• Apresentação

    Oliveira, Cecilia Helena de Salles
  • Território em rede: cartografia vivida e razão de Estado no Século das Luzes Dossiê - Território em rede: cartografia vivida e razão de Estado no Século das Luzes

    Kantor, Iris; Bueno, Beatriz Piccolotto Siqueira; Ferlini, Vera Lúcia Amaral
  • Do oceano dos clássicos aos mares dos impérios: transformações cartográficas do Atlântico sul Estudos de Cultura Material

    Lois, Carla; Garcia, João Carlos

    Abstract in Portuguese:

    O artigo explora as diferentes designações toponímicas que o espaço geográfico situado no Atlântico sul recebeu na cartografia européia dos séculos XVI e XVII. Nela, a representação do espaço continental era mais comum do que o registro dos espaços marítimos, frequentemente denominados por designações particulares - mares regionais -, atribuídas segundo a linha da costa. Uma série de conexões podem ser estabelecidas com o processo de consolidação do tráfico negreiro e a concorrência interimperial.

    Abstract in English:

    This article explores the various place-names given to the geographic localities in the South Atlantic by European cartographers in the 16th and 17th centuries. Despite of the fact that representation of continental space seem to have been more common in mapmaking at the time than the depiction of oceans and seas, oceanic waters often received particular names - regional seas - depending on the coastline in combination to the classical names. A series of connections can be established between this fact and the process of consolidation of slave trading and competition between empires.
  • Cartografia e diplomacia: usos geopolíticos da informação toponímica (1750-1850) Estudos de Cultura Material

    Kantor, Iris

    Abstract in Portuguese:

    O artigo explora dimensões geopolíticas da toponímia, registradas em documentos cartográficos, desde as reformas empreendidas pelo consulado pombalino em meados do século XVIII, até às primeiras décadas do século XIX, em meio ao processo de afirmação do Estado imperial pós-colonial.

    Abstract in English:

    This paper explores the geopolitical dimensions of toponymy as registered in cartographic documents dating from the reforms pushed through by the consulate of Marquis of Pombal in the mid 18th century to the early decades of the 19th century, as the post-colonial imperial State established itself.
  • O Mapa das Cortes: perspectivas cartográficas Estudos de Cultura Material

    Cintra, Jorge Pimentel

    Abstract in Portuguese:

    O presente trabalho realiza uma análise exaustiva do Mapa das Cortes, aplicando critérios da cartografia, em particular da cartografia matemática. Assim, analisam-se: autor, escala, projeção, meridiano de origem, cores, convenções, simbologia e outros. Após uma análise morfológica qualitativa, passa-se a um exame quantitativo, comparando esse mapa com um atual, bastante preciso: com o auxílio de um programa de cartografia digital e uma planilha eletrônica foram comparadas as coordenadas geográficas (latitude e longitude) de mais de 430 pontos. A quantificação sistemática e detalhada dos erros em diferentes regiões, da costa atlântica à região amazônica, mostrou aspectos surpreendentes de como o Mapa das Cortes (MC) foi habilmente construído. Essa análise permitiu quantificar de maneira mais precisa as distorções, identificando em que locais foram introduzidas e seu caráter indubitavelmente proposital.

    Abstract in English:

    In this paper, we present a thorough analysis of the Map of the Courts based on criteria used in cartography, particularly mathematical cartography. As such, it takes into account the following elements: author, scale, projection, the prime meridian, colors, conventions, symbology, and other. After a qualitative morphological analysis, we move on to a quantitative examination by comparing the said map with a quite accurate present-day chart, using a digital cartography software application and spreadsheet to match the geographic coordinates (latitude and longitude) of over 430 points. The systematic and detailed quantification of errors in various areas, from the Atlantic coast to the Amazon region, revealed surprising aspects as to how skillfully the Map of the Courts was constructed. This analysis enabled us to quantify the distortions more accurately and thus identify the locations where they were introduced as well their unquestionable intentional character.
  • O Mapa Geográfico de América Meridional, de Juan de la Cruz Cano y Olmedilla Estudos de Cultura Material

    Almeida, André Ferrand de

    Abstract in Portuguese:

    Este texto analisa a história da elaboração do Mapa Geográfico de América Meridional, de Juan de la Cruz Cano y Olmedilla, a gravação das diferentes edições do mapa, a sua circulação e recepção durante a segunda metade do século XVIII, à luz do conflito entre as coroas ibéricas acerca dos limites do Brasil.

