Morfologia dentofacial de crianças respiradoras bucais

Patrícia Toledo Monteiro Faria Antonio Carlos de Oliveira Ruellas Mírian Aiko Nakane Matsumoto Wilma T. Anselmo-Lima Fabiana C. Pereira Sobre os autores

A relação entre respiração e morfologia dento-facial tem sido discutida e investigada sob vários aspectos. O objetivo deste estudo foi verificar a morfologia dentária e esquelética de crianças respiradoras nasais e bucais. Trinta e cinco crianças, com idade entre 7 e 10 anos, foram submetidas às avaliações ortodônticas e otorrinolaringológicas e foram, então, divididas em 2 grupos: um grupo contendo quinze crianças respiradoras nasais e outro, com vinte respiradores bucais. Cada uma das crianças foi submetida à análise cefalométrica. O tratamento estatístico indicou que a respiração alterada está associada com: 1) retrusão maxilo-mandibular em relação à base do crânio, nos pacientes respiradores bucais; 2) os ângulos SNGoGn e NSGn foram maiores no grupo de respiradores bucais; 3) a inclinação axial dos incisivos superiores e inferiores e o ângulo interincisal não foram diferentes entre os grupos. Não houve diferença estatisticamente significante nas alturas molares superiores e inferiores entre os dois grupos avaliados.

respiração bucal; maloclusão; cefalometria


Fundação Odontológica de Ribeirão Preto Av. do Café, S/N, 14040-904 Ribeirão Preto SP Brasil, Tel.: (55 16) 3602-3982, Fax: (55 16) 3633-0999 - Ribeirão Preto - SP - Brazil
E-mail: bdj@forp.usp.br
Accessibility / Report Error