SELETIVIDADE DE INSETICIDAS USADOS NA CULTURA DO MILHO PARA OVOS E NINFAS DO PREDADOR DORU LINEARE (ESCHSCHOLTZ, 1822) (DERMAPTERA: FORFICULIDAE)

SELECTIVITY OF INSECTICIDES USED IN CORN CROPS TO EGGS AND NYMPHS OF THE EARWING DORU LINEARE (ESCHSCHOLTZ, 1822) (DERMAPTERA: FORFICULIDAE)

M.J. Zotti A.D. Grützmacher D.D. Grützmacher R.V. Castilhos J.F.S. Martins Sobre os autores

RESUMO

O objetivo do trabalho foi avaliar a seletividade de inseticidas usados na cultura do milho para o controle de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) sobre ninfas de primeiro ínstar e ovos do predador Doru lineare (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae). Para os bioensaios foi utilizada a metodologia padronizada da IOBC/WPRS, em condições de laboratório, com temperatura de 25 ± 1º C, umidade relativa de 70 ± 10% e fotofase de 14 horas. No bioensaio com ninfas para contato residual, a aplicação dos inseticidas foi realizada com um equipamento pressurizado a CO2, pressão de 50 psi. Para aplicação dos inseticidas sobre os ovos foi utilizada torre de Potter, com pressão de 10 psi. Em ambas as formas de aplicação o depósito foi de 1,75 ± 0,25 mg de calda cm-2 conforme metodologia da IOBC/WPRS. A mortalidade de ninfas foi utilizada para classificar os inseticidas como inócuo (< 30%), levemente nocivo (30-79%), moderadamente nocivo (80-99%) e nocivo (> 99%). Os dados de viabilidade de ovos e sobrevivência de ninfas que eclodiram deles foram comparados com os dados das testemunhas positiva (Sevin 480 SC) e negativa (água). Certero, Dimilin, Engeo Pleno, Karate Zeon 250 SC, Lorsban 480 BR, Match EC e Sevin 480 SC reduziram a viabilidade de ovos. A sobrevivência de ninfas provenientes dos ovos tratados teve redução para os inseticidas: Decis 25 EC, Dimilin, Engeo Pleno, Karate Zeon 250 CS, Lorsban 480 BR e Sevin 480 SC. Para ninfas de D. lineare em contato residual, todos os inseticidas foram nocivos em 96 horas após a exposição.

PALAVRAS-CHAVE
Controle biológico; controle químico; manejo integrado de pragas; toxicidade; Zea mays

ABSTRACT

The goal of this work was to evaluate the selectivity of insecticides used in corn crops for the control of Spodoptera frugiperda (J.E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) on first-instar nymphs and eggs of the earwig Doru lineare. For the bioassays the standardized methodology of IOBC/WPRS was used in terms of temperature (25 ± 1º C), relative humidity (70 ± 15%) and photophase (14 hours). In the bioassay with nymphs for residual contact, the applications of insecticides was conducted with equipment pressurized by CO2 to 50 psi. For applications of insecticides on eggs, a Potter’s tower was used, with pressure of 10 psi. In both forms of spraying the deposit was 1.75±0.25 mg cm-2 of aqueous solution in accordance with the IOBC/WPRS methodology. The mortality of nymphs was used to classify insecticides as harmless (< 30%), slightly harmful (30-79%), moderately harmful (80-99%) and harmful (> 99%). Viability of eggs and survival of hatched nymphs were both evaluated by comparing with the positive (Sevin 480 SC) and negative (water) controls. The viability of eggs was reduced by Certero, Dimilin, Engeo Pleno, Karate Zeon 250 SC, Lorsban 480 BR, Match EC and Sevin 480 SC. The survival of nymphs from treated eggs was reduced by the insecticides Decis EC, Dimilin, Engeo Pleno, Karate Zeon 250 CS, Lorsban 480 BR and Sevin 480 SC. For nymphs of D. lineare in residual contact, all the insecticides were harmful.

KEY WORDS
Biological control; chemical control; integrated pest management; toxicity; Zea mays

INTRODUÇÃO

No Brasil, a cultura do milho teve uma produção no período 2006/2007 que atingiu a marca de 51, 367 milhões de toneladas, superando a maior safra obtida até então, a do ano agrícola 2002/2003, com 47, 410 milhões de toneladas. Apesar da região Sul do Brasil na safra 2006/2007 ter obtido a melhor média de produção, o Estado do Rio Grande do Sul teve o menor rendimento em comparação com os estados de Santa Cataria e Paraná (COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO, 2007COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. (Brasil). Safras – grãos. Disponível em <http:www.conab.gov.br/conabweb/index.php?PAG=145>. Acesso em: 10 out. 2007.
http:www.conab.gov.br/conabweb/index.php...
). Várias causas são assinaladas como determinantes da pouca produção e, dentre outros fatores responsáveis pela baixa produtividade da cultura no RS, destacam-se os insetos-praga que ocasionam danos pela destruição de folhas, hastes, espigas, grãos e ou da planta completamente (CRUZ, 1999CRUZ, I. Manejo de pragas na cultura do milho. In: SEMINÁRIO SOBRE A CULTURA DO MILHO “SAFRINHA”, 5., Barretos, 1999. Cursos. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 1999. p.27-56.).

