Ação in vitro dos fungos nematófagos Duddingtonia flagrans (Duddington, 1955), Monacrosporium thaumasium (Drechsler, 1937) e Pochonia chlamydosporia (Gams & Zare, 2001) sobre ovos de Eurytrema coelomaticum (Giard & Billet, 1892)

IN-VITRO ACTION OF THE NEMATODE-TRAPPING FUNGI DUDDINGTONIA FLAGRANS (DUDDINGTON, 1955), MONACROSPORIUM THAUMASIUM (DRECHSLER, 1937) AND POCHONIA CHLAMYDOSPORIA (GAMS & ZARE, 2001) ON EURYTREMA COELOMATICUM (GIARD & BILLET, 1892) EGGS

F.R. Braga J.V. Araújo A.R. Silva R.O. Carvalho J.M. Araujo A.K. Campos A.O. Tavela Sobre os autores

RESUMO

O presente estudo investigou a ação in vitro dos fungos nematófagos Duddingtonia flagrans (AC001), Monacrosporium thaumasium (NF 34) e Pochonia chlamydosporia (VC1 e VC4) sobre ovos de Eurytrema coelomaticum. Os ovos foram vertidos sobre a superfície de culturas dos isolados fúngicos cultivados sobre ágar-água 2% (AA 2%) em placas de Petri, e sobre AA 2% sem fungo como controle. Ao completarem 7, 10 e 14 dias, os ovos foram removidos e classificados de acordo com os seguintes parâmetros: efeito tipo 1, efeito lítico sem prejuízo morfológico a casca do ovo; tipo 2, efeito lítico com alteração morfológica da casca e embrião; e tipo 3, efeito lítico com alteração morfológica do embrião e da casca, além de penetração de hifas e colonização interna do ovo. Os isolados AC001 e NF34 não causaram os efeitos dos tipos 2 e 3, contudo o isolado VC1 causou tal efeito determinando atividade ovicida sobre 27,2% dos ovos no dia 7, 23,1% no dia 10, e 25,0% no dia 14 após tratamento. Da mesma forma, o isolado VC4 causou atividade ovicida: 15,0%, 25,4%, e 21,8% nos dias 7, 10 e 14, respectivamente. P. chlamydosporia é um fungo promissor para o controle biológico de E. coelomaticum.

PALAVRAS-CHAVE
Fungos nematófagos; Duddingtonia flagrans ; Monacrosporium thaumasium ; Pochonia chlamydosporia ; Eurytrema coelomaticum

ABSTRACT

The present study investigated the in-vitro action of the nematophagous fungi Duddingtonia flagrans (AC001), Monacrosporium thaumasium (NF34) and Pochonia chlamydosporia (VC1 and VC4) on eggs of Eurytrema coelomaticum. Eggs were placed on fungal cultures surface over water-agar 2% (WA 2%) in Petri plates, and on WA 2% with no fungus (control). After 7, 10 and 14 days, the eggs were removed and classified according to the following parameters: type 1, lytic effect without morphological damage to eggshell; type 2, lytic effect with morphological alteration of embryo and eggshell; and type 3, lytic effect with morphological alteration of embryo and eggshell, besides hyphal penetration and internal egg colonization. The isolate AC001 and NF34 did not cause the type 2 and 3 effects; however, the isolate VC1 caused the type 3 effect determining the ovicidal activity on 27.2% of eggs at day 7, 23.1% at day 10, and 25.0% at day 14 after treatment. Also, the isolate VC4 caused ovicidal activity: 15.0%, 25.4% and 21.8% at day 7, 10 and 14, respectively. Pochonia chlamydosporia is a promising fungus for biological control of E. coelomaticum.

