Accessibility / Report Error
Revista Archai, Issue: 28, Published: 2020
  • The form of eternity Artigos

    Leite, Augusto Bruno de Carvalho Dias

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Segundo a literatura mítico-religiosa, o tempo é determinado pela natureza eterna da divindade ou origem de tudo. A partir desta máxima, a bibliografia teológica é provocada e estudos sobre a índole eterna do divino sugerem que se o universo é criado à imagem de seu criador o primeiro deverá ser também eterno. Com efeito, pergunta-se: como dar forma àquilo que por natureza é disforme, infinito, a saber, a eternidade? Para responder a esta questão, o seguinte artigo desenvolve não apenas um breve histórico da tradição judeo-cristã acerca do problema do tempo e sua relação com a eternidade como também tenta elaborar, ao final, uma resposta lógica à interrogação apresentada.

    Abstract in English:

    Abstract: According to the mythical-religious literature time is determined by the eternal nature of divinity or origin of all things. From this adagio, theological literature is provoked and studies on the eternal nature of divinity suggest that if the universe was created the image of its creator the first must also be eternal. Therefore the question arises: how to shape that which by nature is formless, infinite, namely eternity? To answer this question the following paper develops a brief history about the Judeo-Christian tradition on the problem of time and its relationship with eternity and also tries to prepare at the end one logical answer to the question about the form of eternity.
  • The first woman philosopher: love to the lyric wisdom Artigos

    Santoro, Fernando

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: É possível considerar o poema Títônio de Safo como um texto filosófico pré-socrático? Certas características nos fazem considerar estes versos em sua filosofia: 1) Retrata uma situação de aprendizagem amorosa, amor (philía) ao saber; 2) A presença de uma sentença de caráter universal sobre a humanidade: “Não envelhecer, para o homem, é um caso impossível.”; 3) Uma crítica ao senso comum e um aprofundamento de sabedoria; em particular a consideração da humanidade pela corrupção do devir mais do que pela mortalidade; 4) A repercussão do saber teórico em uma atitude e em um modo de vida prático: “O que posso eu fazer?” e a respectiva resposta proposta; 5) Um termo base (um conceito?) a conduzir e dar unidade de estilo filosófico e de modo de pensar à autora.

    Abstract in English:

    Abstract: Sappho’s Tithonius poem can be considered a presocratic philosophical text? Some characteristics make us see those verses in its philosophical mood: 1) It portrays a situation of loving learning, love (philía) to knowledge; 2) It provides a general and essential statement on humanity: “No being that is human can escape old age.” 3) It makes a critique of the common sense’s idea of humanity, and explains why corruption of becoming is more decisive than mortality; 4) It provides an attitude and a practical wisdom disrupted by a fundamental question, as “What can I do?”, 5) There is a particular term (maybe a concept?) to lead and give unity of his philosophical school or system of thought.
  • Phaedo 62b: the prohibition of suicide and the enigma of the phrourá Artigos

    Milione, Vitor de Simoni

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: No final do prólogo do Fédon (61b-63b), há uma tensão entre desejo de morte e proibição do suicídio entendida por Cebes como um contrassenso manifesto. Contudo, o que se mostra um disparate é na realidade o recurso platônico para introduzir grandes temas que serão trabalhados ao longo do diálogo. Delinear-se-á, numa curiosa trama de mythos e lógos, um ponto crucial que reverbera no restante do diálogo e que possui, com efeito, grande envergadura para o pensamento filosófico e religioso posterior: trata-se do passo 62b, no qual se diz que “nós homens estamos numa certa de phrourá”. Como entender essa afirmação, cuja obscuridade é reconhecida pelo próprio Sócrates? Parece-nos que a compreensão desse passo depende da interpretação e, por conseguinte, da tradução que se dá para o termo phrourá. Afinal, trata-se de prisão, cárcere, custódia, posto, ou serviço de guarda? Devido às muitas controvérsias que esse vocábulo tem causado desde a Antiguidade, e na confiança de que essa discussão ainda está longe de encontrar seu termo, este artigo tem como objetivo não só analisar a semântica desse vocábulo grego, mas também articulá-la com o passo no qual está inserida. E o pano de fundo: uma visão religiosa particular que afirma o divino ser o que cuida dos homens. Em suma, espera-se que esse debate proporcione recursos para novas pesquisas e reflexões férteis sobre a filosofia platônica.

