Bioprospecção de Aspergillus seção Nigri em solo e serrapilheira da Mata Atlântica

Tatiana Faria Maia Marcelo Elias Fraga Sobre os autores

RESUMO:

A utilização dos fungos como fonte de enzimas vem adquirindo status de destaque nas mais variadas áreas industriais e comerciais, e os Aspergillus membros da seção Nigri possuem significativo potencial para produção de enzimas. Os objetivos deste estudo foram isolar e avaliar Aspergillus da seção Nigri de serrapilheira e solos do bioma Mata Atlântica quanto à produção de enzimas hidrolíticas. Os ensaios para produção das enzimas foram realizados em placas de Petri, utilizando diferentes meios de cultivo, adequados ao crescimento microbiano e com a presença dos respectivos substratos indutores à produção das enzimas - celulases (carboximetilcelulose), proteases (leite desnatado), amilases (amido solúvel), pectinases (pectina cítrica) e fitase (meio Pikovskaya). Foram isolados 42 fungos, sendo desse total 16,7% provenientes da camada de serrapilheira e 83,3% provenientes do solo na profundidade de 0 a 5 cm e 5 a 10 cm. Todas as linhagens isoladas apresentaram produção de amilases, protease e fitase, 90,4% produziram celulase, e nenhuma linhagem produziu pectinase. Com esses resultados, percebeu-se significativo potencial dos fungos da Mata Atlântica como produtores de enzimas hidrolíticas. As avaliações da atividade enzimática apresentaram resultado satisfatório quando comparados à literatura científica.

PALAVRAS-CHAVE:
fungos filamentosos; índice enzimático; enzimas hidrolíticas

Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br