Accessibility / Report Error

Contribuição da reação de micro-hemaglutinação passiva para o Treponema pallidum (MHA-TP) no líquido cefalorraqueano ao diagnóstico de neurossífilis

Contribution of micro-hemagglutination test for antibodies to Treponema pallidum (MHA-TP) in cerebrospinal fluid to neurosyphilis diagnosis

Resumos

Foi avaliado o comportamento da MHA-TP em 25 amostras de liqüido cefalorra-queano (LCR) obtidas de pacientes com diagnóstico de neurossífilis (grupo NS) e em 7 amostras de LCR de pacientes com reações sorológicas reagentes para sífilis (grupo RSS-), comparando-o ao de outras reações treponêmicas e não treponêmicas. A MHA-TP foi reagente em todas as amostras do grupo NS, a reação de imunofluorescência (FTA-Abs) e a de fixação de complemento de Wassermann (FCW) em 24 e a reação do V.D.R.L. (VDBL) em apenas 9. Nas 7 amostras do grupo RSS+ o FTA-Abs foi reagente, a MHA-TP em 6 e a FCW e o VDRL foram não reagentes. A análise dos resultados permitiu a conclusão de que o diagnóstico clínico de neurossífilis deve ser complementado pelo exame do LCR através do estudo das células, do perfil proteico e da associação de reações imunológicas treponêmicas e não treponêmicas. A MHA-TP foi tão sensível quanto o FTA-Abs e requereu menor prática técnica e interpretativa, contribuindo, quando associada a reações não treponêmicas, ao diagnóstico de neurossífilis.


A quantitative micro-hemagglutination test for antibodies to Treponema pallidum (MHA-TP) was evaluated in 25 cerebrospinal fluid (CSF) samples obtained from patients with neurosyphilis (NS group) and in 7 CSF samples of patients with reactive serologic tests for syphilis (STS -). These data were compared to treponemal and nontreponemal tests. The MHA-TP was reactive in all of the 25 NS group samples, the FTA-Abs and the complement fixation of Wassermann (CFW) were in 24 and the VDRL. in only 9. In the 7 STS+ samples (STS+ group), the MHA-TP was reactive in 6, the FTA-Abs in all of them and the nontreponemal tests were nonreactive. Results analyses support conclusion the clinical diagnosis of NS must be complemented by cytoproteic dual and immunological treponemal and nontreponemal assays in CSF. The MHA-TP test was as sensitive as FTA-Abs and required less technical and interpretative skills, contributing in association to CFW to NS diagnosis.


Aluízio de Barros Barreto MachadoI; Gilberto Eduardo BassiII; Sueli Matilde da SilvaIII; Sandra GuglielmoIII

IMestre em Neurologia (FMUSP) - Seção de Líqüido Cefalorraqueano da Divisão de Laboratório Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)

IIMédico-Chefe - Seção de Líqüido Cefalorraqueano da Divisão de Laboratório Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)

IIIBiologista - Seção de Líqüido Cefalorraqueano da Divisão de Laboratório Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)

RESUMO

Foi avaliado o comportamento da MHA-TP em 25 amostras de liqüido cefalorra-queano (LCR) obtidas de pacientes com diagnóstico de neurossífilis (grupo NS) e em 7 amostras de LCR de pacientes com reações sorológicas reagentes para sífilis (grupo RSS-), comparando-o ao de outras reações treponêmicas e não treponêmicas. A MHA-TP foi reagente em todas as amostras do grupo NS, a reação de imunofluorescência (FTA-Abs) e a de fixação de complemento de Wassermann (FCW) em 24 e a reação do V.D.R.L. (VDBL) em apenas 9. Nas 7 amostras do grupo RSS+ o FTA-Abs foi reagente, a MHA-TP em 6 e a FCW e o VDRL foram não reagentes. A análise dos resultados permitiu a conclusão de que o diagnóstico clínico de neurossífilis deve ser complementado pelo exame do LCR através do estudo das células, do perfil proteico e da associação de reações imunológicas treponêmicas e não treponêmicas. A MHA-TP foi tão sensível quanto o FTA-Abs e requereu menor prática técnica e interpretativa, contribuindo, quando associada a reações não treponêmicas, ao diagnóstico de neurossífilis.

