A infecção pelo vírus da diarreia viral bovina em suínos: por que essa situação é importante para os rebanhos brasileiros?

Henrique Meiroz de Souza Almeida Igor Renan Honorato Gatto Anne Caroline Ramos dos Santos Daniele Araujo Pereira Karla Alvarenga Nascimento Thaís Gasparini Baraldi Marina Lopes Mechler Luís Guilherme de Oliveira Sobre os autores

RESUMO:

O suíno pode ser infectado pelo vírus da diarreia viral bovina (BVDV) em condições naturais, por isso são necessárias maiores informações e mais divulgação sobre a ação deste vírus nos suínos. Esta infecção é praticamente desconhecida na suinocultura e, devido a algumas semelhanças com vírus da peste suína clássica (VPSC), torna-se um desafio para os programas sanitários oficiais. Estudos revelam a ausência de sinais clínicos em leitões ao mesmo tempo em que evidenciam problemas reprodutivos em porcas devido à infecção do BVDV. Poucas são as pesquisas sobre a prevalência, fatores de riscos, medidas de prevenção e controle do BVDV em suínos no mundo e, no Brasil, os dados são praticamente inexistentes. No diagnóstico, comparar os exames laboratoriais mais eficientes como a virusneutralização, ELISA, RT-PCR e imunofluorescência, diante de uma infecção persistente ou transitória, e assim minimizar o risco de reações sorológicas cruzadas pode ser uma ferramenta fundamental. Ademais, as implicações práticas em programas de erradicação da PSC são um grande motivo para o desenvolvimento de mais pesquisas frente a esta infecção. Portanto, este trabalho pretende revisar diversos aspectos da infecção do BVDV em suínos evidenciando o quanto essa situação pode ser importante para os rebanhos brasileiros.

PALAVRAS-CHAVE:
suinocultura; vírus da diarreia viral bovina; patogenia; defesa sanitária animal; vírus da peste suína clássica

Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br