Biologia de nidificação de Centris (Hemisiella) tarsata Smith no sul do Brasil (Hymenoptera, Apidae, Centridini)

Um total de 67 ninhos de Centris tarsata foi obtido utilizando-se ninhos armadilhas. Eles consistiram de uma série linear de células construídas com uma mistura de areia e óleo. Essa espécie apresentou preferência por ambientes abertos, ocorrendo apenas em áreas de Campo e de Várzea, e não ocorrendo em Florestas de Araucárias. Sua atividade de nidificação foi maior nos meses mais quentes, especialmente dezembro e janeiro. A razão sexual foi de 1,48:1 (fêmeas/machos), significativamente diferente de 1:1. Embora não haja dimorfismo sexual entre os sexos, as fêmeas foram maiores que os machos. Eles foram produzidos nas células mais externas e elas nas mais internas. C. tarsata apresentou desenvolvimento direto, sem diapausa na fase de larva, passando o inverno como adulto. O tempo de desenvolvimento foi similar para fêmeas e machos. Seus inimigos naturais foram: Bombyliidae, Mesocheira bicolor, Coelioxys sp. e Meloidae.

biologia de nidificação; abelha; Apidae; Centris tarsata


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brasil, Tel. e Fax: (55 16) 3362-5400 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb@bjb.com.br