CRUZ (1999)CRUZ, I. Manejo de pragas na cultura do milho. In: SEMINÁRIO SOBRE A CULTURA DO MILHO “SAFRINHA”, 5., Barretos, 1999. Cursos. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 1999. p.27-56. relatou que aSpodoptera frugiperda(J.E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae) é considerada uma das principais pragas da cultura do milho. Neste sentido, o controle tem-se baseado em inseticidas químicos, geralmente não seletivos aos inimigos naturais. Entre os inimigos naturais de S. frugiperda na cultura do milho destaca-se os predadores do gênero Doru. De acordo com REIS . (1988)REIS, L.L.; OLIVEIRA, L.J.; CRUZ, I. Biologia e potencial de Doru luteipes no controle de Spodoptera frugiperda. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.4, p.333-342, 1988., Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) é capaz de predar na fase de ninfa, 13 ovos e 12 lagartas de 1° ínstar de S. frugiperda, por dia e, na fase adulta, 21 lagartas por dia. Da mesma forma, SASAKI . (1986)SASAKI, E.T.; MUZETTI, E.J.P.; CALAFIORI, M.H. Controle de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith, 1797) por tesourinha Doru lineare Eschs. Ecossistema, v.11, n.3, p.14-17, 1986. encontraram valores semelhantes para D. lineare.

A seletividade de inseticidas para ninfas de D. luteipes foi estudada por SIMÕES . (1998)SIMÕES, J.C.; CRUZ, I.; SALGADO, L.O. Seletividade de inseticidas às diferentes fases de desenvolvimento do predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, n.2, p.289-294, 1998. os quais observaram que os produtos microbianosBaculovirus e Bacillus thuringiensis (Berliner) podem ser usados no controle de S. frugiperda na cultura do milho sem afetar o predador. Por outro lado, FALEIRO . (1995)FALEIRO, F. G.; PICANÇO, M.V.; De PAULA, S.V.; BATALHA, V.C. Seletividade de inseticidas a Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidade) e ao predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.24, n.2, p.247-252, 1995. concluíram queD. luteipes foi mais tolerante aos inseticidas na fase adulta em comparação com a fase ninfal, e o inseticida mais seletivo foi permetrina seguida da deltametrina. PICANÇO . (2003)PICANÇO, M.C.; De MOURA, M.F.; MIRANDA, M.M.M.; GONTIJO, L.M.; FERNANDES, F.L. Seletividade de inseticidas a Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) e Cotesia sp. (Hymenoptera: Braconidae) inimigos naturais de Ascia monuste orseis (Godart, 1818) (Lepdoptera: Pieridae). Ciência Rural, v.33, n.2, p.183-188, 2003. observaram que permetrina e deltametrina foram altamente seletivos para adultos e ninfas de D. luteipes.

Observa-se, portanto, a existência de pesquisas de seletividade com o predadorD. luteipese a inexistência de trabalhos com D. lineare em laboratório. Visto a importância da espécieD. lineare como agente natural de controle da S. frugiperda e a carência de trabalhos com seletividade de inseticidas, usados na cultura do milho na região Sul do Brasil, o objetivo do presente estudo foi avaliar a seletividade dos principais inseticidas utilizados para o controle de S. frugiperda na cultura do milho para ovos e ninfas de primeiro ínstar de D. lineare.

Com isso espera-se que os resultados possam ser utilizados como suporte para o Manejo Integrado de Pragas na cultura do milho, na indicação dos produtos seletivos, de diferentes grupos químicos, possibilitando a associação do controle químico e biológico.

MATERIAL E MÉTODOS

Os experimentos foram conduzidos no Laboratório do Núcleo de Manejo Integrado de Pragas (NUMIP), Embrapa Clima Temperado/UFPel, Capão do Leão, RS.

Foram coletados ovos e ninfas D. lineare no agroecossistema de várzea subtropical Município de Pelotas, RS. No laboratório, os insetos foram mantidos em temperatura de 25 ± 1º C, umidade relativa 70 ± 10% e fotofase 14 horas, seguindo a técnica de descrita por PASINI . (2007)PASINI, A.; PARRA, J.R.P.; LOPES, J. Dieta artificial para criação de Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidae), predador da lagarta-do-cartucho do milho, Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae). Neotropical Entomology, v.36, p.308-311, 2007.. Os insetos foram mantidos nessas condições até a fase adulta. Para os trabalhos foram usados ovos e ninfas da primeira geração em laboratório.

Para o experimento com ovos de D. lineare foi avaliada sua viabilidade bem como a sobrevivência das ninfas que eclodiram. As aplicações sobre os ovos foram realizadas em torre de Potter calibrada a uma pressão de 10 psi, resultando em um volume de 1,75 ± 0,25 mg.cm-2. Para o trabalho com ovos foi utilizada a metodologia proposta por SIMÕES . (1998)SIMÕES, J.C.; CRUZ, I.; SALGADO, L.O. Seletividade de inseticidas às diferentes fases de desenvolvimento do predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, n.2, p.289-294, 1998., pois os referidos autores usaram em seus experimentos a espécie D. luteipes, sendo esta muito próxima da espécie do presente estudo. Cada unidade experimental foi composta de cinco ovos, com quatro repetições. No final do primeiro instar foi avaliada a sobrevivência de ninfas, bem como a viabilidade de ovos. O delineamento utilizado foi de blocos ao acaso.

