“VASTIDÃO DOS GENTIOS BÁRBAROS”: CAMINHOS E FRONTEIRAS ENTRE O MARANHÃO E O BRASIL (1680-1700)

“MULTITUDE OF BARBARIAN INDIANS”: PATHS AND FRONTIERS BETWEEN MARANHÃO AND BRAZIL (1680-1700)

Rafael Chambouleyron Pablo Ibáñez-Bonillo Vanice Siqueira de Melo Sobre os autores

Resumo

Durante a maior parte do século XVII, a comunicação entre o Estado do Maranhão e o Estado do Brasil foi limitada pela inexistência de um caminho estável por via terrestre. Nas últimas duas décadas desse século, os governadores do Maranhão trataram de melhorar essa comunicação com a exploração das regiões interiores e a abertura de um caminho baseado no conhecimento dos povos indígenas que ali moravam. Com esse fim, organizaram-se expedições de reconhecimento e ativaram-se diferentes estratégias para o controle do território, tais como o descimento dos indígenas e o uso da guerra justa. Este artigo estuda esses projetos a partir da documentação colonial. Leva em conta a influência dos índios na transformação das fronteiras coloniais e as motivações que os administradores tiveram para esse empreendimento, até a virada do século XVIII.

Palavras-chave:
Estado do Maranhão - Estado do Brasil - índios - fronteiras - século XVII

Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Estrada do Caminho Velho, 333 - Jardim Nova Cidade , CEP. 07252-312 - Guarulhos - SP - Brazil
E-mail: revista.almanack@gmail.com