Antagonismo de espécies de Trichoderma sobre Cladosporium herbarum e suas caracterização enzimática

O maracujá (Passiflora edulis Sims.), um fruto tropical amplamente consumido, tem sua produção e a qualidade dos seus frutos reduzidos pela verrugose causada por Cladosporium herbarum. Este trabalho objetivou investigar o antagonismo de espécies de Trichoderma (T. polysporum, T.koningii, T. viride e T. harzianum) contra C. herbarum, e estudar a produção de enzimas hidrolíticas extracelulares pelo fitopatógeno e antagonistas. Os resultados mostraram considerável potencial antagônico para o biocontrole dos isolados de C. herbarum por todas as espécies de Trichoderma, exceto T. koningii. O efeito mais promissor foi observado para T. polysporum. Em relação ao padrão de esterase obtido por eletroforese em gel de poliacrilamida, a maior atividade apresentada pelos isolados foi observada cinco dias após a incubação. Os isolados de C. herbarum produziram enzimas extracelulares, lipase, pectinase, cellulase e protease, todas possivelmente relacionadas ao processo de infecção do hospedeiro. A excreção de amilase que parece não estar associada com fitopatógenos foi detectada nas espécies de Trichoderma, mas não em C. herbarum. Além disso, todas as espécies de Trichoderma testadas produziram também celulase e pectinase, exceto T. koningii com relação a esta última enzima. A demonstração de várias isoesterases no zimograma das espécies de Trichoderma e isolados de C. herbarum, foi notavelmente melhorada através da lavagem do micélio com detergentes ou EDTA. Este fato sugere que uma grande fração de enzimas extracelulares pode permanecer presa externamente na parede celular fúngica após excreção.

Maracujá; controle biológico; enzimas extracelulares; fungos


Sociedade Brasileira de Microbiologia USP - ICB III - Dep. de Microbiologia, Sociedade Brasileira de Microbiologia, Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, Cidade Universitária, 05508-900 São Paulo, SP - Brasil, Ramal USP 7979, Tel. / Fax: (55 11) 3813-9647 ou 3037-7095 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjm@sbmicrobiologia.org.br