Para os trabalhos de contato residual foram usadas ninfas de primeiro instar proveniente da primeira geração em laboratório. Os inseticidas (Tabela 1) de diferentes grupos químicos foram aplicados com um pulverizador pressurizado a CO2, utilizando bico TeeJet TP80015E. A pressão de trabalho foi de 50 psi. A calibração foi efetuada pesando-se as placas antes e depois da pulverização, em balança eletrônica, obtendo-se um depósito de 1,75 ± 0,25 mg de calda cm-2 conforme metodologia da IOBC/WPRS (HASSAN ., 1985HASSAN, S.A.; BIGLER, F.; BLAISINGER, P.; BOGENSCHÜTZ, H.; BRUN, J.; CHIVERTON, P.; DICKLER, E.; EASTERBROOK, M.A.; EDWARDS, P.J.; ENGLERT, W.D.; FIRTH, S.I.; HUANG, P.; INGLESFIELD, D.; KLINGAUF, F.; KÜHNER, C.; LEDIEU, M.S.; NATON, E.; OOMEN, P.A.; SHIRES, S.W.; STÄUBLI, A.; STEVENSON, J.; TUSET, J.J.; van WETSWINKEL, G.; van ZON, A.Q. P. Standard methods to test the side effects of pesticides on natural enemies of insects and mites developed by the IOBC/WPRS “Working Group Pesticides and Beneficial Organisms”. OEPP/EPPO Bulletin, v.15, s/n, p.214-255, 1985.).

Tabela 1
Inseticidas avaliados nos testes de seletividade para Doru lineare utilizando a dosagem máxima usada para o controle de Spodoptera frugiperda em milho.

Ninfas provenientes da respectiva geração de laboratório com três dias de idade foram liberadas no interior das arenas (anéis de vidro circular vazados com 4 cm de diâmetro e 5 cm de altura) ficando em contato constante durante todo o período de avaliação. As mortalidades acumuladas dos insetos foram avaliadas em períodos de 24 horas até a sua total mortalidade (SAUPHANOR ., 1992SAUPHANOR, B.; BLAISINGER, P.; SUREAL, F. Méthode de laboratoire pour évaluer l’effet dêspesticides sur Forficula auricularia L. (Dermaptera, Forficulidae). In: HASSAN, S. A. (Ed.). Guidelines for testing the effects of pesticides on beneficial organisms: description of test methods. Montfavet: OILB/SROP, 1992. p. 117-121. (Bulletin n.15).).

Cada tratamento foi composto por três repetições com dez insetos cada. Foi utilizado o mesmo deline-

Seletividade de inseticidas usados na cultura do milho para ovos e ninfas do predador Doru lineare (Eschscholtz, 1822) (Dermaptera: Forficulidae).

amento citado anteriormente. Com base nas porcentagens de mortalidade corrigidas pela fórmula de Abbott (ABBOTT, 1925ABBOTT, W.S. A method of computing the effectiveness of an insecticide. Journal of Economic Entomology, v.18, p. 265-267, 1925.), os inseticidas foram classificados segundo índices propostos pela IOBC/ WPRS, em: 1) inócuo (< 30%), 2) levemente nocivo (30-79%), 3) moderadamente nocivo (80-99%) e 4) nocivo (> 99%).

Os dados obtidos nos experimentos foram submetidos à análise de variância, sendo que as médias dos tratamentos foram comparadas por meio do teste de agrupamento de Scott e Knott a 5% de significância (SCOTT; KNOTT, 1974SCOTT, A.J.; KNOTT, M.A. A cluster analyses method for grouping means in the analyses of variance. Biometrics, v.30, s/n, p.507-512, 1974.), utilizando o programa Sisvar (FERREIRA, 2000FERREIRA, D.F. Análises estatísticas por meio do Sisvar para Windows versão 4. 0. In: REUNIÃOANUAL DA REGIÃO BRASILEIRA DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE BIOMETRIA, 45., 2000, São Carlos. Anais. São Carlos: UFSCar, 2000. p.255-258.).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Moduladores dos canais de sódio (piretroides)

Na Tabela 2 encontra-se a viabilidade de ovos de D. lineare após serem pulverizados com os produtos. Entre os inseticidas piretroides somente Karate Zeon 250 CS afetou esta característica biológica. Todos os piretroides comportaram-se diferentemente do inseticida Sevin 480 SC (testemunha positiva) que ocasionou zero de viabilidade de ovos. A viabilidade de ovos encontrada para Karate Zeon 250 SC de 55,00% foi semelhante àquela verificada por SIMÕES et al. (1998), com a espécie D. luteipes. No entanto, foi diferente da média encontrada para Decis 25 EC com 75% de viabilidade. COSME . (2007)COSME, L.V.; CARVALHO, G.A.; MOURA, A.P. Efeito de inseticidas botânicos e sintéticos sobre ovos e larvas de Cycloneda sanguinea (Linnaeus) (Coleoptera: Coccinellidade) em condições de laboratório. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.74, n.3, p.251-258, 2007. observaram que Karate Zeon 250 CS foi altamente tóxico para ovos deCycloneda sanguinea(Linnaeus, 1763) (Coleoptera: Coccinellidae). Entretanto, no presente estudo, este inseticida pode ser considerado apenas de toxicidade mediana, haja vista que causou 45% de redução na viabilidade.