KEY WORDS
Nematophagous fungi; Duddingtonia flagrans ; Monacrosporium thaumasium ; Pochonia chlamydosporia ; Eurytrema coelomaticum ; Trematoda; biological control

Os trematódeos Eurytrema pancreaticume E. coelomaticumsão parasitos que habitam normalmente na luz dos ductos pancreáticos, observados ocasionalmente nos ductos biliares e raramente no intestino delgado de ruminantes. O parasitismo por estas espécies já foi observado em bovinos, caprinos, ovinos, bubalinos, suínos, camelídeos, cervídeos, leporinos e em seres humanos (BASSANI et al., 2006BASSANI, C.A.; SANGIONI, L.A.; SAUT, J.P.E.; YAMAMURA, M.H.; HEADLEY, S.A. Epidemiology of eurytrematosis (Eurytrema spp. Trematoda: Dicrocoeliidae) in slaughtered beef cattle from the central-west region of the State of Paraná, Brazilian. Veterinary Parasitology, v.141, n.3, p.356-361, 2006.).

O ciclo biológico deste trematoda é heteroxeno, sendo o primeiro hospedeiro intermediário um molusco do gênero Bradybaenae o segundo um artrópode do gênero Conocephalus (BASSANI et al., 2006BASSANI, C.A.; SANGIONI, L.A.; SAUT, J.P.E.; YAMAMURA, M.H.; HEADLEY, S.A. Epidemiology of eurytrematosis (Eurytrema spp. Trematoda: Dicrocoeliidae) in slaughtered beef cattle from the central-west region of the State of Paraná, Brazilian. Veterinary Parasitology, v.141, n.3, p.356-361, 2006.). A infecção se dá por ingestão acidental dos insetos ou de metacercárias eliminadas sobre as pastagens.

A ineficiência de produtos anti-helmínticos tem levado a pesquisa de alternativas para o controle de parasitoses, sendo o controle biológico das parasitoses gastrintestinais dos animais domésticos realizado com fungos nematófagos uma medida promissora (ARAÚJO; BELÉM, 1993ARAÚJO, J.V.; BELÉM P.A.D. Efeito anti-helmíntico do albendazole sobre a contagem de ovos de Eurytrema sp (Trematoda) em fezes de bovinos. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.45, n.1, p.111-114, 1993.; ARAÚJO et al., 1998ARAÚJO, J.V.; GOMES, A.P.S.; GUIMARÃES, M.P. Biological control of bovine gastrointestinal nematode parasites in southeastern Brazil by the nematodetrapping fungus Arthrobotrys robusta. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v.7, n.2, p.117-122, 1998.; ARAÚJO et al., 2007ARAÚJO, J.V.; RODRIGUES, M.L.A.; SILVA, W.W.; VIEIRA, L.S. Controle biológico de nematóides gastrintestinais de caprinos em clima semi-árido pelo fungo Monacrosporium thaumasium. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, n.8, p.1177-1181, 2007.). Esses fungos se comportam como antagonistas naturais, promovendo a captura e a destruição do parasito e, de acordo com seu modo de ação, são classificados em endoparasitas, predadores e oportunistas (parasitas de ovos). Desses, os grupos dos predadores e oportunistas têm sido estudados no controle biológico das helmintoses apresentando resultados promissores (LYSEK, 1978LYSEK, H. A scanning electron microscope study of the effects of ovicidal fungus on the eggs of Ascaris lumbricoides. Parasitology, v.77, n.1, p.139-141, 1978.; ARAÚJO et al., 1995ARAÚJO, J.V.; SANTOS, M.A.; FERRAZ, S. Efeito ovicida de fungos nematófagos sobre ovos embrionados de Toxocara canis. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.47, n.1, p.37-42, 1995.).

No grupo dos fungos predadores destacam-se os gêneros Arthrobotrys, Duddingtoniae Monacrosporium, devido à eficácia no controle biológico de nematóides (DIMANDER et al., 2003DIMANDER, S.O.; HÖGLUND, J.; UGGLA, A.; SPÖRNDLY, E.; WALLER, P.J. Evaluation of gastrointestinal nematode parasite control strategies for first-season grazing cattle in Sweden. Veterinary Parasitology, v.111, n.2/3, p.192-209, 2003.).

Entre os oportunistas, destaca-se a espécie Pochonia chlamydosporia, que coloniza e penetra os ovos de helmintos por meio de estruturas denominadas apressórios desenvolvidos a partir de hifas indiferenciadas (LYSEK, 1976LYSEK, H. Classification of ovicide fungi according to type of ovicidity. Acta Universitatis Palackianae Olomucensis, v.76, n.0, p.9-13, 1976., 1978LYSEK, H. A scanning electron microscope study of the effects of ovicidal fungus on the eggs of Ascaris lumbricoides. Parasitology, v.77, n.1, p.139-141, 1978.; LYSEK; STERBA, 1991LYSEK, H.; STERBA, J. Colonization of Ascaris lumbricoides eggs by the fungus Verticillium chlamydosporium Goddard. Folia Parasitologica, v.38, n.3, p.255-259, 1991.).

