Caracterização epidemiológica da leptospirose em equinos do estado de Pernambuco, nordeste do Brasil

José Romero Alexandre Alves Kalyne Danielly Silva de Oliveira Diego Figueiredo da Costa Leise Gomes Fernandes Severino Silvano dos Santos Higino Clebert José Alves Carolina de Sousa Américo Batista Santos Sergio Santos de Azevedo Sobre os autores

RESUMO:

Foi realizado um inquérito epidemiológico objetivando determinar a ocorrência de anticorpos anti-Leptospira e elencar os fatores de risco em equinos da microrregião do Pajeú, estado de Pernambuco. Foram examinados 100 soros de equinos provenientes de 38 propriedades de 4 municípios da região, pela prova de soroaglutinação microscópica (SAM), utilizando 24 sorovares de Leptospira spp. como antígeno. Das 100 amostras testadas, 28 (28%) foram reagentes. Os sorovares mais frequentes foram Patoc (35,71%), Butembo (32,14%) e Sentot (14,30%). O uso de pasto como volumoso (odds ratio =7,80; intervalo de confiança de 95% - IC95% 1,71-35,50; p=0,008) foi identificado como fator de risco. Sugere-se a necessidade de estudos acerca do isolamento do agente e da caracterização de sua patogenicidade, bem como se recomenda o controle de roedores em depósitos de ração e no ambiente.

PALAVRAS-CHAVE:
epidemiologia; cavalos; leptospirose; fatores de risco

Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br