Tabela 2
Percentagem de mortalidade (± EP) de ninfas de primeiro instar de Doru lineare em horas após a exposição (HAE) a resíduos dos inseticidas usados na cultura do milho, viabilidade(%) dos ovos tratados e sobrevivência (%) de ninfas que eclodiram dos ovos tratados. Temperatura 25 ± Io C; UR 70 ± 10%; fotofase de 14 horas.

Os inseticidas Karate Zeon 250 CS e Decis 25 EC reduziram significativamente a sobrevivência de ninfas de primeiro ínstar, provavelmente em função de seu contato com a superfície externa do ovo no momento do seu nascimento, fato este não evidenciado com Fastac 100 SC possivelmente devido ao seu baixo residual quando comparado com os demais piretroides ou por mecanismos ainda desconhecidos.

O inseticida Karate Zeon 250 CS causou 100% de moralidade das ninfas nas 24 horas após a exposição (HAE), sendo diferente dos outros piretroides. Após 72 HAE todos os produtos causaram mortalidade de 100%, assim foram semelhantes nas mortalidades causadas, pela testemunha positiva o inseticida Sevin 480 SC. Em nenhuma das avaliações as mortalidades causadas pelos piretroides foram semelhantes à testemunha negativa (Tabela 2). Os inseticidas Karate Zeon 250 CS, Decis 25 EC e Fastac 100 SC causaram mortalidades nas 24 HAE de 100,00; 44,44 e 77,78 %, respectivamente (Tabela 3). Estes dados estão de acordo com os encontrados por SIMÕES . (1998)SIMÕES, J.C.; CRUZ, I.; SALGADO, L.O. Seletividade de inseticidas às diferentes fases de desenvolvimento do predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, n.2, p.289-294, 1998. e REIS . (1988)REIS, L.L.; OLIVEIRA, L.J.; CRUZ, I. Biologia e potencial de Doru luteipes no controle de Spodoptera frugiperda. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.4, p.333-342, 1988. para D. luteipes.

Tabela 3
Mortalidade (%) em horas após a exposição (HAE) e classificação da IOBC/WPRS de ninfas do predador Doru lineare após serem expostos ao contato residual com os inseticidas usados na cultura do milho. Temperatura 25±1°C; UR 70±10%; fotofase de 14 horas.

As diferenças nas mortalidades causadas pelos piretroides podem ser explicadas em parte pelo peso molecular, pois segundo STOCK; HOLLOWAY (1993)STOCK, D.; HOLLOWAY, P.J. Possible mechanism for surfactant-induced foliar uptake of agrochemicals. Pesticide Science, v.38, n.2, p.165-177, 1993., substâncias de alto peso molecular têm menor penetração na cutícula dos insetos, assim como Karate Zeon 250 CS tem o menor peso molecular (391,4) quando comparado com Decis 25 EC (502,2) e Fastac 100 SC (416,0) teria causado mais mortalidade. FALEIRO . (1995)FALEIRO, F. G.; PICANÇO, M.V.; De PAULA, S.V.; BATALHA, V.C. Seletividade de inseticidas a Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidade) e ao predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.24, n.2, p.247-252, 1995. e PICANÇO . (2003)PICANÇO, M.C.; De MOURA, M.F.; MIRANDA, M.M.M.; GONTIJO, L.M.; FERNANDES, F.L. Seletividade de inseticidas a Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) e Cotesia sp. (Hymenoptera: Braconidae) inimigos naturais de Ascia monuste orseis (Godart, 1818) (Lepdoptera: Pieridae). Ciência Rural, v.33, n.2, p.183-188, 2003. também observaram que Decis 25 EC nas 24 HAE causou baixa mortalidade para D. luteipes quando comparada com outros inseticidas piretroides. No entanto, todos os piretroides em 96 HAE foram classificados como nocivos (classe 4) utilizando-se a escala da IOBC/ WPRS (Tabela 3).

Inibidores da síntese de quitina (benzoilureias)

Os dados referentes à viabilidade de ovos (Tabela 2) para os inseticidas, Dimilin e Certero, confirmam aqueles de SIMÕES . (1998)SIMÕES, J.C.; CRUZ, I.; SALGADO, L.O. Seletividade de inseticidas às diferentes fases de desenvolvimento do predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, n.2, p.289-294, 1998. e com os de COSME . (2007)COSME, L.V.; CARVALHO, G.A.; MOURA, A.P. Efeito de inseticidas botânicos e sintéticos sobre ovos e larvas de Cycloneda sanguinea (Linnaeus) (Coleoptera: Coccinellidade) em condições de laboratório. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.74, n.3, p.251-258, 2007. para ovos de D. luteipes e C. sanguinea, respectivamente.

