Descoberta de inibidor de tripsina em sementes de Eucalyptus urophylla e sua influência sobre o crescimento in vitro dos fungos Pisolithus tinctorius e Rhizoctonia solani

Célia Regina Tremacoldi Sérgio Florentino Pascholati Sobre os autores

Os inibidores de proteases de plantas podem regular a hidrólise de proteínas no interior celular e também participar de seus mecanismos de defesa contra insetos herbívoros e patógenos. No presente trabalho, nós demonstramos que sementes de Eucalyptus urophylla apresentam atividades de inibidores de tripsina e papaína, duas proteases comumente encontradas em seres vivos. Pequenas quantidades de proteínas do extrato protéico bruto de sementes e de frações parcialmente purificadas por filtração em gel, com atividade inibitória de tripsina, inibiram o crescimento micelial in vitro de um isolado compatível do fungo ectomicorrízico Pisolithus tinctorius e permitiram um crescimento insatisfatório de outro isolado de Pinus taeda, considerado compatível para esta espécie de eucalipto. As mesmas concentrações de proteínas, quando testadas in vitro sobre o patógeno Rhizoctonia solani, não demonstraram qualquer efeito sobre seu crescimento. Estes resultados indicam a existência de inibidores de proteases em sementes de E. urophylla, os quais poderiam influenciar o complexo sistema bioquímico que diferencia mecanismos de simbiose e patogenicidade entre plantas e microrganismos.

protease; inibidor; tripsina; Pisolithus tinctorius; Rhizoctonia solani


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br