    Abstract in English:

    Abstract: At the end of the Phaedo’s prologue (61b-63b), there is a tension between the desire for death and the prohibition against suicide understood by Kebes as an absolute nonsense. However, what is shown as an absurdity is, in fact, the platonic tool used to introduce some of the grand themes that will be approached in the dialogue. It will be outlined, in a curious thread of mythos and logos, a crucial point that echoes throughout the rest of the dialogue and has enormous effect on the later religious and philosophical thought: it is precisely the passage 62b, in which is said that “we men are in a kind of phrourá”. How can we understand this sentence, whose obscurity is attested by Socrates himself? It seems that the comprehension of this passage depends on the interpretation and thus the translation of the word ‘phrourá’. What does it mean afterall, prison, jail, custody, garrison or guard duty? Due to the many controversies that this word has been raising since the Antiquity, and believing that this debate is far from ending, this article has the objective of not only analyzing the semantics of this word, but also articulating it with the passage in which it is found. And the background: a particular religious viewpoint that defends the divine as man’s caretaker. Finally, we hope that this debate will stimulate new researches and fruitful reflections on the platonic philosophy.
  • Vitruvian architecture and ancient rhetoric Artigos

    Santos, Gilson Charles dos

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O objetivo deste artigo é apresentar a analogia básica entre arquitetura e retórica antiga a partir dos tratados De Architectura, de Vitrúvio, e o De Oratore, de Cícero. A analogia se verifica na definição do artífice, dos gêneros e partes das técnicas e dos fins de cada uma delas. Para tanto, tomaram-se como referência as fontes do tratado vitruviano, que menciona a influência de Varrão na gramática, de Lucrécio na filosofia e de Cícero no método oratório. A analogia com Cícero serve tanto para conferir autoridade ao modelo de arquiteto vitruviano quanto para diferenciar a arquitetura das demais ciências, sobretudo a filosofia, objeto de debate na obra ciceroniana.

    Abstract in English:

    Abstract: The aim of this article is to present the essencial analogy between architecture and ancient rhetoric based on the vitruvian treatise De Architectura and the ciceronian De Oratore. The analogy is verified in the definition of artist, of discursive gender and parts in both techniques, and their objectives. For this purpose, I make reference to the sources of Vitruvius De Architecture, namely Varro (in grammar), Lucretius (in philosophy) and Cicero (in rhetorical methods). The analogy with Cicero comprises not only the authority of the ideal architect but also the difference between architecture and other sciences, especially philosophy - object of ciceronian works.
  • The establishment of the articulated member in Aristotle’s De motu animalium Artigos

    Oliveira, Eraci Gonçalves de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: No De motu animalium, Aristóteles recorre ao método analógico na pesquisa que faz acerca da causa comum do movimento, estabelecendo o paradigma do membro articulado, modelo que ele operacionaliza tendo em vista tornar inteligível o caráter dinâmico do movimento dos animais. Contudo, o membro articulado não se apresenta como modelo de uma maneira direta, na verdade, ele é convertido em modelo. Textualmente, o estabelecimento do paradigma, ou modelização, começa em 698a17 e vai até 698b4, incluindo três etapas: a primeira referência às articulações; a geometrização do movimento do membro articulado, que compreende três subdivisões: a comparação da articulação com o centro, a geometrização radical que é a comparação com o diâmetro, e a relativização da comparação geométrica; e por último, a volta à natureza da articulação com o modelo anatômico do membro articulado, o ponto culminante do processo de modelização. No artigo presente, gostaríamos de fazer uma análise das etapas da construção deste paradigma, cujas estratégias metodológicas culminam no modelo anatômico do membro articulado, uma surpreendente imagem em ação para o objeto do De motu, que, paradoxalmente, dá a ver a imobilidade na mobilidade do membro.