Para a mortalidade de ninfas em todas as avaliações as benzoiluréias foram diferentes da testemunha negativa. A partir das 72 HAE as mortalidades de ninfas de D. lineare para os inseticidas Certero, Dimilin e Match EC não apresentaram diferenças significativas em relação à testemunha positiva (Sevin 480 SC). Estes produtos causaram mortalidades nas 24 HAE, de 55,56; 27,75 e 37,04% respectivamente, entretanto na avaliação de 96 HAE, provocaram 100% de mortalidade, sendo classificados como nocivos (classe 4) (Tabelas 2 e 3). SIMÕES . (1998)SIMÕES, J.C.; CRUZ, I.; SALGADO, L.O. Seletividade de inseticidas às diferentes fases de desenvolvimento do predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, n.2, p.289-294, 1998. observaram maior mortalidade de ninfas de D. luteipes tratadas com Alsystin (triflumuron) e Dimilin, com valores de 78 e 100%.

Dentre os possíveis efeitos dos inibidores de síntese de quitina (RETNAKARAN; WRIGTH, 1978RETNAKARAM, A.; WRIGTH, J.E. Control of insects pests with benzoilphenyl ureas. In. WRIGTH, J.E; RETNAKARAM, A. (Ed.). Chitin and bezoilphenyl ureas. Dordrecht: Dr Junk Publishing, 1978. p.205-282.)a inibição da quitina sintetase possivelmente causou a alta mortalidade de D. lineare, na fase de ninfa e durante o perído embrionário.

Agonistas de ecdisteroides (diacilhidrazinas e azadirachtin)

Os inseticidas Intrepid 240 SC e Mimic 240 SC em todas as avaliações foram semelhantes entre si, mas causaram mortalidades diferentes da testemunha e, após 48 HAE, comportaram-se de forma semelhante à testemunha positiva (Sevin 480 SC) (Tabela 2).

O inseticida Neem Azal somente na avaliação de 24 HAE foi igual na mortalidade dos demais agonistas de ecdisteroides em todas as demais avaliações compor-tou-se de forma semelhante à testemunha positiva. Apesar de Intrepid 240 SC, Mimic 240 SC e Neem Azal causarem baixas moralidades em 24 HAE (33,33; 25,93 e 29,63 %, respectivamente), todos foram considerados como nocivos (classe 4) em 96 HAE (Tabela 3).

Segundo MEDINA . (2003)MEDINA, P.; BUDIA, F.; DEL STAL, P.; VIÑUELA, E. Effects of three modern insecticides pyripoxyfen, spinosad and tebufenozide on survival and reproduction of Chrysoperla carnea adults. Annals of Applied of Biology, v.142, n.1, p.55-61, 2003., a reduzida penetração das diacilhidrazinas em insetos adultos (26%) e larvas (46%) explicaria em parte a tolerância de Chrysoperla carnea (Stephens, 1836) (Neuroptera: Chrysopidae) a esses produtos. Entretanto, essa reduzida penetração parece não ocorrer com D. lineare haja vista as altas mortalidades no decorrer das avaliações (Tabela 3). Desta forma, após 24 horas foi observado que as mortalidades aumentaram de 4,0 e 3,3% para 7,3 e 7,0 para Intrepid 240 SC e Mimic 240 SC, respectivamente, sendo uma possível explicação aquela dada por BINNINGTON; RETNAKARAM (1991)BINNINGTON, K.; RETNAKARAN, A. Epidermis - A biologically active target for metabolic inhibitors. In: BINNINGTON, K.; RETNAKARAN, A. (Ed.). Physiology of the insect epidermis. Canberra: CSIRO Editorial, 1991. p.307-334., pois, segundo eles quando ocorre a penetração das diacilhidrazinas no corpo do inseto, dentro de 24 horas inicia o processo de muda, devido à característica desse grupo químico também chamado de acelerador da ecdise.

COSME . (2007)COSME, L.V.; CARVALHO, G.A.; MOURA, A.P. Efeito de inseticidas botânicos e sintéticos sobre ovos e larvas de Cycloneda sanguinea (Linnaeus) (Coleoptera: Coccinellidade) em condições de laboratório. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.74, n.3, p.251-258, 2007. observaram que azadirachtin, mesmo ingrediente ativo de Neem Azal, reduziu a sobrevivência de larvas de primeiro estádio de C. sanguinea de forma similar LOWERY; ISMAN (1995)LOWERY, D.T.; ISMAN, M.B. Toxicity of neem to natural enemies of aphids. Phytoparasitica, v.23, p. 297-306, 1995. com o coccinelídeo Coccinella undecinpuncatata Linnaeus, 1758 (Coleoptera: Coccinellidade), concordando com os resultados do presente estudo (Tabela 3).

No presente estudo foi constatado que Neem Azal foi prejudicial aD. lineare em condições de laboratório, demonstrando que os inseticidas naturais podem ser tão tóxicos aos inimigos naturais quanto os inseticidas sintéticos.

Inibidores da acetilcolinesterase (carbamato e organofosforado)

Os inseticidas Lorsban 480 BR e Sevin 480 SC (padrão de toxicidade), em todas as avaliações não apresentaram diferenças significativas entre eles, no entanto ambos foram diferentes da testemunha (Tabela 2). Os inseticidas causaram mortalidade de 100% nas 24 HAE, desta forma foram classificados como nocivos (classe 4) (Tabela 3).

