O efeito do número de visitantes e do provisionamento de especiaria na expressão do pacing por onças-pintadas avaliado por estudo de caso

L. S. Vidal F. R. Guilherme V. F. Silva M. C. S. R. Faccio M. M. Martins D. C. Briani Sobre os autores

Resumo

Animais cativos exibem a estereotipia pacing em resposta a múltiplos fatores, os quais incluem a incapacidade de escapar da exposição ao público. As técnicas de enriquecimento ambiental podem minimizar a expressão do pacing. Usando uma abordagem individual, nós investigamos se a extensão de tempo que dois machos e uma fêmea de onça-pintada (Panthera onca) dispendem com pacing variou em função do número de visitantes e testamos a eficácia da canela e da pimenta-do-reino na redução do pacing. A extensão de tempo em pacing aumentou significativamente com o número de visitantes para todos os indivíduos. Apesar da diferença entre os machos com relação à idade e às condições no cativeiro, ambos devotaram ao pacing menos tempo após a administração das duas especiarias, o que indica a adequabilidade dessas como técnicas de enriquecimento. Para a fêmea, o tempo médio dispendido com pacing não variou entre os tratamentos. Nossos resultados respaldam a validade da realização de abordagens individuais, uma vez que essas podem revelar o grau de eficácia dos estímulos olfativos na minimização de estereotipias independentemente de características particulares.

Palavras-chave:
comportamento; onça-pintada; pacing; Panthera onca; exposição pública; especiaria no enriquecimento

Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br