Accessibility / Report Error

Meningoencefaloventriculocele transesfenoidal assintomática em adulto: relato de um caso

Trans-sphenoidal meningoencephaloventriculocele in an asymptomatic adult: case report

Resumos

Relatamos um achado ocasional de meningoencefaloventriculocele esfenoetmoidal num paciente adulto, com achados tomográficos interpretados como formação expansiva neoplásica com características de agressividade. Alertamos para a ocorrência dessa rara localização de patologia malformativa.

meningoencefalocele; ressonância magnética; tomografia computadorizada


We report a casual finding of a sphenoethmoidal meningoencephaloventriculocele in an adult patient that the tomography finding was misinterpreted as an expansive neoplasic lesion with malignant features. We alert for the rare site of localization of this malformative pathology.

meningoencephalocele; magnetic resonance imaging; computerized tomography


MENINGOENCEFALOVENTRICULOCELE TRANSESFENOIDAL ASSINTOMÁTICA EM ADULTO

Relato de um caso

Marcos Alberto da Costa Machado Júnior1 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente. ,Verônica Aline Oliveira Barbosa1 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente. , Maria da Conceição Matta Pires2 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente. , Luiz Eduardo Lago de Castro4 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente. , Fabiola Goyanna2 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente. , Adriana Silva Matos2 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente. , Lauro Conceição Vieira3 1 Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia: Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia; 2 Residente de Radiologia HSR-MT; 3 Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR; 4 Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente.

RESUMO - Relatamos um achado ocasional de meningoencefaloventriculocele esfenoetmoidal num paciente adulto, com achados tomográficos interpretados como formação expansiva neoplásica com características de agressividade. Alertamos para a ocorrência dessa rara localização de patologia malformativa.

PALAVRAS-CHAVE: meningoencefalocele, ressonância magnética, tomografia computadorizada.

Trans-sphenoidal meningoencephaloventriculocele in an asymptomatic adult: case report

ABSTRACT - We report a casual finding of a sphenoethmoidal meningoencephaloventriculocele in an adult patient that the tomography finding was misinterpreted as an expansive neoplasic lesion with malignant features. We alert for the rare site of localization of this malformative pathology.

KEY WORDS: meningoencephalocele, magnetic resonance imaging, computerized tomography.

A encefalocele transesfenoidal representa 5% das meningoencefaloceles e cerca de 8% de todos os disrafismos do tubo neural1. A meningoencefalocele transesfenoidal, muitas vezes assintomática, pode simular lesão osteolítica da base do crânio ao exame pela tomografia computadorizadA (TC). O exame pela ressonância magnética (RM) é superior, fornecendo detalhes anatômicos.

Relatamos um caso de meningoencefaloventriculocele (MEVC) diagnosticado ocasionalmente à neuroimagem.

CASO

Paciente do masculino de 42 anos de idade, com história de traumatismo craniano leve há 14 dias. O exame neurológico era normal. A TC revelava formação expansiva para-selar direita que realçava com contraste, associada a solução de continuidade do pavimento selar e da parede lateral direita do seio esfenoidal, erroneamente interpretada como tumoração com características de agressividade.

O paciente procurou nosso Serviço para a realização de RM do crânio, que evidenciou herniação do lobo temporal para o interior das células etmoidais posteriores e seio esfenoidal à direita, bem como do corno inferior e do seio cavernoso com a porção intracavernosa do sifão carotídeo direito. A haste pituitária encontrava-se deslocada para a esquerda, não sendo identificada a hipófise (Fig 1). Realizamos cortes complementares tomográficos coronais, com 2 mm e com programa para análise de estruturas ósseas, confirmando a ausência do pavimento selar e da parede lateral direita do seio esfenoidal (Fig 2).



Foi sugerida então a correção cirúrgica, a qual foi recusada pelo paciente.

DISCUSSÃO

Meningocele e encefalocele são herniações extra-cranianas de meninges e de meninges contendo tecido encefálico respectivamente, através de defeito das estruturas ósseas. A presença de parte do sistema ventricular no interior da encefalocele denomina-se ventriculocele. Essas patologias podem ser classificadas de acordo com a localização ou com o conteúdo1.