SUMMARY

A quantitative micro-hemagglutination test for antibodies to Treponema pallidum (MHA-TP) was evaluated in 25 cerebrospinal fluid (CSF) samples obtained from patients with neurosyphilis (NS group) and in 7 CSF samples of patients with reactive serologic tests for syphilis (STS -). These data were compared to treponemal and nontreponemal tests. The MHA-TP was reactive in all of the 25 NS group samples, the FTA-Abs and the complement fixation of Wassermann (CFW) were in 24 and the VDRL. in only 9. In the 7 STS+ samples (STS+ group), the MHA-TP was reactive in 6, the FTA-Abs in all of them and the nontreponemal tests were nonreactive. Results analyses support conclusion the clinical diagnosis of NS must be complemented by cytoproteic dual and immunological treponemal and nontreponemal assays in CSF. The MHA-TP test was as sensitive as FTA-Abs and required less technical and interpretative skills, contributing in association to CFW to NS diagnosis.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

Trabalho da Seção de Líqüido Cefalorraqueano da Divisão de Laboratório Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP)

Laboratório Central, Hospital das Clínicas - Caixa Postal 8091 - 01051 São Paulo SP - Brasil

  • 1. Camargo ME, Bittencourt JMT - A reação indireta de imunofluorescência para a sífilis no líqüido cefalorraqueano. Rev Paulista Med 69: 15, 1966.
  • 2.  Center for Disease Control - Syphilis: recommended treatment schedules. Ann Intern Med 85: 94, 1976.
  • 3. Colli BO, Martelli N, Araújo LP, Barbieri J Neto - Goma sifilítica intra-raquídea causando compressão medular. Arq Neuro-Psiquiat (São Paulo) 37: 197, 1979.
  • 4. Duncan WP, Bossak HN, Harris A - VDRL slide spinal fluid test. Am J Clin Pathol 35: 93, 1961.
  • 5. Harris A, Bossak HM, Deacon WE, Bunch WLJr - Comparison of the fluorescent treponemal antibody test with other tests for syphilis on cerebrospinal fluids. Br J Vener Dis 36: 178, 1960.
  • 6. Hooshmand H, Escobar MR, Kopf SW - Neurosyphilis: a study of 241 patients. J Am Med Assoc 219:726, 1972.
  • 7. Jaffe HW, Larsen SA, Peters M, Jove DF, Lopez B, Schroeter AL - Tests for treponemal antibody in CSF. Arch Intern Med 138: 252, 1978.
  • 8. Johnston NA - Treponema pallidum hemagglutination test for syphilis: evaluation of a modified micro-method. Br J Vener Dis 48: 474, 1972.
  • 9. Kolmer JA, Spaulding EM, Robinson HW - Approved Laboratory Technic. Ed 5. Appleton-Century Crofts, New York, 1951, pg 797-855.
  • 10. Lange O - Sífilis nervosa pré-clínica: contribuição à profilaxia da sífilis nervosa pelo exame do líqüido céfalo-raquidiano. Tese. São Paulo, 1938.
  • 11. Livramento JA - Contribuição de reações de imunofluorescência no líqüido cefalorraqueano ao estudo da neurocisticercose. Tese. São Paulo, 1980.
  • 12. Livramento JA, Machado LR, Spina-França A - Sinalização do líqüido cefalorraqueano em doenças inflamatórias crônicas do sistema nervoso central. Arq Neuro-Psiquiat (São Paulo) 44: 351, 1986.
  • 13. Müller F, Kruska M, Hippius H - Über Beziehungen zwischen immobilisierenden Antikörpern im Serun und Liquor cerebrospinalis. Z Neurol 198: 237, 1970.
  • 14. Nitrini R - Neurossífilis: análise de alguns aspectos clínicos e laboratoriais. Tese. São Paulo, 1981.
  • 15. Rathiev T - Hemagglutination test utilizing pathogenic Treponema pallidum for sero-diagnosis of syphilis. Br J Vener Dis 43: 181, 1967.
  • 16. Spina-França A - Líqüido cefalorraqueano. In Tolosa A, Canelas HM (eds): Propedêutica Neurológica. Ed 2. Procienx, São Paulo, 1971, pg 443-465.
  • 17. Zukerman E, Cardoso W, Di Migueli H, Reis-Filho I, Schwartzman JS, Bei A, Moreira MH, Giorgi DR, Rotberg A, Reis JB - Incidência de neurossífilis e de suas formas clínicas em São Paulo. Rev Paulista Med 70: 270, 1967.
  • 18. Zukerman E, Novo NF, Morgulis R, Reis-Filho JB, Barberini CH, Bertolucci PH - Incidência da neurossífilis e freqüência de suas formas clínicas no período 1962-1981. Arq Neuro-Psiquiat (São Paulo) 41: 337, 1983.
  • Contribuição da reação de micro-hemaglutinação passiva para o Treponema pallidum (MHA-TP) no líquido cefalorraqueano ao diagnóstico de neurossífilis

    Contribution of micro-hemagglutination test for antibodies to Treponema pallidum (MHA-TP) in cerebrospinal fluid to neurosyphilis diagnosis
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      21 Jun 2011
    • Data do Fascículo
      Dez 1988
    Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO R. Vergueiro, 1353 sl.1404 - Ed. Top Towers Offices Torre Norte, 04101-000 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5084-9463 | +55 11 5083-3876 - São Paulo - SP - Brazil
    E-mail: revista.arquivos@abneuro.org