O presente trabalho avaliou a ação in vitrode isolados brasileiros de fungos nematófagos D.flagrans, M. thaumasiume P. chlamydosporia sobre ovos de E. coelomaticum.

Fungos

Quatro isolados de fungos nematófagos (um de D. flagrans, um de M. thaumasiume dois de P. chlamydosporia), obtidos de solo brasileiro, foram mantidos no escuro em tubos de cultivo contendo cornmeal-ágar 2% (CMA 2%) a 4º C em geladeira, no Laboratório de Parasitologia Veterinária da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

Discos de 4 mm de diâmetro contendo os isolados foram extraídos de tubos de cultivo, e transferidos para placas de Petri de 9,0 cm de diâmetro contendo 20 mL de batata-dextrose-ágar 2% (BDA 2%). Essas placas foram mantidas a 25º C, no escuro, durante 10 dias. Após o crescimento dos isolados, novos discos de cultura foram transferidos para placas de Petri de 9,0 cm de diâmetro contendo ágar-água 2% (AA 2%) por 10 dias.

Ovos de Eurytrema coelomaticum

Os ovos de E. coelomaticumforam recuperados a partir da dissecação de exemplares adultos, colhidos de pâncreas de bovinos naturalmente infectados provenientes de abatedouros.

Mil ovos de E. coelomaticumforam vertidos sobre cada uma das culturas, incubada por 10 dias a 25° C em meio AA 2% em placas de Petri de 9,0 cm de diâmetro. O mesmo procedimento foi realizado em placas de Petri contendo apenas os meio AA 2% (sem fungo), constituindo o grupo controle. Cada um dos grupos foi constituído por 10 repetições.

Nos intervalos de 7, 10 e 14 dias, aproximadamente 100 ovos foram retirados de cada placa de acordo com a técnica descrita por ARAÚJO et al. (1995)ARAÚJO, J.V.; BELÉM P.A.D. Efeito anti-helmíntico do albendazole sobre a contagem de ovos de Eurytrema sp (Trematoda) em fezes de bovinos. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.45, n.1, p.111-114, 1993.. Os ovos foram então colocados em lâminas de vidro com uma gota de azul de Amam 1% e avaliados em microscopia de luz de acordo com os parâmetros estabelecidos por LYSEK et al. (1982)LYSEK, H.; FASSATIOVÁ, O.; PINEDA, N.C.; HERNÁNDEZ, N.L. Ovicidal fungi in soils f Cuba. Folia Parasitologica, v.29, n.3, p.265-270, 1982.: 1) efeito do tipo 1, efeito lítico sem prejuízo morfológico à casca do ovo, onde hifas são observadas aderidas à casca; 2) efeito do tipo 2, efeito lítico com alteração morfológica da casca e embrião do ovo, sem penetração de hifas através da casca; 3) efeito do tipo 3, efeito lítico com alteração morfológica do embrião e da casca, além de penetração de hifas e colonização interna do ovo.

Os dados de cada intervalo estudado foram submetidos ao teste não paramétrico Friedman com 1% de probabilidade de acordo com AYRES et al. (2003)AYRES, M.; AYRES, JUNIOR, M.; AYRES, D.L.; SANTOS, A.S. Aplicações estatísticas nas áreas de ciências biomédicas. Belém: Sociedade Civil Maniraua, 2003..

Na Tabela 1 está apresentada a atividade ovicida das diversas espécies de fungo nos dias 7, 10 e 14 após tratamento.

Tabela 1
Percentuais e desvios padrão da atividade ovicida dos fungos nematófagos Duddingtonia flagrans (AC001), Monacrosporium thaumasium (NF34) e Pochonia chlamydosporia (VC1 e VC4), e do grupo controle (sem fungo), sobre ovos de Eurytrema coelomaticumno dia 7, 10 e 14 dias após tratamento.

