Frugivoria em Lacistema hasslerianum Chodat (Lacistemaceae), uma arvoreta de subbosque de Mata de Galeria no Brasil Central

C. Melo PE. Oliveira Sobre os autores

Os objetivos deste estudo foram conhecer e caracterizar o padrão comportamental das aves frugívoras em Lacistema hasslerianum. O estudo foi realizado na Estação Ecológica do Panga (Uberlândia-MG). Durante a época de frutificação (setembro-outubro), L. hasslerianum foi observada por 31 horas e 15 minutos e recebeu 58 visitas de cinco espécies de aves. Tyrannidae foi a família mais representativa (2 espécies), Pipridae, a família mais frequente (68,97%). O número de frutos consumidos foi correlacionado com o tempo de permanência na planta. A principal tática de forrageamento utilizada pelos visitantes de L. hasslerianum foi "vôo" (58,62%) e a estratégia de consumo do fruto predominante foi "engolidor" (45,25%), o que indica um elevado potencial de dispersão. Antilophia galeata (Pipridae), apesar de territorialista, apresentou a maior eficiência de dispersão para L. hasslerianum devido à sua taxa de consumo (2,82 frutos consumidos inteiros/minuto).

frugivoria; Lacistema hasslerianum; Cerrado


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br