Piramidação de genes de resistência à ferrugem asiática da soja (FAS) assistida por marcadores moleculares microssatélites

Joselaine Viganó Alessandro Lucca Braccini Ivan Schuster Vanessa Maria Pereira Silva Menezes Sobre os autores

RESUMO.

O presente estudo objetivou piramidar genes de resistência à FAS por meio da seleção assistida por marcadores (SAM) microsatélites (SSR), demonstrando os passos para a piramidação. Para obter a primeira geração de piramidação de genes, realizaram-se cruzamentos entre as plantas introduzidas (PI’s), que possuem os genes Rpp1, Rpp2, Rpp3, Rpp4 e Rpp5. As plantas F1 dos cruzamentos iniciais foram cruzadas para obter plantas com os quatro genes de resistência (segunda geração de piramidação). As plantas selecionadas desta segunda geração foram novamente cruzadas (terceira geração de piramidação) para aumentar o número de genes piramidados. Para a SAM, foram utilizados marcadores SSR informativos em cada cruzamento. Marcadores SSR foram considerados informativos quando o alelo de resistência da fonte contendo o gene alvo poderia ser seguido na progênie, mesmo em cruzamentos entre híbridos, ambos contendo o mesmo alelo. Foram utilizados marcadores publicados em estudos de mapeamento genético para a FAS e o mapa consenso da soja. Foram obtidas plantas contendo genes piramidados, de 2 a 4 genes por planta. Essas plantas podem ser usadas como fonte de resistência múltipla em programas de melhoramento para obter variedades de soja com resistência mais durável à FAS.

Palavras-chave:
pachyrhizi; empilhamento de genes; melhoramento assistido por marcadores; resistência durável

Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Av. Colombo, 5790, bloco 40, 87020-900 - Maringá PR/ Brasil, Tel.: (55 44) 3011-4253, Fax: (55 44) 3011-1392 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: actaagron@uem.br