O fungo D. flagrans (AC001) apresentou somente efeito do tipo 1, com resultados percentuais de 54,5%, 58,1% e 61,8% sobre os ovos de E. coelomaticum nos intervalos de 7, 10 e 14 dias, respectivamente. Esses resultados são semelhantes aos registrados por BRAGA et al. (2007)BRAGA, F.R.; ARAÚJO, J.V.; CAMPOS, A.K.; CARVALHO, R.O.; SILVA, A.R.; TAVELA, A.O.; MACIEL, A.S. Observação in vitro da ação dos isolados fúngicos Duddingtonia flagrans, Monacrosporium thaumasium e Verticillium chlamydosporium sobre ovos de Ascaris lumbricoides (Lineu, 1758). Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.40, n.3, p.356-358, 2007. que utilizaram três isolados fúngicos, dentre eles, D. flagrans, sobre ovos de Ascaris lumbricoides, apresentando efeito do tipo 1 de 30,0%, 52,0% e 68,0% nos intervalos de sete, 10 e 14 dias, respectivamente.

O fungo M. thaumasium (NF34) demonstrou também apenas o efeito do tipo 1 a partir do sétimo dia de observação com os seguintes resultados: 61,9 %, 62,7% e 69,0% respectivamente nos dias 7, 10 e 14. Da mesma forma, esse isolado apresentou o efeito do tipo 1 semelhantes aos observados por BRAGA et al. (2007)BRAGA, F.R.; ARAÚJO, J.V.; CAMPOS, A.K.; CARVALHO, R.O.; SILVA, A.R.; TAVELA, A.O.; MACIEL, A.S. Observação in vitro da ação dos isolados fúngicos Duddingtonia flagrans, Monacrosporium thaumasium e Verticillium chlamydosporium sobre ovos de Ascaris lumbricoides (Lineu, 1758). Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.40, n.3, p.356-358, 2007. sobre ovos de A.lumbricoides com os seguintes valores: 48,0%; 42,0% e 62,0% aos 7, 10 e 14 dias respectivamente.

Comparando-se a ação de AC001 e NF34, observou-se que não houve diferença significativa (p > 0,01) para o efeito tipo 1, demonstrando que ambos isolados causaram efeitos similares sobre os ovos de E. coelomaticum. Além disso, foi observado que a atividade ovicida dos isolados AC001 e NF34, para os efeitos dos tipos 1 e 2, equipararam-se também aos resultados observados para os isolados de Artrobotrys robusta e A. conoides sobre ovos de Toxocara canis (ARAÚJO et al., 1995ARAÚJO, J.V.; SANTOS, M.A.; FERRAZ, S. Efeito ovicida de fungos nematófagos sobre ovos embrionados de Toxocara canis. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.47, n.1, p.37-42, 1995.).

Os isolados VC1 e VC4 de P. chlamydosporia causaram os efeitos dos tipos 1, 2 e 3 em todos os intervalos estudados. Segundo LYSEK et al. (1982)LYSEK, H.; FASSATIOVÁ, O.; PINEDA, N.C.; HERNÁNDEZ, N.L. Ovicidal fungi in soils f Cuba. Folia Parasitologica, v.29, n.3, p.265-270, 1982., ação ovicida de um fungo é caracterizada pelo efeito tipo 3 (efeito lítico com alteração morfológica do embrião e da casca e colonização interna do ovo). No presente trabalho, o isolado VC1 causou o efeito do tipo 3, com mortalidade de 27,2%, 23,1% e 25,0%, nos intervalos de 7, 10 e 14 dias, respectivamente. Já o isolado VC4 apresentou o efeito do tipo 3 em 15,0%, 25,4% e 21,8% nos dias 7, 10 e 14, respectivamente. Não foi observada diferença (p > 0,01) entre VC1 e VC4 em relação aos efeitos estudados.