    Abstract in English:

    This essay examines the history of the construction of the Mapa Geográfico de América Meridional (Map of South America) by Juan de la Cruz Cano y Olmedilla, how its various editions were engraved, as well as its circulation and reception during the second half of the 18th century in the light of the ongoing dispute between Portugal and Spain over the boundaries of Brazil.
  • Vestígios indígenas na cartografia do sertão da América portuguesa Estudos de Cultura Material

    Kok, Glória

    Abstract in Portuguese:

    Nos três primeiros séculos da colonização da América portuguesa, a cartografia indígena auxiliou no processo de decodificação do espaço convencionalmente chamado "sertão" pelos adventícios. Agentes de colonização da capitania de São Paulo (bandeirantes, soldados, povoadores, burocratas, comerciantes e aventureiros) mapearam cuidadosamente os territórios interiores. A situação colonial, entretanto, impôs uma nova orientação do espaço, bem como classificou os grupos étnicos em categorias distintas, fixas e homogêneas. Nesse processo de conquista da Coroa portuguesa, os grupos indígenas foram gradativamente eclipsados dos mapas, e seus territórios, expropriados.

    Abstract in English:

    During the first three centuries of colonization of Portuguese America, indigenous cartography helped the outlanders to decipher the space that they conventionally named sertão (backcountry). The colonizers in the Captaincy of São Paulo (expeditions, soldiers, settlers, bureaucrats, merchants, and adventurers) mapped out the hinterland with utmost care. However, because the territory was a colony, such agents reorganized that space and classified the ethnic groups into distinct, fixed and homogenous categories. As the Portuguese Crown moved ahead with its conquest, the indigenous groups were gradually wiped out from the maps and their territories expropriated.
  • Do borrão às aguadas: os engenheiros militares e a representação da Capitania de São Paulo Estudos de Cultura Material

    Bueno, Beatriz Piccolotto Siqueira

    Abstract in Portuguese:

    A análise do papel dos engenheiros militares perpassa as discussões sobre regiões específicas, mesmo quando eles, aparentemente, estão ausentes delas. Sua presença ou ausência sempre foi sinônimo de interesse e de projeto colonizador mais ou menos dirigido. Este ensaio tem como objeto de estudo a cartografia dos engenheiros militares atuantes na Capitania de São Paulo, território comumente visto como economicamente periférico e mais autônomo face aos desígnios da Coroa portuguesa. Com foco no corpus cartográfico de alguns profissionais que aqui atuaram, trata indiretamente da multifacetada atuação desses engenheiros, bem como do processo de feitura das cartas geográficas, corográficas e topográficas, do borrão às aguadas. Investigar a cartografia de alguns desses profissionais permite não apenas explorar a riqueza de suas biografias, como, também, acompanhar o processo de produção técnica dos mapas e os desígnios políticos envolvidos no devassamento e representação das terras descobertas no Novo Mundo.

    Abstract in English:

    Analyzing the role of military engineers means venturing into discussions about specific regions, even those from which they are apparently absent. Their presence or absence has always been synonymous with interest and a more or less directed colonization project. This essay examines the maps produced by the military engineers working in the Captaincy of São Paulo, a territory often looked upon as one of little economic import and a rather autonomous area in light of the plans of the Portuguese Crown. By focusing on the cartographic corpus bequeathed by certain professionals serving in this region, we deal indirectly with the multifaceted role of these engineers as well as with the process of making geographic, chorographic and topographic charts - all the way from the sketch to watercolored maps. Perusing the charts constructed by some of these professionals enabled us not only to delve into the rich details of their biographies but also to observe the technical mapmaking process and to unravel the political designs behind the exploration and representation of the lands discovered in the New World.
  • Um cartógrafo rebelde? José Joaquim da Rocha e a cartografia de Minas Gerais Estudos de Cultura Material

    Furtado, Júnia Ferreira

    Abstract in Portuguese:

    Em 1789, foram descobertos os planos da Inconfidência que abalou a capitania de Minas Gerais, centro de produção aurífera do império português. José Joaquim da Rocha, cartógrafo e militar português, um dos suspeitos de tomar parte neles, foi acusado por alguns dos réus de ter fornecido seus mapas para subsidiar o levante. Apesar de declarar-se inocente, a análise de cinco mapas da capitania, feitos por ele, revelam ter o espaço colonial uma conformação geográfica que ameaçava as ligações de dependência entre a colônia e metrópole.