COSME . (2007)COSME, L.V.; CARVALHO, G.A.; MOURA, A.P. Efeito de inseticidas botânicos e sintéticos sobre ovos e larvas de Cycloneda sanguinea (Linnaeus) (Coleoptera: Coccinellidade) em condições de laboratório. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.74, n.3, p.251-258, 2007. observaram que Lorsban 480 BR também foi altamente tóxico para ovos e larvas de primeiro e quarto estádio deC. sanguinea. FALEIRO . (1995)FALEIRO, F. G.; PICANÇO, M.V.; De PAULA, S.V.; BATALHA, V.C. Seletividade de inseticidas a Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidade) e ao predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.24, n.2, p.247-252, 1995. e PICANÇO . (2003)PICANÇO, M.C.; De MOURA, M.F.; MIRANDA, M.M.M.; GONTIJO, L.M.; FERNANDES, F.L. Seletividade de inseticidas a Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) e Cotesia sp. (Hymenoptera: Braconidae) inimigos naturais de Ascia monuste orseis (Godart, 1818) (Lepdoptera: Pieridae). Ciência Rural, v.33, n.2, p.183-188, 2003. verificaram mortalidade de 100% de ninfas de primeiro estádio de D. luteipes para o inseticida Sevin 480 SC.

Segundo FALEIRO . (1995)FALEIRO, F. G.; PICANÇO, M.V.; De PAULA, S.V.; BATALHA, V.C. Seletividade de inseticidas a Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidade) e ao predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.24, n.2, p.247-252, 1995., em insetos jovens de D. lineare os inseticidas penetram com maior facilidade quando comparados com insetos adultos. Ao atingir o sistema nervoso os inseticidas organofosforados e carbamatos provocam a inibição da acetilcolinesterase, causando hiperexcitação e morte (WILKINSON, 1976WILKINSON, C.F. Insecticide Biochemestry and Physiology. New York: Plenum, 1976. 768p.).

Agonista de receptores nicotínicos da acetilcolina (spinosina)

Para Tracer não foi observada ação ovicida, bem como alteração na sobrevivência das ninfas, provenientes dos ovos pulverizados (Tabela 2).

Para ninfas em todas as avaliações, a sobrevivência foi afetada. Em 48 HAE não apresentou diferença da testemunha positiva (Sevin 480 SC) (Tabela 2). Apesar de em 24 HAE, Tracer ter causado mortalidade de 51,58% levemente nocivo (classe 2), houve um aumento severo na mortalidade e, por consequência, evolução da classe de toxicidade, sendo desta forma considerado nocivo a partir das 48 HAE (classe 4) (Tabela 3).

CISNEROS . (2002)CISNEROS, J.; GOULSON, D.; DERWENT, L.C.; PENAGOS, D.I.; HERNANDÉZ, O.; WILLIANS, T. Toxic effects of spinosad on predatory insects, Biological Control, v.23, n.4, p.156-163, 2002., estudando o efeito de ingestão de Tracer por Doru teaniatum (Dohrn, 1847) (Dermaptera: Forficulidae), observaram altas mortalidades do predador. Tracer é um inseticida que atua por ingestão e contato, sendo particularmente ativo contra lepidópteros e dípteros. É um inseticida neurotóxico envolvido com os receptores nicotínicos da acetilcolina e, aparentemente, com os receptores do GABA; no entanto, o seu completo mecanismo de ação não está bem entendido (CISNEROS ., 2002CISNEROS, J.; GOULSON, D.; DERWENT, L.C.; PENAGOS, D.I.; HERNANDÉZ, O.; WILLIANS, T. Toxic effects of spinosad on predatory insects, Biological Control, v.23, n.4, p.156-163, 2002.).

Desta forma, baseado nas altas mortalidades causadas por Tracer em D. teaniatum e no fato que pode atuar por ingestão e contato (CISNEROS ., 2002CISNEROS, J.; GOULSON, D.; DERWENT, L.C.; PENAGOS, D.I.; HERNANDÉZ, O.; WILLIANS, T. Toxic effects of spinosad on predatory insects, Biological Control, v.23, n.4, p.156-163, 2002.) é possível, que a espécie D. lineare apresente susceptibilidade semelhante, pois, pequenas quantidades de produto, ao penetrarem na cutícula e somando-se ao logo tempo de exposição, podem ser letais, demonstrado pela alta mortalidade de ninfas de D. lineare causada por Tracer (Tabela 3).

Inseticida com mistura de ingrediente ativo (piretroide + neonicotinoide)

O inseticida Engeo Pleno não apresentou diferença significativa da testemunha positiva (Sevin 480 SC) em todas as avaliações; no entanto foi diferente da testemunha (Tabela 2). Engeo Pleno causou 100% de moralidade das ninfas de D. lineare nas 24 HAE, sendo considerado como nocivo (classe 4) (Tabela 3). Da mesma forma, observou-se redução na viabilidade de ovos, com apenas 5% de ovos viáveis, bem como sua ação letal sobre as ninfas resultantes dos ovos tratados (Tabela 2).