BRAGA et al. (2007)BRAGA, F.R.; ARAÚJO, J.V.; CAMPOS, A.K.; CARVALHO, R.O.; SILVA, A.R.; TAVELA, A.O.; MACIEL, A.S. Observação in vitro da ação dos isolados fúngicos Duddingtonia flagrans, Monacrosporium thaumasium e Verticillium chlamydosporium sobre ovos de Ascaris lumbricoides (Lineu, 1758). Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.40, n.3, p.356-358, 2007. comprovaram a ação de P. chlamydosporia, isolados VC1 e VC4, sobre ovos de A. lumbricoides nos intervalos de 7, 10 e 14 dias após tratamento, observando que os isolados apresentaram efeito tipo 3 de 20% e 18%, 25% e 22%, 30% e 26%, respectivamente. No presente trabalho, os percentuais médios da atividade ovicida desses isolados sobre ovos de E. coelomaticum foram maiores em relação aos ovos de A. lumbricoides. Esses resultados podem indicar alguma diferença no processo de interação entre esses isolados e os ovos dos helmintos estudados.

Em relação à ação de P. chlamydosporia sobre alguns gêneros de helmintos, este fato sugere existir alguma diferença no processo de interação entre o fungo e os diferentes tipos de ovos. Fatores como o diâmetro e a resistência dos ovos no meio ambiente poderiam ser responsáveis pela ação distinta do fungo.

Embora os fungos D. flagrans e M. thaumasium sejam reconhecidos como fungos predadores, utilizados no controle apenas de larvas de helmintos (ARAÚJO et al., 2004ARAÚJO, J.V.; GUIMARÃES, M.P.; CAMPOS, A.K. Control of bovine gastrointestinal nematodes parasites using pellets of the nematode trapping fungus Monacrosporium thaumasium. Ciência Rural, v.34, n.2, p.457-463, 2004.; ARAÚJO et al., 2006aARAÚJO, J.V.; FREITAS, B.W.; VIEIRA, T.C.; CAMPOS, A.K. Avaliação do fungo predador Duddingtonia flagrans sobre larvas infectantes de Haemonucus contortus e Strongyloides pappilosus de caprinos. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v.15, n.2, p.76-79, 2006a.; ARAÚJO et al., 2006bARAÚJO, J.V.; ASSIS, R.C.L.; CAMPOS, A.K.; MOTA, M.A. Efeito antagônico de fungos predadores dos gêneros Monacrosporium, Arthrobotrys e Duddingtonia sobre larvas infectantes de Cooperia sp. e Oesophagostomum sp. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.58, n.3, p.373-380, 2006b.), foram observadas hifas de D. flagrans e M. thaumasium aderidas à casca do ovo, mas, necessariamente não levaram à destruição deste. Para se ter uma resposta mais precisa sobre isto, seria necessário aplicar testes de viabilidade, ou mesmo aumentar o contato dos ovos ao fungo.

A ação do fungo P. chlamydosporia foi observada no presente trabalho, onde o efeito do tipo 3, quando confrontado com os demais isolados, foi mantido nos intervalos estudados a partir de 7, 10 e 14 dias.

Os ovos de E. coelomaticum chegam ao exterior junto com as fezes dos hospedeiros definitivos e serão ingeridos pelos hospedeiros intermediários (FREITAS, 1982FREITAS, M.G. Helmintologia veterinária. 6.ed. Belo Horizonte: Precisa, 1982. p.40-42.). Dessa forma, por meio dos resultados percentuais obtidos no presente estudo, sugere-se a utilização de P. chlamydosporia como uma alternativa de controle biológico dos ovos presentes nas fezes, partindo-se do princípio que sua ação será no ambiente fecal, evitando com isso sua eclosão e, consequentemente, o desenvolvimento de metacercárias.

O fungo P. chlamydosporia apresentou atividade ovicida sobre ovos de E. coelomaticum e poderia atuar como agente de controle biológico de Eurytrema coelomaticum.

AGRADECIMENTOS

Ao CNPq pela concessão das bolsas.