    Abstract in English:

    In 1789, the plans of a conspiracy to create an independent nation - known as Inconfidência Mineira - were disclosed and shook the Captaincy of Minas Gerais, which was the center of gold mining activity under the Portuguese Empire. José Joaquim da Rocha, a cartographer and member of the Portuguese armed forces, was suspected of taking part in the plot following accusations by some of the defendants that he had supplied maps of his own authorship to support the uprising. Notwithstanding his pleas of innocence, our analysis of five of his maps of that captaincy revealed that the geographic conformation of the colonial territory threatened the relationship of dependency between the colony and the metropolis.
  • Miguel Ciera: um demarcador de limites no interior sul-americano (1750-1760) Estudos de Cultura Material

    Costa, Maria de Fátima

    Abstract in Portuguese:

    Estudam-se os trabalhos produzidos por Miguel Ciera tendo como pano de fundo a viagem realizada pela Terceira Partida de Limites, que, por ordem de Portugal, percorreu o interior da América Meridional entre 1752-1756. Na função de astrônomo e cosmógrafo da equipe demarcadora, este engenheiro paduano subiu o rio Paraguai até alcançar a boca do Jauru e ali, junto com seus companheiros, fixou o marco divisório, substanciando in loco o Tratado de Limites. Foi durante esta viagem que Ciera colheu informações para construir o seu Mappa geographicum quo flumen Argentum, Paranà et Paraguay [...], um belo atlas, com o qual presenteou o rei Dom José I em 1758. Nele, além de precisas cartas geográficas, registrou a lápis e a aquarela elementos da fauna, tipos populares e vistas de paisagens, criando o primeiro conjunto iconográfico da região que, no século XVIII, passou a receber o nome de Pantanal. Neste artigo, analisa-se esta obra, buscando demonstrar que ela não se constituiu apenas num belo atlas, mas que se trata de um refinado documento visual com o qual Miguel Ciera oferece ao monarca de Portugal as mais primorosas informações sobre os territórios interiores nos quais se traçou a linha de limites.

    Abstract in English:

    In this paper, we examine the works produced by Miguel Ciera against the backdrop of the Third Delimitation Expedition, which was sent by Portugal to explore the interior of South America between 1752 and 1756. As the astronomer and cosmographer of the demarcation team, this Paduan engineer sailed up Paraguay River all the way to the mouth of Jauru River and there, with his companions, he set the border line, thus substantiating at site the Treaty of Boundaries. It was during this expedition that Ciera gathered information to design his Mappa geographicum quo flumen Argentum, Paranà et Paraguay [...], a beautiful atlas that he later bestowed upon King Joseph I in 1758. In addition to accurate geographic charts, the atlas included depictions of fauna, popular types and landscapes made in pencil and watercolor, forming the first set of images available of that region, which was named Pantanal as from the 18th century. Here, we analyze this specific piece and seek to demonstrate that it was not merely a beautiful atlas; in fact, it was a refined visual document with which Miguel Ciera offered the Portuguese monarch valuable information about the hinterland where the border line was laid.
  • A viagem de José Gonçalves da Fonseca e a cartografia do rio Madeira (1749-1752) Estudos de Cultura Material

    Almeida, André Ferrand de

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo analisa a viagem da "real escolta", uma expedição de reconhecimento enviada de Belém do Pará, em 1749, para explorar a comunicação fluvial entre o Estado do Maranhão e Grão-Pará e o Mato Grosso através da rota formada pelos rios Madeira, Mamoré e Guaporé, e seu impacto na cartografia deste espaço. As grandes diferenças entre o mapa traçado por José Gonçalves da Fonseca e o Mapa das Cortes criaram grande perplexidade aos responsáveis políticos portugueses antes de darem início às demarcações de limites acordadas com a coroa espanhola no Tratado de Madri de 1750.

    Abstract in English:

    This article looks into the voyage of the "royal escort", a reconnaissance expedition sent from Belém do Pará in 1749 to explore the fluvial communication between the state of Maranhão and Grão-Pará and the captaincy of Mato Grosso down the courses of the Rivers Madeira, Mamoré and Guaporé, and its impact on the cartographic representation of this region. The considerable differences between the map drawn by José Gonçalves da Fonseca and the map of the boundaries of Brazil prepared for the negotiations with the Spanish Crown astonished the Portuguese politicians in charge of the matter before they set out to demarcate the South American territories according to the Treaty of Madrid signed by Portugal and Spain in 1750.
  • Uma capitania dos novos tempos: economia, sociedade e política na São Paulo restaurada (1765-1822) Estudos de Cultura Material

    Ferlini, Vera Lucia Amaral

    Abstract in Portuguese:

    O artigo reflete sobre a trajetória da Capitania de São Paulo, a partir de 1750, apontando sua transformação, de fronteira e "boca do sertão", para território estratégico da conquista e defesa das partes meridionais e área economicamente integrada aos circuitos mercantis atlânticos.

