Teste auditivo compassado de adição seriada (PASAT): um teste muito difícil mesmo para indivíduos com alta capacidade intelectual

Joseph Bruno Bidin Brooks Vinicius Oliveira Giraud Youssef Jamal Saleh Samuel Jose Rodrigues Lucas Afonso Daia Yara Dadalti Fragoso Sobre os autores

OBJETIVO: Avaliar a dificuldade do teste auditivo compassado de audição seriada (PASAT) em uma população de alto nível intelectual, sob condições ideais para testes cognitivos. MÉTODO: Cem estudantes de medicina se submeteram ao PASAT. Eles haviam dormido bem na noite anterior, tinham comido antes da avaliação, não estavam em uso de qualquer droga que pudesse afetar o sistema nervoso central e não apresentavam depressão, ansiedade ou qualquer doença crônica. RESULTADOS: A média de acertos na versão de três segundos do PASAT foi 57,5% e, para a versão de dois segundos, a média foi 44,3%. CONCLUSÃO: Mesmo sob condições ideais, PASAT é um teste muito difícil para a população geral. Talvez ele não seja ideal para que os neurologistas triem, avaliem e façam seguimento da função cognitiva na esclerose múltipla.

esclerose múltipla; PASAT; cognição; teste


Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO R. Vergueiro, 1353 sl.1404 - Ed. Top Towers Offices Torre Norte, 04101-000 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5084-9463 | +55 11 5083-3876 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revista.arquivos@abneuro.org