    Abstract in English:

    Abstract: Aristotle, in De motu animalium uses the analogical method to research on animal’s movement common cause by establishing the paradigm of the articulated member. However, the articulated member does not present itself as a model in a direct way; in fact, it is converted into a model. Textually, the establishment of the paradigm, or modeling, begins in 698a17 and goes up to 698b4, including three stages: reference to the joints followed by the geometrization of the articulated member’s movement, which comprises three subdivisions: the comparison of the articulation to the center, the radical geometrization that is the comparison to the diameter, and the relativization of the geometric comparison; and finally, the return to the nature of the articulation through the anatomical model of the articulated member, the culminating point of the modeling process. In the present article, we would like to analyze the construction of this paradigm, in which, paradoxically, the methodological strategies culminate by showing immobility in limb mobility, an unexpected image in action to the subject of the De motu animalium.
  • Economic autarkeia: the legitimacy of the economic discourse based on the concept of physis Artigos

    Zayas, María Florencia

    Abstract in Spanish:

    Resumen: La noción de autarkeia presente en la Política aristotélica se concibe como inseparable del fin de la ciudad-Estado, en la medida en que ésta se constituye no sólo para el mero vivir (zen) sino para el vivir bien (eu zen). Ello implica una moralización del orden estatal que nos permite pensar en la conformación de una dimensión económica a partir del concepto de autarkeia. Tomando como punto de partida metodológico el dispositivo de “zonas de tensión dialógica” (Mársico, 2010) afirmaremos la existencia de un discurso económico aristotélico a partir de tres nociones significativas en el ámbito político: autosuficiencia, ciudad-Estado, justicia (Polanyi, 1994). Afirmaremos, finalmente, que el concepto de esclavitud natural tiene por objeto garantizar la constitución de un orden económico productivo autónomo que deslegitime el modelo de organización de los estados federados (summachia).

    Abstract in English:

    Abstract: The concept of autarkeia present in the Aristotelian Politics is conceived as inseparable from the end of the city-State, insofar as it is not only constituted for mere living (zen) but for living well (eu zen). This implies a moralization of the state order that allows us to think about the conformation of an economic dimension based on the concept of autarkeia. Taking as a methodological starting point the “dialogical tension zones” device (Mársico, 2010), we will affirm that exists an Aristotelian economic thinking based on three significant concepts of his political philosophy: “self-sufficiency”, “city-State”, “justice” (Polanyi, 1994). Finally, we will affirm that the concept of “natural slavery” aims to guarantee the constitution of an autonomous productive economic order that delegitimizes the federated states’ model of organization (summachia).
  • “Taylorism” before Taylor: the agricultural work in Columela (1st century AD) Artigos

    Rocha, Ivan Esperança

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O taylorismo é identificado com o sistema de organização e administração do trabalho proposto, no início do século XX, por Frederick Winslow Taylor, e busca alcançar o máximo de produção e rendimento com o mínimo de tempo e de esforço despendidos, por meio de padronizações e simplificações num momento de expansão da indústria que exigiu grandes preocupações com a eficiência do trabalho. Apesar de vinculado inicialmente à atividade industrial, o taylorismo foi adaptado à racionalização das mais diversas atividades econômicas, inclusive da agricultura. Neste texto será analisada a obra De re rustica de Columela como uma proposta de racionalização “taylorista” do trabalho em uma villa romana do século I a.C., marcada por processos de padronização e de organização do sistema produtivo rural.

