OS ESCRAVAGISTAS NAS “FESTAS DA MODERNIDADE”: O CENTRO DA LAVOURA E DO COMÉRCIO NAS EXPOSIÇÕES INTERNACIONAIS (1880-1888)

SLAVEHOLDERS IN THE MODERN FESTIVALS: O CENTRO DA LAVOURA E DO COMMERCIO IN THE INTERNATIONAL EXHIBITIONS (1880-1888)

Mariana Muaze Sobre o autor

Resumo

O artigo analisa a participação brasileira nas exposições internacionais oitocentistas, verdadeiras vitrines do progresso do capitalismo industrial, depois que o Império passou a ser representado nestes eventos pelo Centro da Lavoura e do Comércio, entre os anos de 1880 e 1888. Por meio da análise dos principais diretores do Centro da Lavoura demonstra-se que frações da classe senhorial, ligadas à cafeicultura do Vale do Paraíba, utilizaram as exposições e o próprio aparelho do Estado para ampliarem seus negócios e conquistarem novos mercados. Tratou-se da última tentativa dos grandes proprietários e comerciantes da bacia do centro-sul para aumentar seus lucros durante a crise da segunda escravidão.

Palavras-chave:
Exposições internacionais; século XIX; crise da segunda escravidão; café; Brasil Império; Centro da Lavoura e do Comércio; clubes da lavoura

Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Estrada do Caminho Velho, 333 - Jardim Nova Cidade , CEP. 07252-312 - Guarulhos - SP - Brazil
E-mail: revista.almanack@gmail.com