Observações histológicas do oviduto e da glândula oviducal de Sympterygia acuta Garman, 1877

Os elasmobranchii constituem um importante recurso pesqueiro na Argentina e mostram características reprodutivas que os fazem suscetíveis à pressão de pesca. Apesar da importância do recurso, nosso conhecimento sobre as espécies do Atlântico do Sudoeste é escasso. Neste trabalho, estudamos a microanatomia do oviduto e da glândula oviducal de Sympterygia acuta. Os resultados mostram um oviduto muito dobrado, com células mucosas e células ciliadas. A glândula oviducal apresenta as mesmas zonas que outros batóideos, mostrando as quatro regiões típicas (club, papillary, baffle e terminal). O epitélio que reveste o lúmen glandular é simples, com células ciliadas e células glandulares. As quatro zonas mostram glândulas tubulares simples ou ramificadas e suas secreções constituem os envelopes do ovo. As zonas do club e baffle são semelhantes aquelas presentes em outras espécies. A papilar tem um padrão de secreção diferente de outros Rajiformes e a última zona da glândula é caracterizada por adenômeros mistos. A informação aqui exposta constitui o primeiro relato sobre a microanatomia do trato genital de S. acuta.

Elasmobranchii; glândula oviducal; reprodução; Sympterygia acuta


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br