Em trabalho realizado a campo em lavoura de soja, FARIAS . (2006)FARIAS, J.; FRANÇA, J.A.S.; SULZBACH, F.; BIGOLIN, M.; FIORIN, A.R.; MAZIERO, H.; GUEDES, J.V.C. Eficiência de tiametoxam + lambda-cialotrina no controle do percevejo-verde-pequeno, Piezodorus guildini (Westwood, 1837) (Hemiptera: Pentatomidae) e seletividade para predadores na cultura da soja. Revista da Faculdade de Zootecnia, Veterinária e Agronomia, v.13, n.2, p.10-19, 2006. estudaram o efeito da mistura lambda-cialotrina + tiametoxam, usada no controle de percevejos na cultura da soja e a seletividade sobre inimigos naturais, e verificaram que a população de D. lineare foi reduzida em mais de 90% após a aplicação do inseticida.

Segundo TORRES . (2003)TORRES, J.B.; SILVA-TORRES, C.S.A.; SILVA, M.R.; FERREIRA, J.F. Toxicity of pymetrozine and thiamethoxam to Aphelinus gossypii and Delphastus pusillus. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.38, n.2, p.459-466, 2003., o inseticida tiametoxam (Actara 25 WG) foi altamente tóxico, tanto para larvas, pupas e adultos do predadorDelphastus pusillus (LeConte, 1852) (Coleoptera: Coccinellidae), de forma semelhante aos resultados encontrados no presente estudo.

Considerando os grupos químicos de todos os inseticidas testados, observa-se que os moduladores dos canais de sódio não apresentaram ação ovicida (Tabela 2), mas a exceção do Karate Zeon 250 CS (Tabela 3). Os inibidores da acetilcolinesterase e o inseticida Engeo Pleno tiveram efeito de choque causando altas mortalidades nas 24 HAE e foram altamente ovicidas (Tabela 2). Os inibidores da síntese de quitina, com exceção de Match EC, tiveram ação ovicida e foram nocivos para as ninfas (Tabelas 2 e 3).

Os agonistas de ecdisteroides apesar de serem considerados nocivos, em 96 HAE (Tabela 2), na avaliação em 24 HAE, com exceção de Neem Azal, apresentaram menor efeito deletério em comparação com os outros grupos químicos para ninfas e não foram ovicidas (Tabelas 2 e 3). O agonista de receptores nicotínicos da acetilcolina, apesar de não apresentar efeito ovicida, causou mortalidades às ninfas semelhante aos moduladores dos canais de sódio (Tabela 2).

CONCLUSÕES

Certero, Dimilin, Engeo Pleno, Karate Zeon 250 CS, Lorsban 480 BR, Match EC e Sevin 480 BR reduzem a viabilidade de ovos de D.lineare.

Os produtos Decis 25 EC, Dimilin, Engeo Pleno, Karate Zeon 250 SC, Lorsban 480 BR e Sevin 480 SC quando aplicados sobre ovos reduzem a sobrevivência de ninfas durante o primeiro instar de D. lineare.

Todos os produtos testados não nocivos (classe 4) para ninfas de D. lineare.

