Aspectos sanitários e produtivos das unidades de terminação suinicolas do Estado de Mato Grosso, Brasil

Sanitary and production aspects of swine finishing units of Mato Grosso State, Brazil

Resumos

O presente trabalho analisou os aspectos sanitários e produtivos das Unidades de Terminação (UT) suinícolas do Estado de Mato Grosso. Foram levantados dados oficiais junto ao Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso, referentes a 55 granjas de terminação, distribuídas em 18 municípios, no período de dezembro de 2005 a janeiro de 2006. As características foram descritas e analisadas pelo teste de correlação Spearman, segundo o número de animais por UT, aspectos produtivos, sistemas de proteção sanitária, controle de possíveis veiculadores de agentes patogênicos e manejo dos animais. A população suína cadastrada totalizou 74.650 animais, sendo que 44 (80,0%) UT encontravam-se na região do cerrado. Segundo o número de suínos 10,9%, 9,1%, 14,%, 18,2%, 21,8% e 25% possuíam de 1 a 10, 11 a 100, 101 a 500, 501 a 1.000, 1.001 a 2.000 e acima de 2.000 suínos, respectivamente. As granjas integradas totalizaram 63,6% sendo que 89,1% empregavam manejo intensivo. As analises de correlações positivas (P < 0,05) foram observadas em diversos tipos de granjas, apresentando relação com: assistência veterinária, sistemas all-in all- out, incineração de carcaças, vassoura de fogo, compostagem, edificações de alvenaria e madeira, consumo de ração própria e comercial, abastecimento de água de represa, rio ou córregos e controle de moscas. Mesmo observando diferentes índices de correlação, detectaram-se inúmeros déficits de manejo sanitário em diversos segmentos das UT, por isso, questões relativas à biosseguridade das granjas do Estado de Mato Grosso devem ser revistas para que, futuramente, possa ser ava-liado o grau de vulnerabilidade delas.

Granjas; sanidade; suinocultura; Mato Grosso


The present study examined health and productive aspects of swine Finishing Units (FU) in Mato Grosso State, Brazil. Data were collected by the official Institute of Agricultural Protection of Mato Grosso State, considering 55 finishing farms, distributed in 18 municipalities in the period from December 2005 to January 2006. The data were described and analyzed by the Spearman correlation test, according to the number of animals per FU, productive aspects, health protection systems, control of potential pathogen carriers and animal handling. The swine population totaled 74,650 registered animals and 44 TU (80.0%) were in the cerrado region. In regard to the number of pigs, 10.9%, 9.1%, 14%, 18.2%, 21.8% and 25% had 1-10, 11-100, 101-500, 501-1,000, 1,001-2,000 and up to 2,000 pigs respectively. Integrated farms totaled 63.6%, while 89.1% utilized intensive management. The analysis of positive correlations (P < 0.05) were observed in various types of farms, with relation to: veterinary care, all-in all-out systems, carcass incineration, fire sweeping, composting, masonry and wood buildings, consumption of self-produced and commercial food, water supply by dam, river or streams, and fly control. With different correlation levels, numerous deficits were detected in the health management in various segments of the FUs, so biosecurity issues of farms in Mato Grosso State should be revised, in order to assess their degree of vulnerability.

