A geoestatística como ferramenta para aprimorar a amostragem e a análise estatística em áreas inundáveis: um estudo de caso sobre a dinâmica da distribuição da matéria orgânica no Pantanal de Mato Grosso, Brasil

F. NOGUEIRA E. G. COUTO C. J. BERNARDI Sobre os autores

O Pantanal de Mato Grosso apresenta unidades distintas em sua paisagem: áreas permanentemente alagadas, áreas eventualmente alagáveis e áreas periodicamente alagáveis. Nestas últimas, as amostragens são particularmente difíceis, dada a heterogeneidade não apenas entre os estratos a serem amostrados como também dentro dos mesmos. Este trabalho usa como exemplo a avaliação do papel do pulso de inundação na dinâmica de distribuição de matéria orgânica em um campo inundável pantaneiro para mostrar que diferentes enfoques metodológicos e delineamentos amostrais podem influenciar decisivamente. Partimos do princípio de que há dependência espacial entre os pontos, contrariando a estatística clássica que enfoca a aleatoriedade. Este procedimento permite a obtenção de maior volume de informações a partir de menor esforço amostral, o que significa melhor desempenho, com economia de tempo e recursos.

geoestatística; amostragem; matéria orgânica; Pantanal de Matogrosso


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br