REFERÊNCIAS

  • ABBOTT, W.S. A method of computing the effectiveness of an insecticide. Journal of Economic Entomology, v.18, p. 265-267, 1925.
  • BINNINGTON, K.; RETNAKARAN, A. Epidermis - A biologically active target for metabolic inhibitors. In: BINNINGTON, K.; RETNAKARAN, A. (Ed.). Physiology of the insect epidermis Canberra: CSIRO Editorial, 1991. p.307-334.
  • CISNEROS, J.; GOULSON, D.; DERWENT, L.C.; PENAGOS, D.I.; HERNANDÉZ, O.; WILLIANS, T. Toxic effects of spinosad on predatory insects, Biological Control, v.23, n.4, p.156-163, 2002.
  • COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. (Brasil). Safras – grãos. Disponível em <http:www.conab.gov.br/conabweb/index.php?PAG=145>. Acesso em: 10 out. 2007.
    » http:www.conab.gov.br/conabweb/index.php?PAG=145
  • COSME, L.V.; CARVALHO, G.A.; MOURA, A.P. Efeito de inseticidas botânicos e sintéticos sobre ovos e larvas de Cycloneda sanguinea (Linnaeus) (Coleoptera: Coccinellidade) em condições de laboratório. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v.74, n.3, p.251-258, 2007.
  • CRUZ, I. Manejo de pragas na cultura do milho. In: SEMINÁRIO SOBRE A CULTURA DO MILHO “SAFRINHA”, 5., Barretos, 1999. Cursos Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 1999. p.27-56.
  • FALEIRO, F. G.; PICANÇO, M.V.; De PAULA, S.V.; BATALHA, V.C. Seletividade de inseticidas a Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidade) e ao predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.24, n.2, p.247-252, 1995.
  • FARIAS, J.; FRANÇA, J.A.S.; SULZBACH, F.; BIGOLIN, M.; FIORIN, A.R.; MAZIERO, H.; GUEDES, J.V.C. Eficiência de tiametoxam + lambda-cialotrina no controle do percevejo-verde-pequeno, Piezodorus guildini (Westwood, 1837) (Hemiptera: Pentatomidae) e seletividade para predadores na cultura da soja. Revista da Faculdade de Zootecnia, Veterinária e Agronomia, v.13, n.2, p.10-19, 2006.
  • FERREIRA, D.F. Análises estatísticas por meio do Sisvar para Windows versão 4. 0. In: REUNIÃOANUAL DA REGIÃO BRASILEIRA DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE BIOMETRIA, 45., 2000, São Carlos. Anais São Carlos: UFSCar, 2000. p.255-258.
  • FERREIRA, J.A.; CARVALHO, G.A.; BOTTON, M.; LOSMAR, O. Seletividade de inseticidas usados na cultura da macieira a duas populações de Chrysoperla externa (Hagen, 1861) (Neuroptera; Chrysopidae), Ciência Rural, v.36, n.2, p.378-384, 2006.
  • HASSAN, S.A.; BIGLER, F.; BLAISINGER, P.; BOGENSCHÜTZ, H.; BRUN, J.; CHIVERTON, P.; DICKLER, E.; EASTERBROOK, M.A.; EDWARDS, P.J.; ENGLERT, W.D.; FIRTH, S.I.; HUANG, P.; INGLESFIELD, D.; KLINGAUF, F.; KÜHNER, C.; LEDIEU, M.S.; NATON, E.; OOMEN, P.A.; SHIRES, S.W.; STÄUBLI, A.; STEVENSON, J.; TUSET, J.J.; van WETSWINKEL, G.; van ZON, A.Q. P. Standard methods to test the side effects of pesticides on natural enemies of insects and mites developed by the IOBC/WPRS “Working Group Pesticides and Beneficial Organisms”. OEPP/EPPO Bulletin, v.15, s/n, p.214-255, 1985.
  • LOWERY, D.T.; ISMAN, M.B. Toxicity of neem to natural enemies of aphids. Phytoparasitica, v.23, p. 297-306, 1995.
  • MEDINA, P.; BUDIA, F.; DEL STAL, P.; VIÑUELA, E. Effects of three modern insecticides pyripoxyfen, spinosad and tebufenozide on survival and reproduction of Chrysoperla carnea adults. Annals of Applied of Biology, v.142, n.1, p.55-61, 2003.
  • PASINI, A.; PARRA, J.R.P.; LOPES, J. Dieta artificial para criação de Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidae), predador da lagarta-do-cartucho do milho, Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae). Neotropical Entomology, v.36, p.308-311, 2007.
  • PICANÇO, M.C.; De MOURA, M.F.; MIRANDA, M.M.M.; GONTIJO, L.M.; FERNANDES, F.L. Seletividade de inseticidas a Doru luteipes (Scudder, 1876) (Dermaptera: Forficulidae) e Cotesia sp. (Hymenoptera: Braconidae) inimigos naturais de Ascia monuste orseis (Godart, 1818) (Lepdoptera: Pieridae). Ciência Rural, v.33, n.2, p.183-188, 2003.
  • REIS, L.L.; OLIVEIRA, L.J.; CRUZ, I. Biologia e potencial de Doru luteipes no controle de Spodoptera frugiperda Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.23, n.4, p.333-342, 1988.
  • RETNAKARAM, A.; WRIGTH, J.E. Control of insects pests with benzoilphenyl ureas. In. WRIGTH, J.E; RETNAKARAM, A. (Ed.). Chitin and bezoilphenyl ureas Dordrecht: Dr Junk Publishing, 1978. p.205-282.
  • SAUPHANOR, B.; BLAISINGER, P.; SUREAL, F. Méthode de laboratoire pour évaluer l’effet dêspesticides sur Forficula auricularia L. (Dermaptera, Forficulidae). In: HASSAN, S. A. (Ed.). Guidelines for testing the effects of pesticides on beneficial organisms: description of test methods. Montfavet: OILB/SROP, 1992. p. 117-121. (Bulletin n.15).
  • SASAKI, E.T.; MUZETTI, E.J.P.; CALAFIORI, M.H. Controle de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith, 1797) por tesourinha Doru lineare Eschs. Ecossistema, v.11, n.3, p.14-17, 1986.
  • SCOTT, A.J.; KNOTT, M.A. A cluster analyses method for grouping means in the analyses of variance. Biometrics, v.30, s/n, p.507-512, 1974.
  • SIMÕES, J.C.; CRUZ, I.; SALGADO, L.O. Seletividade de inseticidas às diferentes fases de desenvolvimento do predador Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidade). Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, v.27, n.2, p.289-294, 1998.
  • STOCK, D.; HOLLOWAY, P.J. Possible mechanism for surfactant-induced foliar uptake of agrochemicals. Pesticide Science, v.38, n.2, p.165-177, 1993.
  • TORRES, J.B.; SILVA-TORRES, C.S.A.; SILVA, M.R.; FERREIRA, J.F. Toxicity of pymetrozine and thiamethoxam to Aphelinus gossypii and Delphastus pusillus Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.38, n.2, p.459-466, 2003.
  • VOGT, H.; GONZALES, M.; ADAN, A.; SMAGGHE, G.; VIÑUELA, E. Efectos secundarios de la azardiractina, vía contacto residual, en larvas jóvenes del depredador Chrysoperla carnea (Stephens) (Neuroptera: Chrysopidae). Boletín de Sanidad Vegetal. Plagas, v.24, n.1, p.67-78, 1998.
  • WILKINSON, C.F. Insecticide Biochemestry and Physiology New York: Plenum, 1976. 768p.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    19 Out 2020
  • Data do Fascículo
    Jan-Mar 2010

Histórico

  • Recebido
    11 Fev 2008
  • Aceito
    08 Mar 2010
Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br