REFERÊNCIAS

  • ARAÚJO, J.V.; BELÉM P.A.D. Efeito anti-helmíntico do albendazole sobre a contagem de ovos de Eurytrema sp (Trematoda) em fezes de bovinos. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.45, n.1, p.111-114, 1993.
  • ARAÚJO, J.V.; SANTOS, M.A.; FERRAZ, S. Efeito ovicida de fungos nematófagos sobre ovos embrionados de Toxocara canis Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.47, n.1, p.37-42, 1995.
  • ARAÚJO, J.V.; GOMES, A.P.S.; GUIMARÃES, M.P. Biological control of bovine gastrointestinal nematode parasites in southeastern Brazil by the nematodetrapping fungus Arthrobotrys robusta Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v.7, n.2, p.117-122, 1998.
  • ARAÚJO, J.V.; GUIMARÃES, M.P.; CAMPOS, A.K. Control of bovine gastrointestinal nematodes parasites using pellets of the nematode trapping fungus Monacrosporium thaumasium Ciência Rural, v.34, n.2, p.457-463, 2004.
  • ARAÚJO, J.V.; FREITAS, B.W.; VIEIRA, T.C.; CAMPOS, A.K. Avaliação do fungo predador Duddingtonia flagrans sobre larvas infectantes de Haemonucus contortus e Strongyloides pappilosus de caprinos. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, v.15, n.2, p.76-79, 2006a.
  • ARAÚJO, J.V.; ASSIS, R.C.L.; CAMPOS, A.K.; MOTA, M.A. Efeito antagônico de fungos predadores dos gêneros Monacrosporium, Arthrobotrys e Duddingtonia sobre larvas infectantes de Cooperia sp. e Oesophagostomum sp. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.58, n.3, p.373-380, 2006b.
  • ARAÚJO, J.V.; RODRIGUES, M.L.A.; SILVA, W.W.; VIEIRA, L.S. Controle biológico de nematóides gastrintestinais de caprinos em clima semi-árido pelo fungo Monacrosporium thaumasium Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, n.8, p.1177-1181, 2007.
  • AYRES, M.; AYRES, JUNIOR, M.; AYRES, D.L.; SANTOS, A.S. Aplicações estatísticas nas áreas de ciências biomédicas Belém: Sociedade Civil Maniraua, 2003.
  • BASSANI, C.A.; SANGIONI, L.A.; SAUT, J.P.E.; YAMAMURA, M.H.; HEADLEY, S.A. Epidemiology of eurytrematosis (Eurytrema spp. Trematoda: Dicrocoeliidae) in slaughtered beef cattle from the central-west region of the State of Paraná, Brazilian. Veterinary Parasitology, v.141, n.3, p.356-361, 2006.
  • BRAGA, F.R.; ARAÚJO, J.V.; CAMPOS, A.K.; CARVALHO, R.O.; SILVA, A.R.; TAVELA, A.O.; MACIEL, A.S. Observação in vitro da ação dos isolados fúngicos Duddingtonia flagrans, Monacrosporium thaumasium e Verticillium chlamydosporium sobre ovos de Ascaris lumbricoides (Lineu, 1758). Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.40, n.3, p.356-358, 2007.
  • DIMANDER, S.O.; HÖGLUND, J.; UGGLA, A.; SPÖRNDLY, E.; WALLER, P.J. Evaluation of gastrointestinal nematode parasite control strategies for first-season grazing cattle in Sweden. Veterinary Parasitology, v.111, n.2/3, p.192-209, 2003.
  • FREITAS, M.G. Helmintologia veterinária 6.ed. Belo Horizonte: Precisa, 1982. p.40-42.
  • LYSEK, H. Classification of ovicide fungi according to type of ovicidity. Acta Universitatis Palackianae Olomucensis, v.76, n.0, p.9-13, 1976.
  • LYSEK, H. A scanning electron microscope study of the effects of ovicidal fungus on the eggs of Ascaris lumbricoides Parasitology, v.77, n.1, p.139-141, 1978.
  • LYSEK, H.; FASSATIOVÁ, O.; PINEDA, N.C.; HERNÁNDEZ, N.L. Ovicidal fungi in soils f Cuba. Folia Parasitologica, v.29, n.3, p.265-270, 1982.
  • LYSEK, H.; STERBA, J. Colonization of Ascaris lumbricoides eggs by the fungus Verticillium chlamydosporium Goddard. Folia Parasitologica, v.38, n.3, p.255-259, 1991.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Maio 2021
  • Data do Fascículo
    Jan-Mar 2009

Histórico

  • Recebido
    04 Dez 2007
  • Aceito
    03 Jan 2009
Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br