Combinação ótima de espaçamento e população de plantas para um novo genótipo de mamona de porte baixo na safrinha

Para maximizar a produtividade de grãos de genótipos de mamona (Ricinus communis L.) de porte baixo, devem ser definidos a população e o arranjo de plantas mais adequados a cada época de cultivo. Foi conduzido um experimento no outono-inverno dos anos de 2008 e 2009, em Botucatu-SP, para avaliar os efeitos do espaçamento entre fileiras (0,45; 0,60; 0,75 e 0,90 m) e da população de plantas (25.000, 40.000, 55.000 e 70.000 plantas ha-1) sobre as características agronômicas, componentes da produção, produtividade de grãos e de óleo do genótipo FCA-PB. Elevada densidade de plantas provocou redução na sobrevivência das mesmas e aumentou a altura de inserção do primeiro racemo, especialmente no ano com maior disponibilidade hídrica. O diâmetro do caule, o número de racemos por planta e de sementes por racemo foram reduzidos com o aumento da densidade de plantas. As produtividades de grãos e de óleo foram pouco influenciadas pela população de plantas e espaçamento entre fileiras, pois a mamoneira compensa um baixa população de plantas, com um elevado número de racemos e grãos por planta. A máxima produtividade de grãos foi obtida com o espaçamento entre fileiras estimado de 0,64 m e 50.107 plantas ha-1 (ou seja, 3,2 plantas m-1).

Ricinus communis; distribuição especial de plantas; densidade de plantas; produtividade de grãos; teor de óleo


Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Av. Colombo, 5790, bloco 40, 87020-900 - Maringá PR/ Brasil, Tel.: (55 44) 3011-4253, Fax: (55 44) 3011-1392 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: actaagron@uem.br