As encefaloceles basais são as formas menos comuns de encefalocele e devido ao defeito ósseo em topografia crítica, frequentemente estão associadas a distúrbios endocrinológicos e visuais2. É conhecida a associação entre encefalocele transesfenoidal e hipopituitarismo consequente a compressão da hipófise3, que apresenta curso natural incerto, havendo então alterações séricas principalmente nos hormônios GH e ADH em 60 % dos casos4.

Há, apenas, um relato como o nosso na literatura descrito por Horky et al., em 1997, de descoberta incidental de meningoencefalocele, seguida de traumatismo craniano leve5.

Castano et al. referem um caso de meningite recidivante em paciente adulto com rinorréia e meningocele transesfenoidal6. Soyer et al. relatam casos de neuralgia trigeminal e angiomatose bucal, determinando obstrução de vias aéreas superiores7,8.

O tratamento habitualmente é cirúrgico, sendo realizado através de enxerto intradural9.

Em conclusão, relatamos um caso de MEVC, diagnosticada incidentalmente pela TC, após traumatismo craniano. Afigurava-se formação expansiva para–selar direita, que se realçava com contraste, com descontinuidade do pavimento selar e da parede lateral direita do seio esfenoidal, erroneamente interpretada como tumoração de índole agressiva. Na RM, as estruturas herniadas foram melhor caracterizadas.

Recebido 18 Julho 2000, recebido na forma final 20 Outubro 2000. Aceito 30 Outubro 2000.

Dr. Marcos Machado - Praça Dois de Julho 156 /1301 – 40080-120 Salvador BA - Brasil. E-mail: machado@e-net.com.br

  • 1. Naidich.TP, Altman NR, Braffman BH, McLone DG, Zimmerman RA. Cephaloceles and related malformations. AJNR 1992;13:655-690.
  • 2. Koral K, Geffner ME, Curran JG. Trans-sphenoidal and sphenoethmoidal encephalocele: case report and literature review. Australas Radiol 2000;44:220-224.
  • 3. Ros-P P, Pareja-G J, Nieto SI, Alonso BM, Visa ZM. Trans-sphenoidal encephalocele associated with hypopituitarism and arteriovenous malformations. An Esp Pediatr 1990;32:547-550.
  • 4. Morioka M, Marubayashi T, Masumitsu T, Miura M, Ushio Y. Basal encephaloceles with mornig glory syndrome, and progressive hormonal and visual disturbances. Brain Dev 1995;17:196-201.
  • 5. Horky JK, Chaloupka JC, Putman CM. Occult spontaneous lateral temporal meningocephalocele: MR findings of a rare developmental anomaly. AJNR 1997;18:744-746.
  • 6. Castano-Ducque C, Monfort L, Muntane A. Trans-ethmoid meningocele diagnosed in adults: description of one case. Rev Neurol 1997;25:230-233.
  • 7. Soyer P, Dobbelaere P, Reizine D, Ferquel C. Transelar sphenoidal meningoencephalocele associated with buccal angiomatosis: one case. J Neuroradiol 1990;17:222-226.
  • 8. Soyer P, Dobbelaere P, Benoit S. Transelar sphenoidal encephalocele: uncommon clinical and radiological findings. Clin-Radiol. 1991;43:65-67.
  • 9. Macfarlane R, Rutka JT, Armstrong D, et al. Encephaloceles of the anterior cranial fossa. Pediatr Neurosurg 1995;23:148-158.
  • 1
    Estudo realizado no Setor de Neurorradiologia do Serviço de Bioimagem do Hospital São Rafael (HSR) Monte Tabor (MT), Salvador - Bahia:
    Neurorradiologista do Serviço de Bioimagem do HSR;MT, Hospital Salvador IGASE, Fundação de Neurologia e Neurocirurgia Instituto do Cérebro- Salvador - Bahia;
    2
    Residente de Radiologia HSR-MT;
    3
    Técnico do Serviço de Bioimagem do HSR;
    4
    Radiologista do Hospital Prof. Jorge Valente.
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      07 Jun 2001
    • Data do Fascículo
      Jun 2001

    Histórico

    • Recebido
      18 Jul 2000
    • Revisado
      20 Out 2000
    • Aceito
      30 Out 2000
    Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO R. Vergueiro, 1353 sl.1404 - Ed. Top Towers Offices Torre Norte, 04101-000 São Paulo SP Brazil, Tel.: +55 11 5084-9463 | +55 11 5083-3876 - São Paulo - SP - Brazil
    E-mail: revista.arquivos@abneuro.org