    Abstract in English:

    In this article, we reflect upon the history of the Captaincy of São Paulo as from 1750, drawing attention to its transformation from frontier land and "door to the backcountry" into a territory of strategic value for the purposes of conquest and defense of the southern regions, and economically integrated into the Atlantic trade routes.
  • Dilatação dos confins: caminhos, vilas e cidades na formação da Capitania de São Paulo (1532-1822) Estudos de Cultura Material

    Bueno, Beatriz Piccolotto Siqueira

    Abstract in Portuguese:

    Este ensaio analisa a formação da rede urbana das capitanias de São Vicente e Santo Amaro, depois unidas na Capitania de São Paulo. Discute o processo de apropriação do sertão, a pulsação e dilatação dos confins ao sabor dos deslocamentos humanos e de interesses políticos. Interpreta o papel de capelas, freguesias, vilas e cidades no controle e produção de territórios metropolitanos em solos ultramarinos.

    Abstract in English:

    This essay analyzes the development of urban networks in the Captaincies of São Vicente and Santo Amaro, later merged into the Captaincy of São Paulo. It discusses the process of appropriation of the sertão (backcountry), the commotion and expansion beyond the confines to the tune of population movements and political interests. The paper also interprets the role of chapels, parishes, villages and towns in initiatives to create and control metropolitan areas on overseas soil.
  • A oposição aos pavilhões do parque Ibirapuera (1950-1954) Estudos de Cultura Material

    Barone, Ana Cláudia Castilho

    Abstract in Portuguese:

    Este artigo trata das disputas em torno da realização do parque Ibirapuera, na primeira metade da década de 1950, quando a Prefeitura Municipal de São Paulo, com o apoio do Governo do Estado, decidiu implementá-lo, com o propósito de nele sediar as comemorações do seu 400º aniversário de fundação. O Ibirapuera é considerado o primeiro parque metropolitano de São Paulo. Foi construído em 1954, momento em que a cidade arvorava a condição de "metrópole moderna". Com 1.584.000 m² de área total, localizado junto a bairros nobres, o parque foi equipado com um conjunto de edifícios desenhados por Oscar Niemeyer, destinados a abrigar exposições comemorativas. Sua construção ensejou uma série de manifestações de oposição, consolidadas em torno de um grupo que teve franca representação em diversos meios institucionais e de comunicação. Posteriormente, no entanto, essa oposição foi totalmente silenciada tanto pelos agentes sociais envolvidos no processo quanto pela bibliografia sobre o assunto. Procura-se, aqui, levantar as questões em torno de tal oposição, com vistas a estabelecer um contraponto ao caráter comemorativo da própria fundação da cidade, permitindo a superação do olhar celebratório e de elogio do progresso paulistano. Essa investigação delineia um campo de conflitos e disputas, indicando que, naquele momento, não havia continuidade entre a celebração do aniversário da cidade e a modernidade dos pavilhões do Ibirapuera, mas sim uma série de embates políticos de relevância para o urbanismo em São Paulo, que merecem ser recuperados.

    Abstract in English:

    This article discusses the disagreements around the construction of Ibirapuera Park in the first half of the 1950s, when the municipal government of São Paulo decided, with support from the state government, to implement the project for the purpose of staging the celebrations of the city's 400th anniversary on its premises. Ibirapuera is regarded as the first metropolitan park in São Paulo. It was built in 1954 as the city laid claim to the title of "modern metropolis". Sprawling across an area of 1,584,000m² in the vicinity of wealthy neighborhoods, the park boasts a complex of buildings designed by Oscar Niemeyer for commemorative exhibitions. Its construction gave rise to a number of protests gathered around a group with direct representation in several institutions and mass media. Subsequently, however, the opposition was completely silenced not only by the social agents involved in the process but also by the literature published on the subject. In this paper, we try to raise a few questions about the said opposition in an effort to set a counterpoint to the commemorative nature of the events associated with the city's foundation, and thereby look beyond the celebration and acclamation of its progress. Our investigation brings to light an arena of conflicts and disputes, suggesting that there was no direct connection between the celebration of the city's anniversary and the modern design of the pavilions in Ibirapuera Park at the time, but rather a series of political clashes of great import for urban planning in São Paulo that are worth revisiting.
Museu Paulista, Universidade de São Paulo Rua Brigadeiro Jordão, 149 - Ipiranga, CEP 04210-000, São Paulo - SP/Brasil, Tel.: (55 11) 2065-6641 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: anaismp@usp.br