Dinamica de enraizamento adventício em miniestacas de Eucalyptus benthamii x Eucalyptus dunnii

O tempo ideal de permanência de propágulos vegetativos (miniestacas) no interior da casa de vegetação para a rizogênese é possível de ser determinado matematicamente, o que pode otimizar as instalações do viveiro. O objetivo deste estudo foi determinar a dinâmica de enraizamento de miniestacas de três clones de Eucalyptus benthamii x Eucalyptus dunnii. Brotações dos clones H19, H12 e H20 foram coletadas de minicepas plantadas em canaletão com areia e cultivadas sob sistema semi-hidropônico. A região basal da miniestaca foi imersa em solução de 2.000 mg L-1 de ácido indolbutírico (AIB) por 10 segundos. A porcentagem de enraizamento de miniestacas, o comprimento total de raízes e a taxa de enraizamento por miniestaca foram avaliados a cada sete dias (0 - instante da estaquia, 14, 21, 28, 35, 42, 49 e 56 dias). Foram utilizadas as regressões logística e exponencial para a modelagem matemática da velocidade dos processos rizogênicos. O modelo logístico teve o melhor ajuste para o percentual de enraizamento, e o modelo exponencial para o comprimento total do sistema radicular. Os clones apresentaram diferentes velocidades de enraizamento. O tempo ideal de permanência das miniestacas dentro da casa de vegetação para o enraizamento está entre 35 a 42 dias, podendo variar em função do material genético.

propagação vegetativa; silvicultural clonal; organogênese; modelagem matemática; rizogênese; minijardim clonal


Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Av. Colombo, 5790, bloco 40, 87020-900 - Maringá PR/ Brasil, Tel.: (55 44) 3011-4253, Fax: (55 44) 3011-1392 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: actaagron@uem.br