Variação espacial na estrutura da comunidade herbácea em uma região semiárida do Nordeste do Brasil

KA. Silva JMFF. Santos DM. Santos EMN. Ferraz EL. Araújo Sobre os autores

Nos ambientes áridos e semiáridos do mundo, os micro-habitats modelam a estrutura das comunidades vegetais. O objetivo deste estudo foi identificar diferenças nas estruturas das comunidades herbáceas instaladas sobre o solo do embasamento cristalino e a bacia sedimentar em uma região semiárida do Nordeste do Brasil. Foram estabelecidas 100 parcelas de 1 × 1 m em cada área para amostragem das comunidades. Foram registradas 69 espécies na área cristalina e 76 na área sedimentar. A densidade média das plantas foi maior na área sedimentar e os diâmetros e as alturas médias foram maiores na área cristalina. As famílias e as espécies com maior Índice de Valor de Importância (IVI) e Índice de Valor Ecológico Mixto (IVEM) diferiram entre as áreas. Das espécies com maior densidade, apenas quatro foram encontradas em ambas as áreas. Os valores dos índices de diversidade Shannon-Weiner das áreas do cristalino (2,96 nats/ind.-1) e sedimentar (2,89 nats/ind.-1) foram semelhantes. Os valores de equabilidade, em ambas as áreas, também foram semelhantes (0,72 e 0,71, nas áreas cristalina e sedimentar, respectivamente). Este estudo mostra que as variações nas condições de estabelecimento das plantas entre áreas cristalinas e sedimentares, em uma região semiárida do Nordeste do Brasil, devem ser consideradas como um fator modelador da estrutura das comunidades herbáceas.

floresta seca; fitossociologia; erva; solo; caatinga; micro-habitat


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br