Farms; animal health; swine breeding; Mato Grosso


  • AMARAL, A.L.; SILVEIRA, P.R.S.; LIMA, G.J.M.M.; KLEIN, C.S.; PAIVA, D.P.; MARTINS, F.; KICH, J.D.; ZANELLA, J.R.C.; FÁVERO, J.; LUDKE, J.V.; BORDIN, L.C.; MIELE, M.; HIGARASHI, M.M.; MORÉS, N.; COSTA, O.A.D.; OLIVEIRA, P.A.V.; BERTOL, T.M.; SILVA, V.S. Boas práticas de produção de suínos Concórdia: EMBRAPA-Suínos e Aves, 2006. p.7-60. (Circular técnica 50).
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA PRODUTORA E EXPORTADORA DE CARNE SUÍNA. ABIPECS. 2010. Disponível em: <http://www.abipecs.org.br/relatorios/rela2008_P.pdf>. Acesso em: 28 abr. 2010.
    » link
  • ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DE SUÍNOS DE MATO GROSSO. ACRISMAT. 2010. Online. Disponível em: <http://www.acrismat.com.br/novo_site/site/estatistica_nacional.php>. Acesso em: 28 maio 2010.
    » link
  • ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CRIADORES DE SUÍNOS. APCS. 2011. Disponível em: <http://www.suinopaulista.com.br/7,1,26,24040.asp#>. Acesso em: 1 jan. 2011.
    » link
  • BARCELLOS D.E.S.N.; MORES, T.J.; SANTI, M.; GHELLER N. B. Avanços em programas de biosseguridade para a suinocultura. Acta Scientiae Veterinariae, v.36, p.33-46, 2008a. Suplemento 1.
  • BARCELLOS, D.E.S.N.; BOROWSKI, S.M.; GHELLER, N.B.; SANTI, M.; MORES, T.J. Relação entre ambiente, manejo e doenças respiratórias em suínos. Acta Scientiae Veterinariae, v.36, p.87-93, 2008b. Suplemento 1.
  • BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Instrução Normativa/SDA nº 19, de 15 de fevereiro de 2002. Normas para a Certificação de Granjas de Reprodutores Suídeos (GRSC). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, [sp], 01 de março de 2002, Seção 1. nº 41.
  • FAOSTAT. FAO Statistics: Food Balance Sheets. 2011. Disponível em: <http://faostat.fao.org/site/368/DesktopDefault.aspx?PageID=368#ancor>. Acesso em: 29 ago. 2011.
  • INSTITUTO MATOGROSSENSE DE ECONOMIA AGROPECUÁRIA. IMEA. Potencial produtivo da região Centro Norte Disponível em: <http://www.imea.com.br/upload/pdf/arquivos/Potencial_Produtivo_da_Regiao_Centro_Norte.pdf>. Acesso em: 28 dez. 2010.
  • INSTITUTO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO ESTADO DE MATO GROSSO-INDEA/MT. Cadastro de propriedades com suínos Cuiabá: INDEA, 2009.
  • PAIVA, D.P.; BLEY JUNIOR, C. Emprego da compostagem para destinação final de suínos mortos e restos de parição. Concórdia: EMBRAPA, 2001. p.1-10. (Circular técnica 26).
  • PEREIRA, J.A. Soroprevalência da infecção por Leptospira spp. em matrizes suínas oriundas do médio norte do estado de Mato Grosso, Brasil. 2009. 12-14p. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2009.
  • RACHED, R.Z. Caracterização de pequenas criações de suínos no Estado de São Paulo. 2009. 149p. Dissertação (Mestrado em Sanidade Animal, Segurança Alimentar e o Ambiente) - Instituto Biológico, São Paulo, 2009.
  • SOBESTIANSKY, J. Sistema intensivo de produção de suínos: programa de biossegurança. Art. 3 Impressos Especiais ISO-9002. Goiânia, GO, 2002. 108p.
  • SOBESTIANSKY, J.; BARCELLOS, D. Doenças de suínos Goiânia: Cânone Editorial, 2007. 770p.
  • SOBESTIANSKY, J.; WENTZ, I.; SILVEIRA, P.R.S. da; SESTI, L.A.C. Sistema de Produção de Suínos. In: NICOLAIEWSKY, S.; WENTZ; COSTA, O.A.D.; SOBESTIANSKY, J. Suinocultura Intensiva: produção, manejo e saúde do rebanho. Brasília: Embrapa-SPI, Embrapa-CNPSa, 1998. p.13-43.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    08 Set 2014
  • Data do Fascículo
    Jun 2012

Histórico

  • Recebido
    21 Fev 2011
  • Aceito
    14 Maio 2012
Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br