, seguido de imersão em glutaraldeído a 2% por 20 minutos para desinfecção de alto nível. O reservatório foi armazenado limpo e seco. Foram consultados os protocolos utilizados pelo Hôpital Edouard Herriot, Lyon, França e pela Sociedade Americana de Enfermeiras do Trato Gastrointestinal e Associados. Conclusões - A desinfecção de alto nível com glutaraldeído a 2%, precedido de limpeza com detergente enzimático, constitui técnica segura e simples para evitar transmissão de infecções cruzadas no material e equipamento de manometria esofágica, devendo ser realizada após cada procedimento. Os transdutores, pelas suas características, devem ser reesterilizados em óxido de etileno a cada 6 meses. Os profissionais envolvidos nesta área devem trabalhar conjuntamente com a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, conhecer normas e portarias do País e manterem-se atualizados quanto a novos processos de esterilização de materiais oferecidos no mercado.

    Resumo em Inglês:

    Background - Many publications have emphasized the need of proper cleaning, disinfection and sterilization process for reused materials intended to prevent cross infections. As the endoscope the esophageal manometry catheters are considered as semicritical materials and must be free of microrganisms. Aim - To standardize the esophageal manometry materials cleaning and disinfection process to guarantee the safety of patients when reusing semicritical materials. It was based on international protocols and according to recommendations of the Hospital Infection Control Commission of the "Hospital de Clínicas de Porto Alegre", Porto Alegre, RS, Brazil. Materials and Methods - Enzymatic detergent was used for catheter cleaning, followed by immersion with 2% glutaraldehyde solution during 20 minutes for high-level disinfection. The water reservatory was kept clean and dry to prevent microorganisms proliferation. Conclusions: The high level disinfection with 2% glutaraldehyde, preceded by enzymatic detergent cleaning, is a safe and simple technique that avoids cross infection in the esophageal manometry equipment. This care must be taken after each manometric procedure. The transducers must be resterilized in ethylene oxide. The professionals of this area must work in concordance with the Hospital Infection Control Commission, being acquainted with the country laws and regulations and keeping sterilizing process and materials updated.
Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia e Outras Especialidades - IBEPEGE. Rua Dr. Seng, 320, 01331-020 São Paulo - SP Brasil, Tel./Fax: +55 11 3147-6227 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: secretariaarqgastr@hospitaligesp.com.br