Excreção por quironomídeos em reservatório urbano

R. Henry CM. Santos Sobre os autores

Medidas de excreção de amônia e fosfato por larvas de Chironomus foram executadas com a finalidade de avaliar a importância desses quironomídeos nas cargas internas de um pequeno reservatório urbano eutrófico. Taxas de excreção de amônia e fosfato significativamente mais elevadas foram encontradas nas larvas de Chironomus de pequeno (6-10 mm) tamanho, em relação às de tamanho médio (9-11 mm) e grande (11-16 mm). Uma dependência em relação à temperatura foi registrada para a excreção de amônia e fosfato, significativamente mais alta a 25 °C do que a 20 e 15 °C. Depois da obtenção das relações lineares entre biomassa (peso seco) e comprimento total e excreção com biomassa e dos dados de densidade de quironomídeos, após amostragem em 33 pontos distribuídos por todo o reservatório, foi possível estimar uma taxa média de excreção de fosfato de 2014 ± 5134 µg.m-2/dia e, de amônia em 1643 ± 3974 µg.m-2/dia. Considerando a biomassa média (34 mg.m-2) de quironomídeos, a área do lago (88.156 m²) e as taxas médias de excreção, a contribuição dos quironomídeos bênticos para as cargas internas seria de 181 KgP e 147 KgN, para o mês da amostragem (outubro-novembro de 1998). Esses valores mostraram que as cargas internas por excreção pelas larvas de Chironomus correspondem aproximadamente a 33% das cargas externas de fósforo para o lago e, somente 5% no caso de nitrogênio.

excreção; Chironomus; carga interna; reservatório; nutrientes


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br