Variação espacial na estrutura da comunidade herbácea em uma região semiárida do Nordeste do Brasil

Nos ambientes áridos e semiáridos do mundo, os micro-habitats modelam a estrutura das comunidades vegetais. O objetivo deste estudo foi identificar diferenças nas estruturas das comunidades herbáceas instaladas sobre o solo do embasamento cristalino e a bacia sedimentar em uma região semiárida do Nordeste do Brasil. Foram estabelecidas 100 parcelas de 1 × 1 m em cada área para amostragem das comunidades. Foram registradas 69 espécies na área cristalina e 76 na área sedimentar. A densidade média das plantas foi maior na área sedimentar e os diâmetros e as alturas médias foram maiores na área cristalina. As famílias e as espécies com maior Índice de Valor de Importância (IVI) e Índice de Valor Ecológico Mixto (IVEM) diferiram entre as áreas. Das espécies com maior densidade, apenas quatro foram encontradas em ambas as áreas. Os valores dos índices de diversidade Shannon-Weiner das áreas do cristalino (2,96 nats/ind.-1) e sedimentar (2,89 nats/ind.-1) foram semelhantes. Os valores de equabilidade, em ambas as áreas, também foram semelhantes (0,72 e 0,71, nas áreas cristalina e sedimentar, respectivamente). Este estudo mostra que as variações nas condições de estabelecimento das plantas entre áreas cristalinas e sedimentares, em uma região semiárida do Nordeste do Brasil, devem ser consideradas como um fator modelador da estrutura das comunidades herbáceas.

floresta seca; fitossociologia; erva; solo; caatinga; micro-habitat


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br