    Abstract in English:

    Abstract: Taylorism is identified with Frederick Winslow Taylor's system of organizing and managing the work proposed at the beginning of the twentieth century, and seeks to achieve maximum production and yield with the minimum of time and effort expended, through standardization and simplifications at a time of industry expansion that required major concerns about work efficiency. Although initially tied to industrial activity, taylorism was adapted to rationalize the most diverse economic activities, including agriculture. In this text the work De re rustica de Columela will be analyzed as a proposal of an “ancient taylorist” rationalization of work in a Roman villa of the 1st century BC, marked by processes of standardization and organization of the rural work.
  • Like “bronze statues”: on the role of silence in Socratic dialogues Artigos

    Pentassuglio, Francesca

    Abstract in Italian:

    Riassunto: Obiettivo del presente contributo è un esame dei riferimenti al tema del silenzio in alcuni “luoghi” della letteratura socratica. Più particolarmente, l’analisi si concentra sull’importanza riconosciuta alla virtù del σιωπᾶν in due specifici ambiti: 1) l’educazione dei giovani e 2) lo scambio dialogico. Il primo aspetto è indagato soprattutto a partire dal Milziade di Eschine di Sfetto, che presenta positivamente la capacità di tacere nei giovani (Stob. 2.31, 23; Plu. De recta rat. aud. 4 p. 39b-c) e che permette di istituire, a questo riguardo, alcuni paralleli con opere non socratiche (in particolare X. Lac. 3.5 e Isoc. Bus. 28-29). Il secondo aspetto, non privo di connessioni con il primo, è invece approfondito soprattutto a partire da un riferimento al ruolo del silenzio nel Protagora platonico (329b), che consente di indagarne la funzione più specificamente anti-sofistica.

    Abstract in English:

    Abstract: The paper aims to examine some references to the theme of silence within Socratic dialogues. More particularly, the analysis focuses on the importance recognized to the virtue of σιωπᾶν in two specific fields: 1) the education of youth and 2) the dialogical exchange. The first aspect is investigated mainly through the exam of Aeschines’ Miltiades, which depicts positively the ability in young people to remain silent (Stob. 2.31, 23; Plu. De recta rat. aud. 4 p. 39b-c) and presents close parallels, in this regard, with some non-Socratic works (especially X. Lac. 3.5 and Isoc. Bus. 28-29). The second aspect, not unrelated to the former, is dealt with by taking into account a reference to the role of silence in Plato’s Protagoras (329b), which sheds light on its anti-Sophistic overtone.
  • Pseudo-Xenophon’s Constitution of the Athenians Artigos

    Marino, Silvio

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: A Constituição dos Atenienses é uma pequena obra acerca da politeia de Atenas e das condições que permitem que a democracia permaneça em Atenas como forma de gerenciar a vida da polis. Esta obra representa um problema filológico e historiográfico, porque, embora esteja no corpus das obras de Xenofonte, ela é considerada obra de outro autor, conhecido como Pseudo-Xenofonte ou “Velho Oligarca”. Trata-se de um pamphlet de orientação oligárquica que apresenta Atenas como um mundo ao contrário, em que os piores comandam e os melhores são como escravizados pela multidão ignorante.

    Abstract in English:

    Abstract: The Constitution of the Athenians is a short work about the politeia of Athens and the conditions by which Athenian democracy can last as constitutional regime which manages the life of the polis. This work represents both a philological and a historiographical problem, because, even if it was transmitted in the corpus of Xenophon’s work, it is considered to have been written by another author, known as Speudo-Xenophon or “Old Oligarch”. It is an oligarchic pamphlet which presents Athens as an upside down world, where the worst people rule and the best ones are as reduced to slavery by the ignorant multitude.
  • Review of Rohden, L. Filosofar com Gadamer e Platão: hermenêutica filosófica a partir da Carta Sétima (2018) Resenhas

    Kussler, Leonardo Marques
  • Review of Rossetti, L. Un altro Parmenide (2017) Resenhas

    Santos, José Trindade
Universidade de Brasília / Imprensa da Universidade de Coimbra Universidade de Brasília / Imprensa da Universidade de Coimbra, Campus Darcy Ribeiro, Cátedra UNESCO Archai, CEP: 70910-900, Brasília, DF - Brasil, Tel.: 55-61-3107-7040 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: archai@unb.br