Lentiviroses de pequenos ruminantes: perdas produtivas e econômicas, consequências da doença

Dalva Alana Aragão de Azevedo Vanderlan Warlington Souza dos Santos Ana Lídia Madeira de Sousa Renato Mesquita Peixoto Raymundo Rizaldo Pinheiro Alice Andrioli Maria Fátima da Silva Teixeira Sobre os autores

RESUMO:

Os lentivírus de pequenos ruminantes, o vírus da artrite encefalite caprina e o vírus Maedi-Visna causam enfermidades que ocasionam perdas produtivas significativas, principalmente em animais com aptidão leiteira. Esses vírus pertencem à família Retroviridae e ao gênero Lentivirus e formam um grupo genético heterogêneo, o que pode ocasionar implicações para o diagnóstico e o controle dos lentivírus de pequenos ruminantes. As perdas causadas pelos lentivírus de pequenos ruminantes estão relacionadas com falhas reprodutivas, vida produtiva curta e diminuição da produção leiteira dos animais infectados. Além disso, esses vírus podem promover a redução da qualidade do leite, afetando a produção de laticínios, tal como o queijo. Os lentivírus de pequenos ruminantes levam a perdas indiretas, reduzindo o valor dos rebanhos e forçando o desenvolvimento de barreiras comerciais epidemiológicas para germoplasma animal. O controle dos lentivírus de pequenos ruminantes é importante para promover uma maior produção de leite e reduzir os custos com medicamentos e assistência técnica. Esse controle pode variar de acordo com a população caprina e ovina de cada país em termos de soroprevalência, variedade de raças e particularidades do manejo adotado.

PALAVRAS-CHAVE:
perdas produtivas; lentivírus de pequenos ruminantes; controle

Instituto Biológico Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 - Vila Mariana - São Paulo - SP, 04014-002 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: arquivos@biologico.sp.gov.br