Fontes nitrogenadas associadas a diferentes formas físicas do grão de milho na dieta de novilhos confinados

Renata Volpatto Porsch Diego Soares Machado Ivan Luiz Brondani Joziane Michelon Cocco Dari Celestino Alves Filho Leonardo Mendes de Oliveira Sobre os autores

RESUMO.

Este trabalho foi realizado para avaliar a substituição do farelo de soja por fontes de nitrogênio não proteico, em combinação com milho moído ou inteiro para bovinos confinados. Foram utilizados 54 novilhos, mestiço Charolês x Nelore com 22 ± 0,23 meses e 250 ± 15,80 kg. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com arranjo fatorial 3 x 2. Os tratamentos consistiram em diferentes combinações de formulação do concentrado: farelo de soja com milho grão ou moído; ureia convencional com milho grão ou moído, e ureia protegida com milho grão ou moído. Houve interação entre fonte nitrogenada e data de coleta para albumina sérica, com elevação crescente para o farelo de soja, enquanto houve elevação do dia 0 para o dia 84, estabilizando até o abate, para as ureias. Maiores consumos de matéria seca e proteína bruta, ganho de peso diário e eficiência de ruminação foram observadas para farelo de soja. Novilhos que receberam ureia protegida destinaram mais tempo à alimentação, em relação ao farelo de soja. Maior tempo de ócio foi verificado para o farelo de soja, enquanto a ureia convencional foi superior à ureia protegida. Substituir o farelo de soja por fontes de nitrogênio não proteico limita os resultados de metabólitos sanguíneos, desempenho e comportamento ingestivo.

Palavras-chave:
albumina; comportamento ingestivo; desempenho; nitrogenio não proteico

Editora da Universidade Estadual de Maringá - EDUEM Av. Colombo, 5790, bloco 40, CEP 87020-900 , Tel. (55 44) 3011-4253, Fax (55 44) 3011-1392 - Maringá - PR - Brazil
E-mail: actaanim@uem.br