Tolerância ao calor e ao frio experimentalmente induzida em alados de Panstrongylus megistus (Burmeister) (Hemíptera, Reduviidae)

A taxa de sobrevivência de alados domiciliares machos e fêmeas de Panstrongylus megistus foi analisada, após choques seqüenciais quentes e frios, a fim de investigar aquisição de termotolerância em comparação a dados já reportados para ninfas. Os insetos foram submetidos a choques térmicos seqüenciais, sendo que um choque mais suave (0°C, 5°C, 35°C ou 40°C por 1 h) precedeu o choque mais severo (0°C ou 40°C por 12 h). Estes foram separados por intervalos de 8, 18, 24 e 72 h a 28°C (temperatura-controle). Demonstrou-se que o choque térmico preliminar pode induzir tolerância ao mais severo, embora a intensidade de tolerância seja dependente da temperatura inicial do choque e do intervalo entre os tratamentos. Apesar da tolerância observada, a taxa de sobrevivência diminuiu em insetos submetidos a ambos os choques quando comparados àqueles espécimes submetidos a um único choque suave. Quando a tolerância diferiu com o sexo, as fêmeas apresentaram tolerância maior. Diferentemente da resposta observada em ninfas, para as quais a tolerância a choques quentes se estende até quando o período entre os choques é de 24 h (choque inicial a 35ºC) ou mais (choque inicial a 40ºC), taxa expressiva de tolerância nos adultos foi verificada apenas em condições de até 8 h de intervalo entre os choques, sendo o choque inicial dado a 40ºC. Também diferindo do que acontece às ninfas, cuja tolerância ao choque frio se expressa em todas as condições semelhantemente estudadas, nos adultos observou-se expressiva tolerância ao choque frio apenas quando o choque inicial foi dado a 0ºC e o tempo entre choques seguidos ultrapassou 18 h. Presume-se que em P. megistus os mecanismos que desempenham papel na proteção celular a choques seqüenciais de temperatura (proteínas de choque?) possam perder a eficácia com o desenvolvimento do inseto.

Panstrongylus megistus; adultos; choque quente; choque frio; sobrevivência; tolerância


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br